plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour
Pular para o conteúdo

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

19 de maio de 2024 - 08:08

Bonito-Pantanal: Governo propõe equilibrar fluxo turístico para evitar impacto ambiental

A realização do “Adventure Week” no eixo Bonito – Pantanal, em abril, envolvendo em torno de 15 operadoras internacionais, deve marcar o início de uma política racional de exploração dos recursos naturais nos principais destinos ecoturísticos de Mato Grosso do Sul.

A promoção de eventos na baixa temporada para diversificar a captação de recursos e diminuir o impacto ambiental provocado pela avalanche de visitantes na alta temporada foi abordada pelo governador Reinaldo Azambuja durante reunião com representantes da Associação Mundial de Turismo de Aventura (Adventure Travel Trade Association) e Empresa Brasileira de Turismo (Embratur).

                                                         Foto: Adriano Hany

O governador Reinaldo Azambuja disse, ao receber as informações sobre a realização da Semana de Aventura em Bonito e no Pantanal de Corumbá, que Mato Grosso do Sul dispõe de outros roteiros turísticos que também podem fazer parte de um calendário anual de visitação. “Além de integrarmos Bonito e Corumbá, podemos desenvolver outras regiões do Estado, promovendo assim um equilíbrio na exploração desse que é um dos setores da economia que mais crescem”.

Durante a reunião, o diretor-presidente da Rádio e TV Educativa, jornalista Bosco Martins, que é “cidadão bonitense”, reforçou a preocupação do governador com a questão ambiental, mencionando os problemas enfrentados por Bonito na alta temporada e que podem se repetir no Carnaval. “Bonito não é para turismo de massa e sim de qualidade”.

“Bonito não é uma região como o litoral, onde a areia suporta grande contingente de turistas. O solo de Bonito é constituído de arenito e calcário e o fluxo de visitantes aumenta 20% a cada ano. Isso impacta a cidade. Acredito que falta a presença do poder público municipal no sentido de preparar a cidade para os períodos de grande fluxo, principalmente em relação aos resíduos sólidos (lixo) e instalação de banheiros químicos. Não há informações da destinação do grande volume de recursos captados pelo setor, que deveriam reverter em melhorias na infraestrutura do setor turístico e nem apoio a turistas estrangeiros”.

Para Bosco Martins, “a sociedade organizada, formada pelas operadoras, agências, empresários e guias turísticos, tem consciência e faz a sua parte, mas as ações acabam sendo prejudicadas pela ausência da Prefeitura. Há queixas quanto a destinação do lixo, que produz o chorume que acaba contaminando os rios”.

“Bonito vive hoje aquela síndrome da alta temporada. Nós precisamos rever essa questão para que o turismo não mate o turismo em Bonito”, disse Martins, para quem é necessário conscientizar e integrar o poder público (Prefeitura) ao trade turístico para que haja um planejamento consensual, tanto na preparação da cidade quanto na promoção e distribuição dos eventos.

“A oferta de atrativos é permanente, os recursos naturais estão lá para contemplação e os eventos e pacotes turísticos podem ser distribuídos ao longo do ano, evitando inchaços nos períodos considerados como grande temporada”, diz Bosco Martins, que sugere ainda a construção de um portal na entrada de Bonito com orientações sobre como proteger e preservar os recursos naturais.

Semana de Aventura

Para o secretário de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação, Athayde Nery, o “Adventure Week” será “um evento que vai assegurar ao Estado selo de qualidade do ecoturismo, fazendo com que tenhamos o respeito mundial e capaz de trazer recursos”.

Além de informar o Governo sobre os preparativos do evento, os representantes da Associação Mundial de Operadoras e Embratur comunicaram o resultado das visitas de inspeção em Bonito e Corumbá.

Os técnicos foram recebidos pelo governador Reinaldo Azambuja junto com o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, o secretário de Desenvolvimento Jaime Veruck, que também é diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente de MS (Imasul), o secretário de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação, Athayde Nery, o diretor-presidente da Fundação de Turismo, Nelson Cintra, e o diretor-presidente da Rádio e TV Educativa (RTVE), jornalista Bosco Martins.

Segundo Gabriela Assis, da Associação Mundial de Turismo de Aventura, em razão da fragilidade dos recursos naturais, haverá acompanhamento e fiscalização permanente, além de orientações, para que o meio ambiente não seja impactado e degradado e recebeu bem a decisão do governo do Estado de estimular o turismo racional nas regiões ecológicas, a partir de um calendário misto para evitar inchaços em determinados períodos do ano, o que se3rá possível com a integração entre operadores internacionais e o trade nacional.

A edição que será realizada pela primeira vez no Brasil acontecerá em Bonito e no Pantanal entre os dias 2 e 11 de abril e oferecerá a operadores, agentes de viagem e jornalistas europeus e norte-americanos uma semana de atividades relacionadas ao Ecoturismo e Turismo de Aventura. A semana reunirá 15 operadores de viagens, que conhecerão os destinos turísticos a serem trabalhados nos países emissores e cinco jornalistas especializados no segmento.

De acordo com Diego Aurelano, técnico da Embratur, o turismo de aventura e ecoturismo crescem 65% ao ano e Mato Grosso do Sul tem grande potencial e produtos referência no mercado. “Existem vários perfis de turistas é preciso um marketing específico para atrair cada perfil de turista e outro aspecto importante é o diferencial competitivo como por exemplo, o histórico e cultural pouco explorado”, completa Gabriela Assis.

https://www.youtube.com/watch?v=YbVT0d9m4_Q&feature=youtu.be

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *