plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour
Pular para o conteúdo

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

17 de junho de 2024 - 05:52

Levantamento contabiliza 317 animais silvestres atropelados em 2016 em rodovia de Bonito

Um levantamento feito por empresário do setor do ciclismo em Bonito (MS), que diariamente percorre trilhas e rodovias do município com turistas, contabilizou 317 animais atropelados em um ano na MS-178, apenas entre o trecho do Balneário Municipal e a cidade, ou seja, em aproximadamente 10 quilômetros.

Segundo Marcio Lima, esses dados são relativos ao ano de 2016, entre os dias 1 de janeiro e 31 de dezembro, e correspondem apenas aos atropelamentos de animais silvestres que ele e sua equipe conseguiram registrar.

Em reportagem anterior do Portal da Educativa, onde notificamos o atropelamento de um tamanduá-mirim, também no mesmo trecho, a Polícia Militar Ambiental não soube precisar quantos animais são vítimas desse tipo de acidentes por ano, mas segundo o policial, o número é realmente expressivo e na maioria das vezes, não chega a conhecimento popular nem mesmo dos policiais.

No CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) em Campo Grande entre 2013 e 2017 foram atendidos 16 animais recebidos exclusivamente de Bonito. Destes, 11 foram vítimas de atropelamento, sendo sete tamanduás. Veados, queixadas, corujas e curiango também foram resgatados na cidade e encaminhado ao centro.

Ainda segundo o empresário, várias espécies em extinção estão nessa lista e os acidentes acabam repercutindo de forma negativa no turismo. “Eu acabo passando o dia todo mandando fotos tristes e também é isso que os turistas e estrangeiros veem na Serra da Bodoquena, principalmente Bonito e Pantanal durante os passeios”, reforçou.

O aumento do número de caminhões que passam pela rodovia durante a safra também reflete nos atropelamentos e segundo dados da cooperativa LAR, que tem sede em Bonito, durante este período cerca de 80 caminhões percorrem as rodovias da cidade diariamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *