Atletismo de MS conquista 16 medalhas na 1ª fase nacional do Circuito Brasil 2019

Compartilhe:

Mato Grosso do Sul faturou 16 medalhas na primeira fase nacional do Circuito Brasil Loterias Caixa de Atletismo 2019. A competição, organizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), foi realizada de 7 a 9 de junho, último final de semana, no Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro (CTPB), na Zona Sul de São Paulo-SP.

Das 16 medalhas, oito foram de ouro, quatro de prata e quatro de bronze. Mais do que a subida ao pódio, os atletas sul-mato-grossenses visaram a obtenção de índice técnico no Circuito Brasil, para a disputa do Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru, que ocorrerá de 23 de agosto a 1º de setembro deste ano.

Ao todo, Mato Grosso do Sul foi representado por 11 atletas de quatro clubes de atletismo: Associação Campo-Grandense Paradesportiva Driblando as Diferenças (ADD-MS) e Associação Seninha de Atletismo (Asa), de Campo Grande, além de Projeto Dourados Paralímpico e Centro de Apoio ao Portador de Deficiência Física de Dourados (CADD), ambos da segunda maior cidade do estado.

Confira os resultados:

OURO

– 100m feminino RR2/RR3 (RaceRunning – Petra): Flávia Silvério Torquato de Lima, 21 anos, Asa-MS – Classe RR3. Marca: 24s74;

– 100m masculino T37: Jonatan da Silva Ferreira, 23 anos, Dourados Paralímpico – Classe T37. Marca: 12s36;

– 200m feminino RR2/RR3 (RaceRunning – Petra): Flávia Silvério Torquato de Lima, 21 anos, Asa-MS – Classe RR3. Marca: 47s74;

– 200m feminino T13: Nathalya Mendonça Ribas, 17 anos, Asa-MS – Classe T13. Marca: 29s94;

 Arremesso de peso masculino F36: Mauro Lino Alves Pena Júnior, 40 anos, ADD-MS – Classe F36. Marca: 12,69m;

– Arremesso de peso feminino F42/F62: Rosenilda Aoyama, 40 anos, CADD – Classe F63. Marca: 6,66m;

 Salto em altura masculino T12/T13: Paulo Henrique Andrade dos Reis, 20 anos, Dourados Paralímpico – Classe T13. Marca: 1,74m;

– Salto em distância masculino T13: Paulo Henrique Andrade dos Reis – 20 anos – Dourados Paralímpico – Classe T13. Melhor marca: 6,46m.

Nathalya Mendonça é uma das revelações do paratletismo de MS (Foto: Arquivo pessoal)

PRATA

– 100m feminino RR2/RR3 (RaceRunning – Petra): Selma Vargas Ferreira, 28 anos, ADD-MS – Classe RR3. Marca: 25s64;

– 100m feminino T13: Nathalya Mendonça Ribas, 17 anos, Asa-MS – Classe T13. Marca: 14s54;

 200m feminino RR2/RR3 (RaceRunning – Petra): Selma Vargas Ferreira, 28 anos, ADD-MS – Classe RR3. Marca: 47s77;

– Salto em altura masculino T12/T13: Igor Miranda de Souza, 19 anos, Dourados Paralímpico – Classe T12. Marca: 1,65m;

Flávia e Jaqueline, da Asa-MS (Foto: Arquivo pessoal)

BRONZE

– 100m feminino RR2/RR3 (RaceRunning – Petra): Jaqueline Malavazzi da Costa, 31 anos, Asa-MS – Classe RR2. Marca: 38s56;

– 200m feminino RR2/RR3 (RaceRunning – Petra): Jaqueline Malavazzi da Costa, 31 anos, Asa-MS – Classe RR2. Marca: 1min26s71;

– 400m masculino T37: Jonatan da Silva Ferreira, 23 anos, Dourados Paralímpico – Classe T37. Marca: 1min00s35;

– Salto em distância masculino T12: Igor Miranda de Souza, 19 anos, Dourados Paralímpico – Classe T12. Melhor marca: 5,27m.

Rosenilda Aoyama no arremesso de peso (Foto: Arquivo pessoal)

Veja também os atletas que não subiram ao pódio, mas alcançaram marcas significativas no Circuito:

– 4º lugar nos 100m masculino T13: Paulo Henrique Andrade dos Reis, 20 anos, Dourados Paralímpico – Classe T13. Marca: 11s95;

– 7º lugar nos 100m masculino RR2/RR3 (RaceRunning – Petra): André Luiz Barroso Filho, 21 anos, ADD-MS – Classe RR2. Marca: 30s89;

– 7º lugar nos 5.000m masculino T36/T37/T38: Jean Adriano Rodrigues, 37 anos, ADD-MS – Classe T37 – Marca: 21min16s54.

No quadro geral de medalhas por agremiação, o Projeto Dourados Paralímpico foi o melhor colocando, terminar na 17ª posição. A Asa-MS ficou em 23º e a ADD-MS no 37º lugar. Com apenas uma medalha conquistada, o CADD terminou na 53ª posição.

Recorde das Américas – O destaque da competição vai para Mauro Lino Alves Pena Júnior, 40 anos, que vestiu as cores da ADD-MS, que bateu recorde das Américas na prova de arremesso de peso. Ele fez a marca de 12,69 metros na classe F36.

Mauro Júnior está “com um pé” dentro do Parapan e Mundial deste ano (Foto: Arquivo pessoal)

Em entrevista ao Esporte Ágil, a técnica de Mauro Júnior na ADD-MS, Marli Cassoli, afirma que já esperava bom desempenho do atleta e, possivelmente, uma quebra de recorde. “Eu esperava sim, mesmo após ele sentir um pouco de dores na lombar”. Ela ressalta também que esta foi a primeira competição nacional de Selma Ferreira. “Pela melhora nos tempos, com relação ao Regional, ela vai chegar longe”.

Marli Cassoli, que também é treinadora do Núcleo Paralímpico da Fundação Municipal de Esportes de Campo Grande (Funesp), destaca que a ADD-MS possui dois atletas pré-credenciados para o Parapan de Lima. “Agora, é continuar com os treinos fortes e aguardar a confirmação da comissão técnica de atletismo do CPB”.

Selma e André Luiz (Foto: Divulgação/ADD)

O técnico da Asa-MS, Daniel Silva de Sena, avalia positivamente a participação de seus atletas na primeira etapa nacional do Circuito Brasil. Segundo ele, desde o término da fase Regional Centro-Leste da competição, realizada no final de março, os atletas treinaram especificamente para o campeonato em São Paulo. “O desempenho, para mim, é dentro do esperado, sei que precisamos melhorar, mas fico satisfeito com os resultados. Queremos chegar na segunda etapa mais fortalecidos, em agosto”.

Selma participou da primeira competição nacional (Foto: Divulgação/ADD)

“A Flávia recebeu convite para um camping no Paraná, para ganhar mais técnica, trabalhar numa pista de borracha e ficou mais de uma semana. A Jaqueline e a Nathalya ficaram em Campo Grande. A Nathalya mora no extremo do local de treino e, mesmo assim, não desanimou, foi treinar todos os dias. A Jaqueline, mesmo com a limitação física e de saúde, treinava, não era a frequência que queríamos, mas ela se esforçou, dentro das limitações. O trabalho foi árduo, para chegarmos fazendo marcas”, evidenciou Sena, ao Esporte Ágil.

O Asa-MS é responsável por revelar inúmeros atletas a nível nacional e internacional. A escola de atletismo não possui as estruturas adequadas para treinamento. “Nós não temos estrutura nenhuma para treinar, é tudo improvisado. Mesmo assim, temos campeões. Daqui, já saiu campeão mundial. Temos também campeão brasileiro recordista. Temos muito pouco, mas muita vontade de trabalhar, formar atletas e também cidadãos do bem”, completou Sena.

Assim como Sena, o treinador do Projeto Dourados Paralímpico, Antônio de Souza Pietramale, mais conhecido como Toninho, conta que o desempenho foi conforme o planejado. De acordo com ele, os atletas treinam diariamente. “Quando se trata de atletas paralímpicos, há uma variação de resultados, dependendo do dia e de situações que acontecem. Eles foram bem”.

MS foi bem representado na etapa nacional do Circuito Brasil (Foto: Divulgação/ADD)

“O Paulo Henrique melhorou a marca dele no salto em distância. O objetivo é fazer uma boa marca para o Parapan-Americano de Lima. O Igor é um menino novo, com 18 anos e está iniciando no Circuito. Ele mudou de categoria recentemente, então tem o impacto da mudança. É o mesmo caso do Jonatan, que era classe 38 e, hoje, é 37. Foi a segunda competição dele nessa classe”, acrescentou Pietramale.

O técnico da equipe douradense salienta que, mesmo após trocar de categoria, a atleta Rosenilda Aoyama bateu o recorde brasileiro no arremesso de peso, que a pertencia. “Acredito que ela vai melhorar muito ainda”, finalizou Pietramale.

Fonte: Esporte Agil


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *