Panorama MS: Caminhar não é o melhor exercício para idoso, diz geriatra

Compartilhe:

Campo Grande, MS – Envelhecer com saúde é um desafio, mas não impossível se houver uma boa orientação médica, segundo o geriatra Marcus Blini, que no programa Panorama MS desta quinta-feira falou sobre cuidados que são imprescindíveis aos idosos. De acordo com o geriatra, a caminhada não é um exercício recomendável para idosos acima dos 80 anos. Ele orienta para a musculação, os chamados exercícios resistidos, pois as caminhadas implicam em alguns riscos, como a queda, que pode provocar lesões graves e fraturas ósseas. O ideal, segundo o geriatra, é fortalecer os músculos.

O geriatra Marcus Blini foi entrevistado pelos jornalistas Carlos Filho e Gisllane Leite, apresentadores do Panorama MS (Foto: Beatriz Rieger)

O médico entrevistado no Panorama MS diz  que no Brasil há poucos geriatras, mas observa que qualquer clínico é capaz de orientar o “jovem idoso”, pessoas de 60 a 70 anos. Sobre a demência, que acomete as pessoas em idade mais avançada, o geriatra reforça que o comprometimento do cérebro é uma causa gradual na medida que a pessoa fica velha e caracteriza-se pela perda de funções como dirigir, administrar finanças. Nesse aspecto, o tratamento leva em conta a necessidade de estimular o raciocínio, que pode ser feito por tratamentos terápicos. “A curva da demência é gradativa e uma pessoa perto dos 100 anos pode chegar a 50%¨de perda de memória, por exemplo”.

O geriatra Marcus Blini (Foto: Beatriz Rieger)

A atividade física, por sí só, não é considerada fundamental apenas a idosos, ela “é importante desde sempre. A pessoa pode chegar aos 80 anos sem doenças crônicas, mas nem por isso pode se dizer que está envelhecendo com saúde. Você pode ter pequenos acidentes vasculares e, ao menos perceber”, diz o geriatra, pontuando que a insônia crônica e o estresse são indicativos que podem resultar em doenças cardiovasculares, ansiedade e depressão.

O médico adverte para o uso excessivo de medicamentos como prejudiciais ao equilíbrio do idoso, que pode ter tonturas clássicas, muitas vezes confundidas com labirintite, que podem ser a vertigem, que dá a sensação que a pessoa está rodando. E a tontura simples, sentida no momento em que a pessoa se levanta, uma vazio na cabeça. O uso de psicotrópicos em demasia causa tonturas e alterações de pressão.

O geriatra diz que não se deve buscar tratamentos alternativos sem comprovação científica e o uso de suplementos alimentares deve ter acompanhamento médico após os 60 anos. Ele lembra que a boa alimentação é suficiente para suprir as necessidades de vitamina, mas sugere o suplemento de vitamina D para o fortalecimento da estrutura óssea e muscular, e o complexo B12, presente na carne vermelha, cuja ingestão é reduzida pelos idosos em razão do paladar e dificuldades na mastigação.

Algumas dicas são importantes para envelhecer com saúde, mas algumas delas devem ser adotadas desde a idade jovem.

São elas:

  • Realizar exames periódicos é uma medida eficaz na identificação de doenças na sua fase inicial e com isso evitar que elas se agravem com o tempo;
  • Prática de exercícios físicos regularmente;
  • Alimentação saudável;
  • Evitar hábitos ruins; e
  • Vida social ativa.

(Edmir Conceição)


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *