plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

18 de abril de 2024 - 01:26

Minuto da Saúde: vacina não causa gripe; saiba mais sobre a imunização

Veruska Lahdo, superintendente da Sesau, fala ao Bom Dia Campo Grande sobre exceções para a vacinação contra a Influenza e orienta sobre cuidados para não pegar ou “passar” gripe
Vacinação é obrigatória para alguns grupos, como pessoas com mais de 60 anos; em caso de febre, recomendação é adiar a imunização. (Foto: PMCG/Arquivo)
Vacinação é obrigatória para alguns grupos, como pessoas com mais de 60 anos; em caso de febre, recomendação é adiar a imunização. (Foto: PMCG/Arquivo)

A vacina contra a gripe é feita com vírus inativos e, por isso, é totalmente segura. Ainda assim, pessoas que estejam com quadro de febre têm recebido recomendação para aguardar a melhora da saúde antes de serem imunizadas. A explicação partiu de Veruska Lahdo, superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande), que nesta quarta-feira (15) participou do quadro Minuto da Saúde, do Bom Dia Campo Grande.

Veruska respondeu na Educativa 104.7 FM questionamento da ouvinte Antonieta da Silva Rodrigues. Moradora do Conjunto José Abrão, na Capital, ela disse estar com tosse e rouquidão, mas gostaria de ser vacinada contra a gripe e, em outras vezes, deixou de ser imunizada porque ouviu que a medicação “fazia mal”.

“Cada quadro precisa ser avaliado”, advertiu a superintendente, recomendando que, caso a pessoa que vá se vacinar esteja doente, que passe pelo profissional da Unidade Básica de Saúde de sua região. “Em regra, quando a pessoa tem febre, evitamos imunizar. Mas a vacina não tem contra indicação”.

Veruska Lahdo rebateu o “mito” de que a vacina contra a gripe faz mal, deixando as pessoas doentes logo depois da aplicação. “Ocorre que a pessoa já está entrando em um ciclo de resfriado, toma a vacina e associa com a gripe. A vacina é segura, feita com vírus inativo. Não tem risco nenhum”, sentenciou.

Quem deve ser vacinado

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza segue até dia 31 de maio nas unidades de saúde, sendo restrita, neste momento, a alguns segmentos: têm direito à vacina pessoas acima dos 60 anos; crianças de até 5 anos, 11 meses e 29 dias; gestantes e puérperas (mulheres que deram à luz em um intervalo de 45 dias); professores das redes pública e privada, profissionais de saúde; funcionários do sistema prisional; detentos e adolescentes que cumpram medidas socioeducativas; e integrantes das Forças Armadas. “Estes podem ir até 31 de maio nas unidades de saúde para tomar a vacina”.

A superintendente pede que os participantes desses grupos de risco procurem o mais rapidamente possível as unidades de saúde para serem vacinados, uma vez que a vacina leva tempo para surtir efeito. A campanha, explicou, é realizada justamente antes dos períodos de mais frio, quando doenças respiratórias são mais frequentes.

“A campanha é realizada antes do inverno para que, quando chegar o frio, tenha uma gama de pessoas imunizadas contra a influenza. Agora teremos frentes frias mais constantes. O ideal é que a pessoa tome a vacina antes porque tem um prazo de 15 dias, mais ou menos, para ter o efeito esperado no organismo. Então, não deixe para a última hora: já temos a primeira frente fria e logo começarão a aparecer casos de gripe e resfriado”, destacou.

Cuidados

Já para quem está fora do grupo de risco, Veruska recomenda atenção extra à higiene e, em caso de já manifestar sintomas da doença, que se evite aglomerações ou locais fechados.

“Não fique perto de outras pessoas, cubra o nariz com um lenço ao espirrar e lave as mãos. É importante higienizar as mãos com álcool em gel nos casos de pessoas que lidam com outras ou com dinheiro. Costumamos tocar muitos objetos durante o dia, por isso, mantenha sempre o álcool em gel ao lado para higienizar as mãos. Evite levar as crianças com gripe à escola, pois podem ser um risco para outras pessoas”, explicou a superintendente.

Veruska advertiu que a precaução é baseada em medidas simples, porém, as pessoas não costumam dar a devida atenção à gripe. “Mas a Influenza é grave e pode matar. A vacina não evita a doença, mas sim as complicações como internações e, assim, os riscos de óbito. É um ponto importante como ferramenta de prevenção, mas há outros, como os hábitos de higiene, se evitar ambientes fechados, arejar os cômodos, evitar contato próximo. A gripe se transmite de pessoa para pessoa, então, quanto mais gente imunizada, menos risco de ter gente doente”, finalizou.

O Minuto da Saúde é um dos quadros temáticos do Bom Dia Campo Grande, que, diariamente, ouve especialistas que trazem dicas sobre Defesa do Consumidor, Direitos Trabalhistas e Previdenciários, Saúde, Mercado de Trabalho, Tecnologia e Informática. Os ouvintes podem mandar suas dúvidas em mensagens pelo WhatsApp (67) 99333-1047.

Sintonize – Com produção de Rose Rodrigues e Alisson Ishy e apresentação de Maristela Cantadori e Anderson Barão, o Bom Dia Campo Grande permite aos ouvintes começarem o dia sempre bem informados, por meio de um noticiário completo, blocos temáticos e entrevistas sobre assuntos variados. O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 7h às 8h30, na Educativa 104.7 FM e pelo Portal da Educativa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *