plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Coordenador da TV Reme garante que aulas virtuais têm retorno positivo de alunos

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Com a crise devido à pandemia do novo coronavírus, a Covid-19, as aulas presenciais foram suspensas para evitar contágios entre os estudantes. Com isso, a TVE Cultura Mato Grosso do Sul, realizou parcerias com as secretarias de Educação do Estado e também de Campo Grande, para a produção de conteúdo, contribuindo com aprendizado dos alunos.

Professora Shirlei inês Biondo dando aula de matemática

Desde o dia 8 de junho, está no ar o canal 4.2 da TV aberta para que os alunos da REME – Rede Municipal de Ensino- possam acompanhar as aulas diariamente. De acordo com a secretária de Educação de Campo Grande, Elza Fernandes Ortelhado, o convênio com a TVE Cultura MS proporciona teleaulas para 110 mil alunos da rede municipal de ensino e também apoio complementar nas aulas de 17 mil professores, da Capital. “É de importância enorme e agradecemos ao governador essa parceria que proporciona acesso para alunos que não possuem rede de internet, mas através da televisão terão acesso a conteúdos escolares, o que promove a inclusão de muitos alunos nesse processo de aprendizagem”.

O coordenador da TV REME, o professor de história João Robson, explica que diariamente de segunda a sexta-feira, entre 8h até 13h30 são gravadas as aulas que posteriormente são transmitidas aos estudantes. “Todos os dias vêm os professores da REME gravar suas aulas, como geografia, matemática, história, justamente para que os alunos sejam contemplados através da televisão, acompanhando as aulas que estariam, em período normal, acontecendo em salas de aula, porém pela TV no canal 4.2.”, explica

O professor explica que não tem uma avaliação para saber o rendimento do aluno, mas que é um complemento para ajudar esse aluno e esclarece que a devolutiva, o retorno, tem sido gratificante. “A devolutiva tem acontecido através dos pais, enviando para a própria Secretaria Municipal de Educação de que está valendo a pena, que os alunos estão acompanhando as aulas. Isso sim tem sido muito gratificante para todos nós”, define João Robson.

No que diz respeito aos professores, João Robson responde como professor de história e garante que por ser algo inusitado, os docentes estão se aprimorando, usando as tecnologias, eles têm se encaixado nesse novo mundo digital. “Tem sido um momento também um momento de aprendizado tanto para os alunos quanto para nós, os professores”, explica.

Com essa parceria firmada entre TV Cultura MS e a secretaria Municipal de ensino para essa modalidade de aula virtual, na visão do coordenador da TV REME, acredita que não vai mais parar, pois a evolução está aí e quem não acompanhar a tecnologia, as mídias ficará para trás. “A tendência, principalmente por conta dessa pandemia é que haja uma evolução contínua e penso que esse é futuro, digital, internet, televisão. Acredito que essas aulas não irão acabar, mesmo com fim da pandemia. Essa ligação das redes sociais, da televisão, das mídias para dentro da sala de aula é uma base fundamental”, esclarece,

O professor ainda finaliza salientado que é uma espécie EaD – Ensino a distância, voltado para outra camada de estudantes. “Justamente, é uma EaD voltada para a o ensino fundamental, médio e o ensino técnico, no caso da rede municipal”, conclui.

Professor João Robson acompanha a gravação da teleaula da TV Reme Campo Grande
Método

O superintendente de Gestão às Políticas Educacionais da Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande. Waldir Leonel, um dos idealizadores da TV Reme, explica que a metodologia para a realização das aulas pela televisão é feita por ordem de inscrição dos professores. Segundo explicou, atualmente já existem 400 mestres inscritos. Com isso, a equipe de produção do programa coordena de acordo com ordem de inscrição para a gravação da aula específica daquele docente. Essa programação é feita de acordo com cada área, ou seja, matemática, geografia, e assim por diante, que é chamada de componente.

“Com a edição das aulas televisivas prontas, a equipe define a grade de programação. Para facilitar que os estudantes assistam os conteúdos, pois muitas vezes pode acontecer de uma família ter até três crianças na escola, porém em anos diferentes, a grade de exibição foi definida de modo a facilitar que os pais organizem com os filhos o acompanhamento. Por exemplo, para os menores, do ensino fundamental que compreende de 1º ao 5º ano, as aulas são transmitidas no período da tarde, de segunda a sexta-feira. Já pela manhã, de segunda a quinta-feira, as transmissões são destinadas para os alunos do 6º ao 9º ano do ensino. Restando a sexta-feira exclusivamente para os alunos das escolas do campo, onde o canal também tem alcance e atinge a área rural”, explica. Aos fins de semana, os alunos podem acompanhar a reprise.

Leonel ainda adiantou que será feita uma pesquisa exatamente par saber como está o acompanhamento dos alunos com as teleaulas. Ele garantiu que os alunos assistem, mesmo porque muitos diretores de escolas cobram a programação diariamente, o que é repassado aos pais. Além disso, alguns professores, através da rede social, se comunicam com seus alunos explicando que tal aula vai ao ar e pede para posteriormente discutir o temam via on-line ou pela plataforma definida pela escola.

Os alunos da rede municipal de ensino na Capital assistem a TV Reme Campo Grande pelo canal 4.2 da TV aberta na TVE Cultura MS e também por satélite, no canal de parabólica.

Por Alberto Gonçalves

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *