plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Institucional

FM Educativa [ AO VIVO ]

4 de fevereiro de 2023 - 05:49

6 milhões de doses; MS completa dois anos de vacinação contra Covid

Há dois anos o primeiro avião da Força Aérea Brasileira pousava em Mato Grosso do Sul trazendo 158 mil doses de vacina Coronavac para imunizar o grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde. Assim, desde o ato simbólico realizado no Hospital Regional que marcou o início da Campanha Estadual de Imunização contra a Covid-19, o Estado já aplicou mais 6 milhões de doses de diferentes imunizantes.

Agora, o principal desafio da Saúde está na conscientização da população para que completem o esquema vacinal e imunizem principalmente as crianças.

O dia 18 de janeiro de 2021 ficou consagrado como um marco histórico para a imunização estadual. À época do ato simbólico gravado na memória de milhares de sul-mato-grossenses, cada passo da vacina era registrado: desde a chegada na Base Aérea de Campo Grande; logo depois o transporte escoltado pelas ruas da Capital, até chegar à sede da Coordenadoria Estadual de Vigilância Epidemiológica.

Depois de separadas, foram enviadas quatro doses até ao Hospital Regional de Mato Grosso do Sul para iniciar a campanha de imunização e celebrar o momento histórico. Na ocasião quatro sul-mato-grossenses pertencentes à primeira fase da campanha foram vacinados.

A auxiliar de enfermagem Sandra Maria de Lima, do HRMS. Foto: Saul Scharamm

Dois deles eram profissionais da saúde: o médico Márcio Estevão Midom, de 45 anos, e a auxiliar de enfermagem Sandra Maria de Lima, de 52 anos, ambos do Hospital Regional. Também foram vacinadas a indígena Domingas da Silva, de 92 anos, da aldeia Tereré, em Sidrolândia, e a dona Maria Bezerra de Carvalho, de 85 anos, residente no Asilo São João Bosco, no bairro Tiradentes, em Campo Grande.

“Fiquei surpresa e muito grata”, explica Sandra Maria de Lima ao relatar sua experiência no ato simbólico. A auxiliar de enfermagem conta que foi chamada para fazer a aplicação da vacina nas três pessoas que foram chamadas inicialmente.

“Eu estava ali apenas para fazer a aplicação, não estava previsto que eu fosse a quarta pessoa a ser vacinada. Logo que iniciamos a aplicação, eles perceberam que estava sobrando uma quarta doses. Na hora eles conversaram e me convidaram para tomar a vacina. Nesta hora, fiquei muito faceira, feliz, mas ao mesmo tempo levei um susto, pois não esperava que também fosse tomar o imunizante”, conta.

Sandra ainda ressalta que desde então não deixou de completar o esquema vacinal. “É como eu costumo falar, a vacina salva vidas. Eu mesmo peguei por duas vezes a covid-19, mas os sintomas foram bem leves, que se assemelhavam a uma gripe. Eu recomendo a todos, acreditem na vacina, é só olhar os números de como estávamos e como estamos agora”.

Indígena Domingas da Silva, da aldeia Tereré. Foto: Saul Scharamm

Aos 92 anos, a indígena Domingas da Silva, da aldeia Tereré, conta com orgulho que foi a primeira idosa a tomar a vacina no Estado. “Eu, a Vovó Domingas, fui a primeira vovozinha a tomar a vacina da covid-19. Graças a Deus, eu me sinto muito bem! Peço a para todos tomarem a vacina porque é muito bom para a nossa saúde. A Vovó está bem e não precisa de nada e vocês têm que tomar a vacina e não precisa ter medo”.

A coordenadora estadual de Vigilância Epidemiológica da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Ana Paula Rezende de Oliveira Goldfinger, foi a responsável por levar as doses até o HRMS, escoltada por policiais. Ela relembra como ocorreu a distribuição.

“Nós tínhamos um plano de logística e assim que recebemos as vacinas, logo de imediato fizemos a entrega aos municípios. Houve uma parceria com as forças de segurança que nos ajudaram a levar os imunizantes até os municípios. Devido à escassez dos imunizantes e alta procura, poderiam haver saques, e por isto as participações das forças de segurança foram extremamente importantes”, destaca.

“O resultado foi muito importante porque meses depois ficamos por semanas a frente dos outros estados na liderança da vacinação, e isto foi muito gratificante”, frisa.

Coordenadora estadual de Vigilância Epidemiológica da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Ana Paula Rezende de Oliveira Goldfinger

Ana Paula ainda destaca que a campanha de imunização continua no Estado. “Nós estamos aguardando novas diretrizes do Ministério da Saúde, principalmente, quanto a vacina bivalente, que vem como reforço e em específico para a população de 60 anos e mais. O Estado já empregou mais de 6 milhões de vacinas e pedimos para que a população faça a adesão, especificamente para as doses de reforço”.

 

Desde o início da vacinação em Mato Grosso do Sul, o Estado já realizou diversas campanhas de conscientização a fim de auxiliar os 79 municípios nas estratégias imunização. A SES recomenda que a população para que complete o esquema vacinal, que os pais ou responsáveis levem as crianças para se vacinar.

A fim de evitar novas contaminações, a SES recomenda o uso de máscaras em locais fechados e aglomerados, façam o teste em casos de suspeitas e tomem as vacinas.

Rodson Lima, Comunicação da SES
Fotos: Marcelo Camargo / Agência Brasil e
Saul Schramm/Arquivo 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *