plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

TVE Cultura vai transmitir ao vivo o Festival de Inverno de Bonito

Bosco Martins disse que "papas" da TV pública brasileira estarão em Bonito para acompanhar o festival e a chegada da emissora à Era Digital. (Foto: Divulgação)
Bosco Martins disse que “papas” da TV pública brasileira estarão em Bonito para acompanhar o festival e a chegada da emissora à Era Digital. (Foto: Divulgação)

Realizado entre 26 e 29 de julho deste ano, o 19º Festival de Inverno de Bonito terá transmissão ao vivo de seus principais shows pela TVE Cultura. A confirmação foi dada nesta sexta-feira (20) pelo diretor-presidente da Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e Televisão Educativa de Mato Grosso do Sul), Bosco Martins, durante a apresentação oficial do evento, na sede do MIS (Museu da Imagem e do Som).

Os trabalhos em Bonito serão semelhantes aos realizados no FAS-Pantanal (Festival América do Sul Pantanal), que teve programação produzida e transmitida para o Estado de Corumbá, assim como os shows principais de cada noite do evento. A programação será veiculada também no Portal da Educativa (pela aba Assista a TV).

Bosco afirmou que o festival marcará também o lançamento da transmissão digital da TVE Cultura, trazendo ao Estado alguns dos “papas da comunicação pública do Brasil), como Fábio Borba (coordenador de programação da TV Cultura de São Paulo e membro do fórum da emissora) e Marcos Mendonça (ex-presidente da Fundação Padre Anchieta de São Paulo e idealizador da lei de incentivo à cultura que, mais tarde, baseou a Lei Rouanet).

Ele destacou que a digitalização da TVE Cultura contou com apoio da Secc (Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania), instituição à qual a Fertel é vinculada; e também lembrou que, em 2000, participou da criação do Festival de Inverno, que hoje afirma ver novamente em ascensão “e que terá espaço na TVE Cultura para chegar a milhares de pessoas”.

Homenagem a Amambai e Amambay, Renato Figueiredo e Mayara Amaral

O FestinBonito prestará três homenagens a nomes que ajudaram a construir a cultura de Mato Grosso do Sul e reforçam a necessidade de enfrentamento à violência contra a mulher: a dupla sertaneja Amambai e Amambay (já falecido), o produtor Roberto Figueiredo e à Companhia Senta Que o Leão é Manso e à musicista Mayara Amaral, assassinada em Campo Grande.

Athayde Nery destalhou razões que motivam homenagens no FestinBonito. (Foto: Humberto Marques)
Athayde Nery destalhou razões que motivam homenagens no FestinBonito. (Foto: Humberto Marques)

O secretário de Estado de Cultura e Cidadania, Athayde Nery de Freitas Junior, explicou que a homenagem a Amambai e Amambay é o reconhecimento a pioneiros da música sul-mato-grossenses, “anteriores a Délio e Delinha, precursores, assim como Zacarias Mourão, de nossas raízes”. Ao mesmo tempo, será feito um agradecimento público ao trabalho de Figueiredo, que ao longo de uma carreira de 35 anos ajudou a construir os alicerces do teatro sul-mato-grossense.

Já a honraria para Mayara Amaral referencia, segundo o secretário, “um nome que pertence ao processo de formação de uma nova geração de músicos de Mato Grosso do Sul, que foi assassinada. Será também oportunidade para pormos em pauta questões como a violência contra a mulher, o que faz parte do conceito de cidadania cultural, que passa pela cultura, respeito e paz”.

Construção coletiva

O Festival de Inverno de Bonito contará com 17 horas diárias de programação, incluindo mais de 100 shows, apresentações e intervenções culturais e 34 oficinas diversas –incluindo Rodrigo Sabatini, que fala sobre ações de preservação ecológica; e o cineasta boliviano Ivan Molina–, envolvendo 390 pessoas da comunidade e participantes vindos de 10 Estados e outros países.

Apresentação de atrações do festival foi realizada nesta sexta-feira em Campo Grande. (Foto: Divulgação)
Apresentação de atrações do festival foi realizada nesta sexta-feira em Campo Grande. (Foto: Divulgação)

Já as atrações nacionais incluem Michel Teló, o duo Almir Sater e Renato Teixeira, Milton Nascimento e a dupla Anavitória. Toda a programação, conforme Athayde, foi construída a partir de costuras junto a população, por meio de audiências públicas. “Começamos em 2017, quando a população pediu por shows sertanejos, algo que imaginava-se que não era desejo da população. Trouxemos Jads e Jadson no ano passado e, agora, o Michel Teló, um artista que começou na nossa terra e conquistou o mundo”.

Indicações da comunidade também reforçaram a necessidade de descentralização do festival, que acontecerá em bairros de Bonito como o Jardim Marambaia, o assentamento Guaicurus e o distrito de Águas de Miranda. “Foram duas reuniões, nas quais demos satisfações, envolvemos lideranças. Outro resultado foi o Canta Bonito (projeto que envolve músicos da cidade que fez sucesso em 2017 e, neste ano, terá espaço no palco da Praça da Liberdade)”, disse o secretário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *