Xaymaca Reggae: conheça um pouco das Jamaica Reggae Girlz

Compartilhe:

Programa da Educativa 104.7 FM conecta você à Copa do Mundo Feminina 2019, oitava edição do campeonato que terá a França como anfitriã

Enquanto a Seleção do Brasil liderada pela atacante Marta, seis vezes vencedora do prêmio de melhor jogadora do mundo, amarga nove derrotas consecutivas, as jamaicanas da Reggae Girlz vêm de vitórias expressivas na preparação para a Copa da França: 3 a 2 contas o Chile, 3 a 1 ante o Panamá no Estádio Nacional de Kingston, na despedida antes do Mundial, e 2 a 1 contra o FC-Surge na Flórida (EUA).

A missão da RGF (Fundação Jamaica Reggae Girlz) é inspirar, educar, mobilizar e apoiar a próxima geração de jovens jogadoras de futebol na Jamaica, por meio de iniciativas focadas no crescimento, desenvolvimento e acesso a programas de futebol de qualidade que melhorem o desenvolvimento físico, mental e pessoal de meninas em comunidades carentes do país caribenho.

O Xaymaca Reggae traz até você um artigo do Jamaica Observer, traduzido para o português, que ilustra os sentimentos dos jamaicanos com a seleção feminina que, logo na estreia, terá pela frente uma pedreira chamada Brasil:

Em uma semana curta na Flórida, o Reggae Girlz criou rebuliço ao vencer o FC-Surge, ante um mar de torcedores e amigos jamaicanos. Isso porque não havia liga das mulheres na Jamaica há cinco anos. Agora, a Reggae Girlz são destaques na CNN e no Miami Herald.

Em artigo de Aimee Lewis na CNN Sports –“É muito mais do que futebol: jornada notável da Jamaica para a França”–, ficamos sabendo que o técnico Hugh Menzies não desistiu em 2015, quando o Reggae Girlz não conseguiu se classificar para o Mundial. Em vez disso, orientou o ingresso das atletas em equipes e internatos onde poderiam continuar aprimorando as habilidades.

Lewis escreveu: “Apesar da inatividade, Menzies disse que sabia que a JFF (Jamaica Football Federation) eventualmente pediria a ele para formar uma equipe para a campanha de qualificação da Copa do Mundo de 2019 porque a Fifa pressionava todas as federações nacionais para apoiar o futebol feminino”.

“No final do ano passado”, prossegue o artigo, “o órgão regulador anunciou uma estratégia global de cinco frentes para o crescimento do futebol feminino, sendo um deles para garantir que todos os 211 membros tenham planos abrangentes de mulheres em vigor até 2022.”

Foi uma luta para a equipe, que poderia não ter sobrevivido sem a intervenção de Cedella Marley, que contratou a co-fundadora da Fundação Alacran, Alessandra Lo Savio, trazendo-as à bordo como patrocinadora.

Menzies expressou seu agradecimento a Marley na entrevista à CNN. “Grata a Cedella Marley por colocar seu pescoço na linha de frente para nós. Ela me disse seu propósito. Uma grande parte disso é o amor do pai dela, Bob Marley, pelo futebol. Cedella Marley, que recebeu o nome de sua avó paterna, é uma cantora, dançarina, estilista, atriz e empreendedora jamaicana. Ela é filha dos cantores de reggae Bob Marley e Rita Marley e mãe do cantor Skip Marley. Ela disse que queria inspirar jovens mulheres na Jamaica para pratica do futebol feminino”.

Cedella também persuadiu Menzies a fazer uma pausa em seu trabalho de treinador na Flórida para orientar a equipe, trabalhando de graça até que um contrato fosse finalmente concedido. A ministra da Cultura, Gênero, Entretenimento e Esporte da Jamaica, Olivia “Babsy” Grange também apoia o Reggae Girlz.

Os espíritos estavam em alta quando, no Estádio Nacional da Jamaica, as Reggae Girlz derrotaram o Panamá por 3 a 1 em um amistoso. A atacante Khadija “Bunny” Shaw marcou dois dos três gols.

A jornalista Michelle Kaufman, do Miami Herald, compara a empolgação em torno das Reggae Girlz com o time de Bobsled, cuja história é retratada no famoso filme da Disney “Cool Runnings” (“Jamaica Abaixo de Zero”, no título brasileiro).

“A lista de 23 jogadoras da Copa do Mundo inclui a ex-estrela da Universidade do Tennessee Khadija “Bunny” Shaw e a prima do velocista Usain Bolt, Chanel Hudson-Marks. A Flórida está bem representada. A meio-campista Lauren Silver é natural de Miami e jogou no Plantation American Heritage High e na Universidade da Flórida. A atacante Ashleigh Shim jogou na Florida International University. A meio-campista Marlo Sweatman e a atacante Cheyna Matthews (esposa do wide receiver Jordan Matthews) jogaram no Florida State. A defensora Konya Plummer jogou na Universidade da Flórida Central, e a goleira Nicole McClure e a atacante Trudi Carter jogaram na Universidade do Sul da Flórida. Entre as outras moradoras do campo de treinamento estava Christina Chang, de 33 anos, de Fort Lauderdale”.

As garotas da Reggae Girlz vão representar a seleção da Jamaica na Copa do Mundo da França, plantel que ocupa o 53º lugar no ranking da Fifa. Elas estão no Grupo C, estreando em 9 de junho contra o 10º colocado no ranking: o Brasil, vice-campeão mundial feminino de 2007, no Stade des Alpes, em Grenoble.

Aa Reggae Girlz voltarão a atuar no dia 14 de junho, no Stade Auguste-Delaune, em Reims, contra a Itália 15ª no ranking. As jamaicanas completarão a sua participação na fase de grupos quatro dias depois, no dia 18, contra 6º colocada no ranking, a Austrália, mais uma vez no Stade des Alpes, em Grenoble.

As Reggae Girlz criaram a sua história em 17 de outubro de 2018 nos Estados Unidos, tornando-se a primeira equipe feminina do Caribe a alcançar a Copa do Mundo Feminina da FIFA ao derrotar o Panamá por 4 a 2 nos pênaltis, ficando com a terceira colocação no Campeonato Feminino de 2018 da Concacaf, no Toyota Stadium, no Texas.

A classificação histórica segue o sucesso da seleção masculina, que participou pela primeira vez da Copa do Mundo na França em 1998.

Conheça os nomes das 23 jogadoras da Jamaica na Copa do Mundo Feminina da França 2019:
Sydney Schnieder, Konya Plymmer, Marlo Sweatman, Khadijah Shaw, Deneisha Blackwood, Dominique Bond-Flasza, Allyson Swaby, Trudi Carter, Chantelle Swaby, Ashleigh Shim, Sashana Campbell, Nicole McClure, Roriana Patterson, Chinyelu Asher, Lauren Silver, Jody Brown, Chanel Hudson-Mark, Yazmeen Jameison, Kyla McCoy, Chenya Matthews, Tiffany Cameron, Olufolsade Adamolekun e Havana Solaun.

Com curiosidades sobre a Jamaica e o melhor do reggae, produção e apresentação de Rasdair da Mata, o Xaymaca Reggae vai ao ar das 22h às 0h nos domingos, na Educativa 104.7 FM e pelo Portal da Educativa.

Fonte: Jamaica Observer (http://www.jamaicaobserver.com/opinion/reggae-girlz-creating-a-stir_165788?profile=1096)

Fotos: Reprodução


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *