Festival de Inverno de Bonito contará com a criatividade e o engajamento do BaianaSystem

Compartilhe:

Balanço, criatividade e identidade. Com esta “trindade” artística o BaianaSystem desembarca no Festival de Inverno de Bonito 2019. A participação do grupo, confirmada esta semana, está marcada para o dia 26 de julho (sexta), no Palco das Águas.

O grupo que renovou o uso da guitarra baiana acrescenta generosa pitada de peso e suingue a uma programação musical marcada pela diversidade. Pelo mesmo palco do Festival de Inverno passarão a dupla Chrystian e Ralf, a cantora Gal Costa e o músico Lenine.

Essa renovação de um instrumento que ajudou a escrever a história da música baiana – e nacional, por sequência – vem acompanhada de samples, ritmos e mensagens surgidas a partir dos Sound System jamaicanos, movimentos que foram a base da cultura musical que encanta ainda hoje o mundo.

O grupo promete agitar o Festival de Bonito

É na junção dessas culturas que o BaianaSystem – cujo batismo é fruto da fusão da guitarra baiana e dos Sound System – navega. Os ritmos caribenhos casam com o aguçado e penetrante som do instrumento símbolo do carnaval da Bahia.

Com poesia engajada que não se roga em denunciar injustiças sociais, o som do BaianaSystem já nasce poderoso, resistente. Potência musical que dialoga com uma linguagem global de virtude, luta e também fraternidade.

Em dez anos de carreira o grupo formado pelos músicos Russo Passapusso, Roberto Barreto, SekoBass e Filipe Cartaxo, soma quatro álbuns de estúdio: Baianasystem (2010), Duas Cidades (2016), Outras Cidades (2017) e O Futuro Não Demora (2019).

No Festival de Inverno de Bonito o grupo apresentará canções de todos esses discos, mas com maior influência de seu novo trabalho, O Futuro não Demora, que conta com a colaboração de artistas de diferentes estilos e olhares.

A forte carga política, a clara ligação com a música latina e caribenha, o diálogo do berimbau com a guitarra baiana e o peso dos tambores de Angola e do samba-reggae estarão presentes. Um show imperdível para quem já conhece. E ainda mais para quem está curioso para ver e ouvir esta mistura.

Márcio Breda – Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS)

Fotos: Divulgação


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *