plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour
Pular para o conteúdo

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

24 de junho de 2024 - 03:15

“Todos os dias são o Dia do Meio Ambiente”, diz chefe de Comunicação da PMA no Bom Dia Campo Grande

Tenente-coronel Edmilson Paulino Queiroz fala sobre a preocupação da corporação com ações educativas como meio de evitar danos aos ecossistemas
Tenente-coronel Queiroz, comandante da PMA, destacou preocupação da corporação com a Educação Ambiental. (Foto: Iasmin Biolo/Fertel)
Tenente-coronel Queiroz, chefe de Comunicação da PMA, destacou preocupação da corporação com a Educação Ambiental. (Foto: Iasmin Biolo/Fertel)

Nesta quarta-feira (5) é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, data na qual diversos órgãos públicos realizam uma série de ações visando a reiterar a importância da preservação dos ecossistemas. Porém, para o tenente-coronel Edmilson Paulino Queiroz, chefe de Comunicação da PMA (Polícia Militar Ambiental), “todos os dias são o Dia do Meio Ambiente, o 5 de junho é um lembrete de que temos de cuidar dele”.

O tenente-coronel Queiroz participou nesta quarta do Bom Dia Campo Grande, onde falou das ações que a PMA também realiza em torno da data e ao longo do ano, visando a preservação ambiental. E, segundo ele, embora a corporação ganhe notoriedade pelas ações de repressão, combatendo a prática de crimes, é na educação ambiental que são depositadas as maiores esperanças quanto ao sucesso desse trabalho. Para tanto, são feitas parcerias permanentes com várias prefeituras.

“O Poder Executivo, quando mudou o nome de Polícia Florestal para Polícia Militar Ambiental foi muito inteligente, pois colocou um artigo que põe a Educação Ambiental como prioritária nas nossas atividades”, afirmou à Educativa 104.7 FM. Ele frisou que essa missão está nas mãos de policiais das 26 subunidades da PMA e das crianças e adolescentes do Projeto Florestinha, “mais lúdico, completo, que faz (as atividades) com oficinas”.

Conforme o tenente-coronel, esse tipo de abordagem torna mais interessante a mensagem a ser passada e, mais do que isso, estimula debates mais aprofundados entre as crianças sobre pontos como recursos hídricos e geração de resíduos sólidos. A MS Gás, destacou ele, é parceria na distribuição de materiais. A missão, pontuou, é fazer a criança entender que “o ambiente é um sistema que precisa estar equilibrado para gerar qualidade de vida”.

“O que você come, o que você bebe, o que você veste sai do ambiente, que precisa estar equilibrado. Uma história que contamos na Educação Ambiental é a de uma galinha dos ovos de ouro: se não a matar, você terá um ovo de ouro todo dia”, destacou, ao defender que o tema, em vez de ser abordado como uma disciplina própria, seja disseminado nas diferentes matérias já existentes.

Educação

Criado com uma finalidade social junto a crianças carentes, o Projeto Florestinha atua com a “prevenção da prevenção”, disse o tenente-coronel, ao manter a criança distante da delinquência, e em seguida as transforma em divulgadoras da Educação Ambiental. A expectativa é de que, no longo prazo, isso vai ajudar a reduzir o trabalho repressivo da PMA, por formar cidadãos mais conscientes.

“O trabalho de Educação Ambiental sempre foi pensado pela PMA desde sua criação, no fim da década de 1980, quando a ação necessária era repressiva. Havia a caça do jacaré, que estava perto da extinção, e a imprensa nacional e internacional dizia que Mato Grosso do Sul não daria conta do problema. Foi uma verdadeira guerra, mas desde aquela época já fazia a Educação Ambiental”, lembrou Queiroz, segundo quem “só se minimiza o problema se trabalhar a mudança de cultura”.

Ele ainda lembrou que as crianças que receberam os primeiros ensinamentos, hoje, são agentes que planejam o futuro do meio ambiente. “Se continuarmos trabalhando teremos cidadãos com técnicas novas de planejamento, melhores que as que planejamos. Mas, infelizmente, temos de continuar a reprimir, porque a ganância humana é grande”.

Ele ainda apontou o ponto negativo das atividades repressivas por só ocorrerem quando o problema já se instalou. “Quando você prendeu alguém com uma tonelada de peixes, eles já estão mortos. Um desmatamento de 10 mil hectares já gerou danos como assoreamento e desaparecimento da fauna. A repressão, infelizmente, continua, mas com a priorização do trabalho educacional para essa mudança cultural e o entendimento de que a riqueza, a energia do planeta, embora mal distribuídas, precisam estar equilibradas”, disse, lembrando também que esse trabalho vale para deixar um legado para os filhos e netos da atual geração.

O próximo passo do trabalho de ensino chegará aos assentamentos. O tenente-coronel revelou que tenta obter, via parceria, um veículo off-road exclusivo para ações de Educação Ambiental nessas localidades. “Ao longo do tempo, a PMA identificou problemas ambientais nos assentamentos”, revelou. “Eles veem as reservas em volta e praticam diversas infrações ambientais. Isso só vai ser minimizado quando trabalharmos com os filhos dessas pessoas e alertas estas mesmas de que há normas”.

Queiroz complementou que as ações incluem, também, o ambiente artificial –o urbano–, com medidas que vão desde o plantio de mudas a palestras com setores da sociedade civil. “Precisamos pensar o ambiente como um todo, complexo e frágil”. O comandante da PMA complementou dizendo que a temática ambiental é relativamente nova, ganhando mais espaço a partir da década de 1990.

“Antigamente se pensava em floresta como um problema. Era entrar e desbravar. O proprietário rural via uma área de nascente e fazia uma lagoa para o gado beber. Hoje tem consciência de que seu bem mais valioso é a água. Dificilmente tem um proprietário desmatando ilegalmente, pelo menos entre os que pensam na propriedade como um sustento seu e de seus netos. Felizmente, a cada ano, vemos as pessoa cuidando mais do ambiente”, finalizou.

Interessados em contar com palestras e ações da PMA em escolas podem solicitar uma visita por meio do e-mail pma_ms@yahoo.com.br.

Sintonize – Com produção de Rose Rodrigues e Alisson Ishy e apresentação de Maristela Cantadori e Anderson Barão, o Bom Dia Campo Grande permite a você começar o seu dia sempre bem informado, por meio de um noticiário completo, blocos temáticos e entrevistas sobre assuntos variados. O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 7h às 8h30, na Educativa 104.7 FM e pelo Portal da Educativa.  Os ouvintes podem participar enviando perguntas, sugestões e comentários pelo WhatsApp (67) 99333-1047 ou pelo e-mail bomdiacampogrande2018@gmail.com.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *