Fórum Mundial da Mídia Eletrônica: Governo aposta em conteúdo para a Juventude

Compartilhe:

A TV Educativa de Mato Grosso do Sul terá nova cabeça de rede, incorporando em sua grade de programação conteúdos da TV Cultura de São Paulo, a terceira emissora pública mais qualificada no mundo. O anúncio foi feito pelo diretor-presidente da Rádio e TV Educativa (RTVE) jornalista Bosco Martins no segundo dia de palestras no 1º Fórum Mundial de Jornalista da Mídia Eletrônica, que encerra nessa quinta-feira no Zagaia Eco Resort, em Bonito. E a nova programação vem com a missão de oferecer conteúdo para a juventude, a grande massa consumidora de informações e dados, em razão da Internet.

3
Jornalista Bosco Martins, diretor-presidente da RTVE

Falando em nome do Governo do Estado para aproximadamente 100 estudantes da Rede Municipal de Ensino de Bonito e cerca de 50 jornalistas de várias partes do País e do mundo, Bosco Martins dedicou a maior parte da palestra na abordagem sobre a produção de conteúdo para a juventude, aproveitando, em clima leve e descontraído, o interesse dos estudantes pelas discussões feitas no evento.

Reportando-se à Conferência Nacional de Comunicação, que tratou da “conformação da juventude enquanto um campo complexo e diverso”, Bosco lembrou que “para os jovens, a comunicação é fundamental para uma sociedade democrática”. Para o jornalista, hoje é muito latente o amadurecimento da questão da comunicação entre os coletivos jovens, até pela densidade demográfica, estimando-se que em cada um dos 40 milhões de lares brasileiros há pelo menos duas crianças e um adolescente.

“As estatísticas mostram que as crianças passam pelo menos quatro horas em frente da TV ou na internet, acessando os mais diversos conteúdos. Daí a necessidade de qualificar a produção desses conteúdos disponibilizados nas emissoras e dispositivos móveis, como os smartphones”.

4
Josemir Bispo, Gerente de Tecnologia e Internet da RTVE e desenvolvedor do Portal da Educativa

A conferência, seguida de palestra do Gerente de Tecnologia e Internet da RTVE, Josemir Constantino Bispo, mostrou que em relação ao conteúdo, as propostas abarcam as demandas de uma melhor programação voltada ao público jovem, que buscam não apenas o entretenimento, mas também temas políticos, sociais e culturais, interagindo inclusive com os canais de diálogo.

“A ideia com a estratégia de novos conteúdos pela mídia eletrônica é assegurar a distribuição. Não basta produzir e gerar e a grande tarefa das emissoras públicas é distribuir, disponibilizar os conteúdos que atendam as demandas dos jovens”, disse o diretor-presidente da RTVE .

Segundo ele, a nova grade de programação da TV Educativa deve ser lançada após a assinatura de contrato entre o Governo do Estado, por meio da Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa (Fertel-MS) e a Fundação

Multiprogramação

“Por orientação do governador Reinaldo Azambuja estamos recuperando a missão-prima das emissoras do Estado e galvanizando seu papel de promover a formação crítica do homem para o exercício da cidadania, através da educação, cultura e entretenimento”.

O governador Reinaldo Azambuja, que nessa quinta-feira recebe o ministro das Comunicações, André Figueiredo, aprovou a interlocução para que a TVE seja equiparada com as entidades públicas de radiodifusão com os canais da União para transmitir sinais em multiprogramação e geração e produção de conteúdos de Internet.

Imersão na cultura tecnológica

“Algumas emissoras já projetam conteúdos para ser disponibilizados na rede móvel (smartphones), mas com custo ao usuário, embora acessíveis. Daí a importância da consolidação do papel das emissoras públicas em colocar na grande nuvem o conteúdo opcional, gratuito, porém com a mesma ou melhor qualidade, aos nativos digitais, os adolescentes e jovens que estão conectados na internet”.

“Convivemos hoje em dia com uma geração de jovens que já foi socializada no mundo das mídias e está imersa na cultura tecnológica. Mas um olhar mais aprofundado para esta relação se faz necessário, sob o risco de ela se tornar uma verdade esvaziada de sentido”, observa o Gerente de Tecnologia e Internet da RTVE, Josemir Bispo, desenvolvedor do Portal do Educativa.

“Somente ao refletirmos sobre o modo como os jovens enxergam as mídias e sobre os diversos usos que fazem delas e de suas ferramentas, podemos compreender a riqueza desta relação”, completa Bosco Martins.

De acordo com o diretor-presidente da RTVE, as emissoras públicas estão vencendo o período de fragilidade em razão das interferências políticas sofridas ao longo das últimas décadas. Com o advento da internet, houve uma democratização da informação que deve estar sempre a serviço da sociedade pela sua condição de bem social.

“A indústria televisiva brasileira cresceu, estabeleceu-se e tem mostrado sua eficiência. Porém, a competição pela maior audiência na TV aberta passou a determinar a programação, gerando nos dias de hoje, por vezes, a banalização da violência, do sexo, a discriminação e o preconceito, ignorando valores culturais da identidade regional, mas esse quadro está mudando”, completa o diretor-presidente da RTVE, lembrando que as novas tecnologias, que tem um forte apelo e fazem parte da vida cotidiana dos jovens, também ganham leituras políticas, quando reivindicam inclusão digital e acesso de alta velocidade como direitos, temas que fazem parte das prioridades do Ministério das Comunicações.

(Fotos: Rogério Medeiros)


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *