RTVE: Inovação garante sucesso do Festival América do Sul Pantanal, avalia secretário

Compartilhe:

O Festival América do Sul Pantanal, que nessa 12ª edição inaugurou novo formato, superou as expectativas, avaliou o secretário de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação, Athayde Nery. Em entrevista ao Jornal do Rádio da 104 FM, Athayde Nery fez um balanço do festival e destacou a iniciativa de abrir a programação para os artistas locais e regionais, sem perder a sua característica principal, que é a de promover a integração das culturas sul-americanas.

Neste ano a alegria ficou por conta da estreia das escolas de samba, que nas edições passadas não foram incluídas na programação.

00000
Athayde Nery, secretário de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Foto: Rogério Medeiros)

“Corumbá se sentiu como anfitriã do festival e o governador Reinaldo esteve lá junto com sua esposa e puderam presenciar um momento emocionante, nos doze anos deste festival nunca aviam sido chamadas as escolas de samba e das dez escolas que desfilam na cidade, oito estiveram à frente da abertura recepcionando o Festival”, destacou Athayde.

O secretário disse que o resultado positivo desse novo formato, com algumas inovações, comprova o acerto da organização, que se orientou pela vontade popular, ouvindo os vários segmentos da comunidade corumbaense. “Não resta dúvida que o êxito se deve a essa união, das pessoas da cidade com os organizadores do evento, onde todas as ideias se convergiram. O formato enxuto e sem duvida o prefeito de Corumbá Paulo Duarte foi muito importante no processo, o servidores públicos maravilhosos, uma equipe de mais de 100 pessoas envolvidas no processo e voltaremos em 30 dias a Corumbá para fazermos uma análise crítica afim de melhorar a próxima edição”, disse o secretário de cultura.

Público

De acordo com o secretário de Cultura, o balanço apontou para um público de mais de 50 mil pessoas as 108 atividades culturais durante os três dias de festival. O público calculado pela organização do Festival leva em conta o número de pessoas que estiveram presentes em cada atividade que, além da performance dos artistas, contou com oficinas, seminários e festival gastronômico.

Integração

As ações culturais do Festival América do Sul Pantanal se estenderam também às cidades de Ladário, Puerto Suárez e Puerto Quijarro. Participaram 470 artistas nos três dias de apresentações de música, teatro, dança, gastronomia, artesanato, oficinas, seminários e atividades de lazer, além de exposição de artes plásticas, fotografia e cinema.

Foram convidados 298 artistas de Corumbá, 101 das demais regiões do Estado, 43 de outros Estados e 28 de nove países da América do Sul – Paraguai, Bolívia, Chile, Colômbia, Peru, Equador, Venezuela, Argentina e Uruguai.

O público foi brindado com shows de  Almir Sater, Marcelo Loureiro, Geraldo Espíndola, Grupos Acaba, Deixa Falar, Fala Mansa, Juci Ibañes, Generacion (Paraguay), Orquestra de Viola Caipira e Tambores de Tocantins. Athayde Nery disse que nessa edição do festival o nome oficial passou a incorporar Pantanal, que era uma reivindicação da população de Corumbá.

Parcerias

Athayde Nery destacou o apoio de parceiros na realização do festival. São eles a Vale, Fibria, m Gás, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Sesc, Andorinha, Sanesul, Instituto do Patrimônio Histórico (Iphan), Fundação de Turismo (Fundtur) e Fundação Estadual de Desenvolvimento da Pesquisa, Ciência e Tecnologia (Fundect) e Radio e TV Educativa (RTVE). Nos próximos anos, segundo o secretário de Cultura, devem ser restabelecidos os patrocínios da Petrobras, Banco do Brasil, Caixa e da concessionária de energia elétrica (hoje Energisa).


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *