plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

1 de março de 2024 - 06:55

Governo conclui obras inacabadas e vai pavimentar rodovias em todas as regiões

Em três meses o Governo do Estado investiu R$ 20 milhões na recuperação e manutenção de rodovias pavimentadas e sem asfalto. Ao longo do ano, de acordo com o secretário de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, o governo do Estado fez aporte de R$ 155 milhões para a conclusão de obras inacabadas. Segundo o secretário, a decisão do governo de investir em obras herdadas da gestão passada leva em conta a relação custo benefício. Miglioli lembra que o prejuízo para a população é enorme quando há interrupção de obras em razão da troca de governo: há desperdício de dinheiro e a população acaba privada de um benefício essencial.

tatu3
Pavimentação da MS 180

Enquanto o Estado busca o equilíbrio das contas e regulariza o parque de obras inacabadas, o governa\dor Reinaldo Azambuja negocia a contratação de empréstimo no valor de R$ 2,9 bilhões para pagamento dos juros da dívida com a União. Desse modo, segundo o governador, o Estado ganha fôlego e aumenta a receita, já que passará, depois de carência, a pagar juros bem menores das taxas de desembolso à União.

De acordo com o secretário de Infraestrutura e diretor-presidente da Agesul, Marcelo Miglioli, até o final do ano ao menos 80% das obras deixadas pelo governo passado estarão concluídas. “Este ano além de focar no término dessas obras também elencamos a manutenção das rodovias pavimentadas e não pavimentadas com um aporte de R$ 155 milhões, dos quais já foram gastos R$ 20 milhões e contemplados mais de 500 quilômetros de rodovias”. A quilometragem total das rodovias a serem contempladas é de 13.650 quilômetros, sendo 4.519 de estradas pavimentadas e 9.135 não pavimentadas.

Dez anos sem manutenção

Entre as rodovias pavimentadas que passam por manutenção estão a MS-080, que liga Campo Grande a Rochedo; MS-379, entre o entroncamento da MS-463 e Laguna Caarapã; MS-156 e MS-470, que abrangem os municípios de Dourados, Itaporã e Douradina, além do distrito de Macaúba; MS-176, do entroncamento da BR-163 a Deodápolis; MS-475, entroncamento da MS-141 a Novo Horizonte do Sul; MS-162, do distrito de Quebra Coco a Sidrolândia, entre outras.

tatu2
Pavimentação da MS 345

Já entre as não pavimentadas que estão recebendo encascalhamento estão MS-156, que liga Dourados a Caarapó; MS-270; MS-347, no entroncamento da MS-162 no Córrego Engano, na região de Campo Grande; MS-340, entroncamento BR-163 ao distrito de Baianópolis; na região de Camapuã a MS-441, MS- 245 e MS-338; e no município de Ponta Porã, a MS-280, MS-379 e MS-380. Também foi realizada a construção de um aterro na região de Nova Andradina, na MS-134.

José Rodrigues, um dos beneficiados com os trabalhos de encascalhamento da MS-245, considerou os trabalhos um grande feito para a região. “Estamos numa localização que produz soja, milho, floresta e gado e há dez anos não recebíamos um trabalho efetivo de manutenção. Apenas quando tínhamos problemas críticos, quando os caminhões já não conseguiam passar por determinados lugares é que tínhamos um auxílio. Eram ações pontuais em situações extremas”, contou.

A manutenção das rodovias não é um trabalho pontual e segundo o secretário de Infraestrutura o fato de o programa ter um prazo, até setembro de 2016, não significa que as rodovias serão deixadas de lado. “A manutenção é e deve ser um trabalho constante”.

Obras Inacabadas

A preocupação com a perda de dinheiro público com a não conclusão das obras anteriores à atual gestão fomentou o Programa Obras Inacabadas Zero.

Em um ano o Governo do Estado entregou, na parte de empreendimentos civis, o simbólico campus da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) na Capital, a reforma e ampliação do prédio do Hemosul, a construção da Delegacia Civil no município de Paraíso das Águas, o prédio do Corpo de Bombeiros em Sidrolândia entre outras 87 obras.

No setor rodoviário seguem em execução a pavimentação do acesso a indústria Frango Bello, no município de Itaquiraí; a MS-178 em Bonito, no entroncamento BR-267/MS; a MS-345, na Travessia Águas do Miranda, a MS-180, entre outras. Diversos municípios do interior também foram contemplados com a pavimentação asfáltica como Aparecida do Taboado, Alcinópolis, Caarapó, Dois Irmaos do Buriti, Glória de Dourados, Guia Lopes da Laguna, Ivinhema, Pedro Gomes e mais outros 15 que além da pavimentação receberam a restauração em diversas ruas e avenidas.

tatu2Pontes também entram na contabilidade das rodovias. As três que estavam inacabadas, nos municípios de Rio Verde, Paranhos e a MS-386 em Aral Moreira, já foram concluídas. No entanto, O Governo do Estado já iniciou a construção de mais duas que irão beneficiar os municípios de Bela Vista e Anastácio. Ambas são de concreto, a ponte sobre o rio Caracol terá 70 metros de extensão e previsão de entrega para maio de 2016. Já a ponte sobre o Córrego Ralador, próxima à colônia Monjolinho, terá 15 metros e previsão de conclusão para janeiro do próximo ano.

O saneamento básico teve o menor número de obras concluídas uma vez que parte dos recursos para execução dos serviços depende de aporte do Governo Federal. De um total de 55 contratos inacabados, seis foram concluídos e 27 encontram-se em execução e o montante de contratos chega a R$ 244 milhões.

Expectativa

Para 2016 o objetivo é encerrar o Programa Obra Inacabada Zero, realizar novas pavimentações urbanas em diversos municípios em parceria com a bancada federal, onde cada R$ 1 milhão concedido pela bancada terá contrapartida de R$ 1 milhão do Estado de MS. “Já conseguimos a liberação de R$ 22,5 milhões da bancada”, afirmou o secretário.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *