TVE Cultura MS e TV Cultura SP assinam acordo para ampliação de sinal e digitalização de acervo

Compartilhe:

Campo Grande (MS) – O ex-banqueiro Lúdio Coelho em campanha na cidade de Corumbá na década de 1980; show de Délio e Delinha no restaurante Mangueiral, esquina da avenida Mato Grosso com a Ceará, onde está hoje o Hipermercado Comper; Michel Teló “esgoelando” Galopeira quando tinha sete anos; e Luan Santana, desafinado, soltando a voz no Colégio Auxiliadora. Essas e outras preciosidades do acervo de mais de 100 horas de imagens da TVE Cultura MS, algumas gravações ainda em preto e branco, serão digitalizadas pela TV Cultura SP, dentro do Acordo de Cooperação assinado pelos dirigentes das duas emissoras, Bosco Martins e José Roberto Maluf.

Reunião na Fundação Padre Anchieta em SP renovou afiliação da TVE Cultura à TV Cultura

José Roberto Maluf, presidente da Fundação Padre Anchieta/TV Cultura, e Bosco Martins, assinaram o contrato de renovação da afiliação da TVE de Mato Grosso do Sul à TV Cultura, por mais cinco anos, e estabeleceram cooperação que proporcionará transmissão compartilhada para todo o País através do satélite “Star One”.

Bosco Martins e José Roberto Maluf

A contrapartida da TVE Cultura garante suporte da emissora paulista junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações na execução dos projetos de canais digitais em 55 municípios de Mato Grosso do Sul, completando o mapa de interiorização nos 79 municípios do Estado. Hoje 23 cidades já estão com os canais homologados.

A cessão de uma banda no satélite utilizado pela TVE Cultura MS vai levar o sinal da TV Cultura SP a 154 milhões de telespectadores. São 15 milhões de antenas parabólicas apontadas para o satélite, com potencial de alcance de milhões de pessoas no Brasil e América Latina.

 

“A digitalização do acervo é de uma importância imensurável, tanto no aspecto da memória da televisão em Mato Grosso do Sul quanto pelo significado histórico-cultural”, destacou Bosco Martins, lembrando que nas mais de 100 horas de gravações que fazem parte do acervo da TVE Cultura, está preservada a memória da música regional, com imagens inéditas de Almir Sater tocando a viola do cocho, o grupo Comitiva Esperança e Paulo Simões, além de raros registros do poeta Manoel de Barros.

Bosco Martins destaca ainda o fato histórico do processo de interiorização da TVE Cultura, que vai cobrir 100% do Estado com o suporte da TV Cultura SP na homologação de canais digitais.

“A TVE, mais do que nunca, completa definitivamente um ciclo histórico, trazendo ao mundo digital todo o acervo da produção televisiva desde a era do chumbo quente, como se diz no jargão da antiga imprensa para se reportar à fase em que as gravações eram feitas em fitas Betacam, com reproduções VHF e edições manuais, transmissão por torres de repetição de ondas eletromagnéticas, até a era do chip e sinal digital com transmissões por satélite”, diz Bosco Martins.

O presidente da TV Cultura, José Roberto Maluf, lembrou que a cooperação entre as duas emissoras é  antiga e manifestou que “gostaria que esse casamento fosse pra sempre”. Lembrou que a gestão de TV pública deve sempre buscar a qualidade na informação e defesa dos interesses coletivos. Maluf agradeceu o governo de MS pela cessão da banda no satélite Star One, que vai permitir à TV Cultura levar sua programação a um universo de milhões de telespectadores.

Participaram da reunião que selou a afiliação por mais cinco anos e a cooperação entre as emissoras de MS e SP, além dos presidentes Bosco Martins e José Roberto Maluf, o diretor Jurídico da TVE Cultura MS, procurador Danilo Magalhães,  e os diretores da TV Cultura Paulo Ramos de Freitas (Administrativo e Financeiro), Nelson Faria Júnior (Técnico), Edson Kawano (Jurídico) e Fábio Borba (Rede).

Desde a década de 1980 o jornalista Bosco Martins dirige a Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa (Fertel), mantenedora da TVE Cultura e Educativa FM 104,7 e diz estar realizado em poder recuperar a história da Televisão em Mato Grosso do Sul e preservar a memória cultural do Estado.


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *