plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

“Assunto é cinema” desta terça-feira apresenta especial de carnaval

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Cinema e carnaval também podem andar juntos. É o que traz o programa “O Assunto é cinema” desta terça-feira (28). Serão destacadas três produções ambientadas no carnaval brasileiro, “Orfeu Negro”, “Quando o carnaval chegar” e “Ó Paí, Ó”.

“O Assunto é cinema” vai ao ar terças e sextas às 10h30, pela rádio Educativa 104,7 FM e pelo Portal da Educativa (www.www.portaldaeducativa.ms.gov.br)

Sinopses

Quando o Carnaval chegar –  É um filme brasileiro de 1972 do gênero musical. Dirigido por Cacá Diegues e com roteiro dele, Hugo Carvana e Chico Buarque, conta a história de Lourival, um empresário de um grupo de cantores sem sucesso, que viaja em um antigo ônibus pelo país. Lourival consegue um contrato para que o grupo se apresente no evento “A festa do rei”, em homenagem a um rei que chegará à cidade para o Carnaval. Discussões internas e romances inesperados podem impedir que o espetáculo se realize.

Orfeu Negro – Orfeu Negro ou Orfeu do Carnaval é um filme ítalo-franco-brasileiro de 1959. O filme ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro no ano de 1960, representando a França. A trilha sonora é de Tom Jobim e Luís Bonfá. O filme traz a história de Eurícide que vem do sertão nordestino para morar na favela com sua prima Serafina. Se apaixona perdidamente por Orfeu, que é noivo de Mira, a qual irá perseguir Eurícide por ciúmes. Enquanto os dois curtem o carnaval carioca terão que lidar com Mira e um homem apaixonado que persegue Eurícide.

Ó Paí, Ó  – É um filme brasileiro do gênero comédia musical, lançado em 2007, Tem como coordenador de trilha sonora Caetano Veloso. Estrelado, em sua maioria, por atores do Bando de Teatro Olodum, traz em seu elenco atores como Lázaro Ramos, Wagner Moura, Dira Paes e Emanuelle Araújo.
O filme se passa em Salvador, no último dia do Carnaval, e conta a história dos moradores de cortiço do centro histórico do Pelourinho. Tudo se passa no último dia do Carnaval, quando Dona Joana incomodada com a farra dos condôminos, decide acabar com a festa e fecha o registro de água do prédio. Uma comédia crítica, traz o carnaval e o contraste social de Salvador, e fala de assuntos como violência, drogas, mídia, preconceito e racismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.