plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour
Pular para o conteúdo

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

13 de julho de 2024 - 14:28

TVE Cultura: adoção de sistema digital abre novo canal de educação

Além de garantir melhora significativa nas qualidades de áudio e vídeo, a transição do sistema analógico para o digital dará à TVE Cultura a oportunidade para se transformar em um novo canal para EaD (Educação à Distância), nos moldes do que já é feito pela TV Cultura por meio da Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo). Tal medida será por meio da chamada multiprogramação viabilizada pela TV digital, onde há pelo menos quatro canais sendo transmitidos simultaneamente.

Detalhes do projeto foram discutidos durante visita técnica à sede da Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul) nesta quinta-feira (2). A migração do analógico para o digital obedece a predefinições do Marco Regulatório que a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) exige das transmissoras brasileiras, que vem sendo gradualmente aplicado. No dia 14 de agosto, o sistema será adotado pela TVE Cultura em Campo Grande, Terenos e parte da Grande Dourados.

Operários trabalham na instalação de nova antena digital. (Foto: TVE Cultura)
Operários trabalham na instalação de nova antena digital. (Foto: TVE Cultura)

Para garantir a boa qualidade das transmissões, além de novos transmissores na sede da TVE Cultura, em Campo Grande, e em Dourados (onde o cronograma, inicialmente previsto para novembro, foi adiantado), serão instaladas 60 novas antenas pelo interior –12 equipamentos já estão na Capital e serão encaminhados às maiores cidades do Estado, garantindo a elas a recepção do novo sinal. Os equipamentos foram viabilizados pela Claro/Embratel.

Pela multiprogramação, quatro sinais serão transmitidos simultaneamente. Em Campo Grande, por exemplo, a TVE Cultura, atualmente sintonizada pelo canal 4, será alcançada agora pelo 4.1 com sua programação normal. As demais faixas poderão ser utilizadas em transmissões paralelas, incluindo aí uma focada na qualificação profissional.

“(A migração para o digital) integra a emissora à era da cidadania digital, representando um novo momento para a TV pública estadual. Passa a haver melhor qualidade de som e áudio para levarmos esse aspecto da inclusão digital, divulgando nossa cultura e belezas para o Estado, país e o mundo. Sem falar no aspecto educacional, onde se abre um leque de oportunidades usando, por exemplo, a Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul)”, disse Athayde Nery, secretário de Estado de Cultura e Cidadania.

Ambos os sinais não estariam à disposição apenas do Estado. Bosco Martins, diretor-presidente da Fertel, lembra que a TVE Cultura deixará em breve de utilizar o satélite C3, passando ao StarOne C2, usado por empresas como a TV Globo e a EBC (Empresa Brasileira de Comunicações), cujo alcance é de 24 milhões de lares no Mercosul. “Isso vai levar nosso sinal para cerca de 70 milhões de pessoas, que vão ter oportunidade de ver a nossa produção local em jornalismo, cultura e artes em geral e, também, a possibilidade de levarmos uma ação educacional de longo alcance”.

Fundação Padre Anchieta

O processo de EaD segue os moldes do que a Fundação Padre Anchieta, instituição pública do governo de São Paulo que é a mantenedora da TV Cultura, faz com a Univesp TV, criada junto com a Universidade Virtual paulista, que hoje tem cerca de 60 mil alunos.

Antena digital foi instalada recentemente para melhorar qualidade das transmissões. (Foto: Pedro Amaral)
Antena digital foi instalada recentemente para melhorar qualidade das transmissões. (Foto: Pedro Amaral)

Desde 2009, a Univesp TV exibe sua programação por 16 horas diárias e na internet em apoio aos alunos da universidade, com produções ligadas aos cursos e exibidos nos polos de ensino da Universidade Virtual –que, além de graduações, também oferece especializações para servidores, como professores– e focados na “formação integral do cidadão” pela produção jornalística, documentários, filmes e musicais.

TVE Digital

O início das transmissões digitais em Campo Grande, Terenos e parte da Grande Dourados acontecem no dia 14. Até lá, por conta da migração do sinal, a população poderá experimentar instabilidades na recepção da TVE Cultura. No momento, a emissora passa por ajustes na instalação de antenas e demais equipamentos.

Com o transmissor digital, as transmissões terão o mesmo padrão de qualidade de outras coirmãs na Capital em um raio de 360º. No sistema analógico, a boa recepção dependia da localização das antenas, obstáculo que será superado. Além disso, equipamentos da TVE Cultura já estão preparados para a produção de conteúdo com as novas exigências de qualidade de áudio e vídeo –havendo, assim, ganho também na veiculação da programação na internet, por meio do Portal da Educativa ou na fan page do Facebook.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *