plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

As questões feministas em debate Na Cadeira do DJ

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Sar(ato): Resistir sem Medo, ato organizado pelo grupo Mulheres pela Democracia em 2019. (foto: Janete Maroli)

Nesta segunda-feira (09/03) a conversa Na Cadeira do DJ com Celito e Gilson Espíndola na Educativa 104.7 FM retorna ao debate sobre as questões feministas e os movimentos no Mato Grosso do Sul. Para o debate deste ano participam do programa as ativistas Márcia Albuquerque, Janice Andrade, ambas do movimento Mulheres pela Democracia, Giselle Marques do Juristas pela Democracia e Cris Duarte, ativista e uma das responsáveis pelo “calcinhaço” na assembléia legislativa.

A Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul registrou em 2019 noventa e seis ocorrências de feminicídio, dentre as quais trinta resultaram em ocorrências fatais. O Mato Grosso do Sul ocupa o quinto lugar no ranking nacional de ocorrências.

Questões como desigualdade salarial, preconceito, assédio e desrespeito contra a mulher acompanham as estatísticas que cada vez mais reafirmam a condição machista em que a sociedade brasileira vive, algo que explica os altos índices de violência contra as mulheres, tanto que o Brasil é o sétimo país no mundo em que mais ocorrem feminicídios. A cada ano os debates se intensificam e as mulheres cobram por atitudes em movimentos e coletivos que organizam as questões em pauta.

Mato Grosso do Sul conta com vários movimentos feministas como o Mulheres pela Democracia, o coletivo de artistas As Descendentes de Lídia, o Coletivo Feminista Lídia Baís e o grupo de leitura Leia Mulheres que também tem atividades em Dourados e Corumbá entre outros tantos que vem chamando atenção para a causa feminista.

Márcia Albuquerque é artista visual, atriz, psicóloga, feminista e ativista cultural. Ela faz parte da organização do movimento Mulheres pela Democracia e do coletivo de artistas visuais As Descendentes de Lídia, além de participar do Terra Femini e do grupo Mulheres artistas de Campão. Parte do seu trabalho como artista é dedicado às questões referentes ao feminicídio e violência contra a mulher. Na sua prática de psicóloga atende as demandas de abuso sexual, violência física, psicológica e moral.

Janice Andrade é advogada, pós-graduada em Direito Público (EMAP PR) e em Direitos Humanos (UFMS). Ativista das causas feministas e direitos humanos, atua como advogada parceira do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e participa ativamente do movimento Juristas pela Democracia. Também integra o movimento Terra Femini e o Mulheres pela Democracia, tendo participado da performance Mulheres de Luz em 2019.

Giselle Marques é advogada, Doutora em Direito e Pós-Doutoranda em Meio Ambiente. É coordenadora do movimento Juristas pela Democracia. Foi Secretária-Geral da OAB MS e presidente do Centro de Defesa da Cidadania e dos Direitos Humanos Marçal de Souza.

Cris Duarte é ativista e uma das organizadoras do recente “calcinhaço” na Assembléia Legislativa além de ser uma das organizadoras do movimento Mulheres pela Democracia.

Sintonize – Apresentado por Gilson e Celito Espíndola e com produção de Daniel Rockenbach, o programa Na Cadeira do DJ vai ao ar às segundas e quartas-feiras, das 10h30 às 12h, na Educativa 104.7 FM, podendo ser acompanhado também pelo Portal da Educativa (na aba Ouvir a Rádio) ou pela Live na fan page do programa no Facebook. O Cadeira do DJ também está no Instagram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.