plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Tecdicas: entenda a “supremacia quântica” atingida pelo Google

Matheus Neivock explicou no Bom Dia Campo Grande desta sexta-feira como funciona a tecnologia anunciada pela gigante da internet e suas aplicações em geral

O Google anunciou nesta semana ter atingido a “supremacia quântica”, ao fazer com que um computador que se vale dessa tecnologia resolvesse um cálculo que um equipamento comum levaria 10 mil anos. Nesta sexta-feira (25), o Tecdicas do Bom Dia Campo Grande conversou com o professor Matheus Neivock, diretor de Empreendedorismo e Inovação do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, para saber um pouco mais sobre esta conquista –bem como quando ela poderia estar disponível para o público.

Chip utilizado em supercomputador do Google usa tecnologia de qubits. (Foto: Nature/Reprodução)
Chip utilizado em supercomputador do Google usa tecnologia de qubits. (Foto: Nature/Reprodução)

“Uma coisa bem bacana para a gente começar falando sobre este tema é a maneira que a nossa computação trabalha, que vai ser completamente revolucionada com este novo método”, disse ele à Educativa 104.7 FM, ao explicar como funciona um computador comum funciona e a diferença de funcionamento do sistema quântico.

“Nossa computação, hoje, é baseada em bits, a informação de 0 e 1. Pense em uma lâmpada: ela está ou ligada ou apagada. Com combinações disso, entre ligado e apagado, o computador tem uma série de comandos. Com o computador da Google, você tem a lâmpada acesa e apagada e estados entre o aceso e o apagado. Então todos os estados entre o 0 e o 1 podem ser processados. É algo que os computadores antigos não fazem”, disse Neivock.

O resultado dessa mudança, destacou ele, está na velocidade de processamento. “A supremacia quântica é quando a computação atual não consegue resolver um problema e o computador quântico, sim. Essa operação que a Google divulgou, em um computador tradicional, levaria 10 mil anos para ser resolvida. O computador quântico encontrou a resposta em dois minutos e meio. Foi um grande avanço”.

A informação colocaria a Google em vários patamares acima de concorrentes, que questionaram o resultado –uma delas foi a IBM. Isso porque a gigante de tecnologia, caso domine a técnica, terá um imenso mercado de possibilidades. Neivock usou como exemplo um usuário comum, que já se mostra impaciente quando seu equipamento demora para processar uma informação, como acessar a um site. Porém, a análise vai muito além. “Se você tem a opção de ter um computador que faz operações extremamente rápidas, as possibilidades são infinitas para o mundo científico”, pontuou.

Da descoberta da tecnologia até sua popularização, porém, ainda há um caminho a ser seguido. “É uma tecnologia ainda muito restrita, por ser difícil de ser feita. É preciso, por exemplo, um chio específico, que demanda uma tecnologia de construção que, hoje, não é bem firme. O computador da Google usava 54 qubit (lê-se quilbit, que é justamente a variação entre 0 e 1 do bit padrão), um novo tipo de processamento. E um dos processadores queimou, decidiram tocar o projeto com 53. Isso mostra que não está estável”, explicou o professor.

A tendência dessa tecnologia, explicou ele, é que ela alcance primeiro os grandes computadores usados por empresas com maior demanda de processamento de dados, “e com o passar dos anos, os outros usuários e, depois, nos nossos smartphones. Aí teremos uma possibilidade infinita”.

Outro desafio a ser contornado é justamente o poderio dessa nova tecnologia com suas aplicações em inteligências artificiais, destacou o professor.

“Ela abre uma possibilidade de multiplicar, de forma quase infinita, a capacidade de interação para tomada de decisões mais acertadas. Mas outra questão a se levar em conta: o computador quântico da Google fez um cálculo que levaria 10 mil anos em dois minutos e meio, então, imagine quebrar uma senha com um equipamento desses. Os entusiastas das teorias da conspiração ficam preocupados de a Google usar o computador para coisas negativas, como acesso a dados privados. Mas isso entra em outra área, da Ética Computacional, sobre o que fazer com esse poder gigantesco”, finalizou.

O Tecdicas é um dos quadros do Bom Dia Campo Grande que trazem informações relefantes sobre temas diversos –como Direito do Consumidor (às segundas-feiras), Direito Trabalhista e Previdenciário (terças), Saúde (quartas), Mercado de Trabalho e Empreendedorismo (quintas) e Tecnologia (sextas). Os ouvintes podem enviar suas dúvidas e sugestões de assunto para serem respondidos pelos especialistas parceiros da Educativa 104.7 FM pelo WhatsApp (67) 99333-1047 ou pelo e-mail reporter104fm@gmail.com.

Sintonize – Com produção de Daniela Benante, Eliane Costa e Alisson Ishy, reportagens de Daniela Nahas, Zilda Vieira, Katiuscia Fernandes, Bernardo Quartin e Gildo Pereira, apresentação de Maristela Cantadori e Anderson Barão, coordenação e edição de Rose Rodrigues e apoio técnico de Roberto Torminn e do DJ juju, o Bom Dia Campo Grande permite a você começar o seu dia sempre bem informado, por meio de um noticiário completo, blocos temáticos e entrevistas sobre assuntos variados.

O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 7h às 8h30, na Educativa 104.7 FM e pelo Portal da Educativa.  Os ouvintes podem participar enviando perguntas, sugestões e comentários pelo WhatsApp (67) 99333-1047 ou pelo e-mail reporter104fm@gmail.com.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *