plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Vinicius Siqueira: “Pretendo mudar o rumo da cidade”

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Vinicius Siqueira  (Vinicius de Siqueira)

Candidato à Prefeitura de Campo Grande pelo Partido Social Liberal (PSL). O candidato a vice  é Rhiad Abdulahad (PSL)

Tem 44 anos e é casado com Francieli  Ribas Nunes com quem  tem um filho. Tem  uma filha do primeiro casamento. É formado em direito e tem pós graduação em prevenção e repressão em corrupção e lavagem de dinheiro .  É servidor público estadual , como oficial de justiça há mais de 15 anos Em 2016, foi eleito vereador de Campo Grande com 3.386 votos. Antes de ser eleito vereador  participou de um grupo em Campo Grande chamado “Chega de Impostos ” que coordenou os movimentos de pró impeachment da então presidente Dilma Roussef (PT). 

  • Porque quer ser prefeito de Campo Grande? 

Vinicius Siqueira: Quero ser prefeito de Campo Grande por que essa gestão não pode continuar. É uma gestão que tem prejudicado muito a cidade,  administrando mal Campo Grande em todos os seguimentos,  que nós analisamos e estudamos.  Vemos a quebra dos indicadores de qualidade e desenvolvimento de Campo Grande. Isso não pode continuar, por isso, eu me coloquei como candidato a prefeito e pretendo mudar o rumo da cidade.  

  • Qual será sua prioridade quando eleito? 

Vinicius Siqueira : A minha prioridade é o combate à corrupção e especialmente,  a boa gestão pública,  como mudar algumas coisas que existem em Campo Grande, como os gastos com tapa-buraco, que gastamos demais. Campo Grande precisa rever essa formula nossa do asfalto, com urgência, concorrência no transporte público e especialmente desenvolver indústria e comércio em Campo Grande, que está muito precário. Nós não conseguimos desenvolver quase nada nesses quatro anos. 

  • Em 2021, no pós Covid, como pretende recuperar a economia em Campo Grande? 

Vinicius Siqueira : Nos recuperaremos a economia de Campo Grande, fazendo uma análise da cadeia produtiva de todos os produtos que são produzidos em Campo Grande.  Eles passam por uma série de processos, por exemplo, quando você vai produzir um sapato você tem que plantar um pasto, ter um boi, esse animal tem que ser abatido e depois vai para o curtume esse processo todos os produtos tem. Nós temos que reparar as cadeias produtivas. Cada passo desse que estiver faltando,  nós temos que incentivar para que gere emprego aqui e não prejudique as empresas que já existem. 

  • Em seu plano de Governo qual a proposta para os jovens e também para os idosos?  

Vinicius Siqueira : Um dos maiores problemas do jovem hoje é o primeiro emprego, a colocação no mercado de trabalho. Campo Grande tem muito pouco projetos, e na minha opinião, ineficientes, de colocação desse jovem no emprego. A nossa proposta é melhorar isso. Dar uma atenção especial para quem está entrando no mercado de trabalho, inclusive com cursos, com mais instrução, para que possa ter mais segurança para entrar no mercado. Quanto aos idosos, nós temos que ter mais atenção com os idosos na saúde. Os idosos tem um problema muito grande, em geral, de solidão. Os filhos cada vez mais atarefados deixam os pais mais sozinhos e nós temos que procurar mecanismos na prefeitura para que esses idosos se sintam acolhidos e tenham mais lazer, mais entrosamento entre si. Campo Grande é uma cidade que não tem tanto aporte turístico. Nós não temos praia, não tem rio para o idoso passear e isso agrava a situação dos idosos de Campo Grande. Nós temos que ter esse olhar para entender que os idosos estão cada vez mais sozinhos e seus filhos cada vez mais atarefados. Nós temos que fazer que eles não se sintam abandonados. 

  • Na área cultural, castigada na Pandemia, qual será sua proposta? 

Vinicius Siqueira : Na área da Cultura o nosso projeto é um pedido antigo da categoria. Nós pretendemos fazer duas propostas:  um por cento do orçamentário para a cultura, que é um pedido antigo de Campo Grande, e também que a pasta seja gerida por artistas. Nós não queremos que essa pasta seja dirigida por políticos. Direção nas mãos dos profissionais de cultura e mais recursos para área.     

  • Como será o relacionamento de sua gestão com o Governo Estadual e com o Governo Federal 

Vinicius Siqueira : As relações são institucionais. Os governos tem que conversar tem que se ajudar mutualmente. Eu não terei problema algum em manter diálogo com o governo estadual e terei diálogo muito bom com o Governo Federal já que a nossa senadora {Soraya Thronicke) e nosso deputados são base do governo. A relação com o governo Federal é mais tranquila. Agora com relação ao governo estadual. Nós temos que vero que vai acontecer, pois há um projeto no STJ (Superior Tribunal de Justiça) que pode gerar o afastamento e ainda não sabemos quem será o governador quando assumirmos a prefeitura no dia 1° de janeiro. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *