plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour
Pular para o conteúdo

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

24 de junho de 2024 - 03:32

Coleta de DNA de familiares de desaparecidos vai ajudar na resolução de homicídios, diz delegado  

Delegado Carlos Delano (Foto: Henrique Kawaminami/Campo Grande News)

A Campanha Nacional para Coleta de DNA de Familiares de Desaparecidos, lançada ontem, Dia Internacional das Crianças Desaparecidas, além de ajudar na localização de pessoas em lugar incerto e não sabido, vai contribuir na resolução de homicídios. Em entrevista nesta quarta-feira ao programa MS no Rádio 1ª Edição da Educativa FM 104.7, o delegado Carlos Delano, titular da Delegacia Especializada de Homicídios (DEH) disse que o programa de coleta de DNA é permanente. Ontem houve o lançamento simbólico,  mas o trabalho de investigação por meio de material genético é uma feferramentincorporada definitivamente na investigação de crimes até então insolúveis pelos métodos convencionais. Nessa entrevista o delegado cita caso de feminicídio apurado graças à confrontação de material genético. Todas as unidades policiais do País passam a ter acesso ao Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG), tanto para alimentar o sistema com materiais biológicos quanto para o cruzamento de dados. No Estado há 80 ossadas humanas sem identificação. “Se tivermos material genético das famílias dos desaparecidos em pouco tempo poderemos identificar a maioria dessas pessoas, dar andamento aos procedimentos policiais e esclarecer essas mortes”, diz o delegado Carlos Delano.

OUÇA A ENTREVISTA

 

 

Durante o lançamento da campanha no auditório da Sejusp, em Campo Grande, o secretário Adjunto de Justiça e Segurança Pública, coronel Ary Carlos Barbosa, lembrou que nos últimos 5 anos foram registradas em Mato Grosso do Sul 7.770 ocorrências de desaparecidos, 3.148 delas somente em Campo Grande. A diretora do Instituto de Análises Laboratoriais Forenses (IALF), Josemirtes Prado da Silva,  explicou que a coleta será feita de maneira massiva entre os dias 14 e 18 de junho próximo, sendo totalmente gratuita e voluntária. Materiais poderão ser entregues nos pontos de coleta da Campanha, que em Campo Grande funcionarão na Coordenadoria-Geral de Perícias e na DEH e, no interior, nas Unidades Regionais de Perícia e Identificação. 

 

 

 

 

 

 

 

SINTONIZE – MS no Rádio tem duas edições na Educativa FM 104.7. A primeira edição vai ao ar das 7h às 8h e a segunda edição das 17h30 às 18h30. O público pode participar pelo telefone 3318 1047, WhatsApp (67) 99333 1047 e por meio das redes sociais. Com apresentação de Paulo Yafusso e Mireli Obando (primeira edição) e Joel Silva e Eva Regina (segunda edição), o programa é transmitido também no portal da Rede Educativa (www.portaldaeducativa.ms.gov.br)

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *