plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Recém-criada, Sala de Crise do Pantanal, vai propor ações concretas de enfrentamento à seca

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

No próximo dia 1º de outubro, a recém-criada, Sala de Crise do Pantanal, volta a se reunir de forma remota, para propor ações concretas de enfrentamento da seca na região do Pantanal, que sem dúvida é a mais grave das últimas décadas, o que leva a redução do volume dos rios e cria o ambiente propício a desastres como os incêndios.

Um relatório apresentado pela Capitania da Marinha, instalada em Ladário, prevê que o nível do rio Paraguai, que já atinge a marca mais baixa na régua existente naquele ponto desde 1947, vai continuar baixando.

Sob a coordenação da ANA (Agência Nacional de Águas), a Sala de Crise do Pantanal, conta com cerca de 90 participantes – entre autoridades, gestores e técnicos. Na terça-feira, dia 22, quando os representantes se reuniram pela primeira vez, os secretários de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck, e do Mato Grosso, Mauren Lazzaretti, apresentaram as preocupações dos dois estados com os incêndios que já destruíram cerca de 3 milhões de hectares de vegetação pantaneira e a escassez de chuvas que reduziu consideravelmente o nível de água dos rios, prejudicando a navegação e já ameaçando o abastecimento em algumas cidades.

Os institutos de Meteorologia estimam que para as próximas três semanas o acumulado de chuvas na região do Pantanal não deva ultrapassar 17 milímetros, insuficiente para apagar os focos de incêndio. As temperaturas devem subir e a mistura de calor e baixa umidade é propícia para o fogo se alastrar.

 

Katiuscia Fernandes – Subsecretaria de Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *