Rádio e TV Educativa de MS

Home Posts Tagged "Corumba"

Corumba

Aeroporto de Bonito, uma das portas de entrada ao Estado de turistas e viajantes; MS ganha novos voos e mais frequências para grandes centros graças à atuação da Fundtur-MS. (Foto: Edemir Rodrigues/Subcom/Arquivo)

Aeroporto de Bonito, uma das portas de entrada ao Estado de turistas e viajantes; MS ganha novos voos e mais frequências para grandes centros graças à atuação da Fundtur-MS. (Foto: Edemir Rodrigues/Subcom/Arquivo)

Após meses de negociação, Mato Grosso do Sul ganha novos voos regulares e extras, além de maior frequência de conexão para os principais destinos do país. Bonito, Campo Grande e Corumbá terão conectividade com cidades como Foz do Iguaçu (PR), Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS). A capital sul-mato-grossense também ganha mais horários de voos para São Paulo e Rio de Janeiro. Esta ação faz parte do programa de Captação de Voos instituído pela Fundtur-MS (Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul), que prevê um trabalho constante para ampliar o acesso aos principais destinos do Estado.

O governador Reinaldo Azambuja explica que o aumento de voos é resultado de negociação com as empresas e da política de incentivo fiscal estadual, que reduziu a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do querosene como contrapartida para as companhias áreas aumentarem o número de operações no Estado. “Com essa redução de ICMS, ninguém é mais competitivo que a gente. Mato Grosso do Sul tem o menor índice do Brasil”, garante.

Ele ainda destaca que as ações do Governo têm o objetivo de alavancar o setor econômico. “Não estamos olhando para arrecadação. Eu prefiro muito mais ter um voo que vai aumentar o turismo e vai acabar movimentando a economia como um todo do que contar com uma certa quantia de ICMS”, justifica.

Para o diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wendling, a captação de novos voos é uma das principais estratégias para o fomento do turismo. “O acesso a um destino, tanto aéreo quanto terrestre, é um dos pontos primordiais para o desenvolvimento do turismo. Por esse motivo, essa articulação para a captação e o aumento da frequência dos voos que já existiam começou fortemente no início do ano de 2018. O Governo do Estado, por meio da Fundtur e parceiros estiveram com duas das principais companhias aéreas brasileiras e algumas internacionais para negociar essa conquista”, ressalta Wendling.

Novos voos

Um dos destaques dos novos voos é Campo Grande – Foz do Iguaçu, que deixa mais perto dois dos maiores destinos de ecoturismo do mundo a partir de 20 de dezembro deste ano. Segundo o diretor-presidente, ligar Bonito a Foz era uma reivindicação antiga dos empresários do setor no Estado.

Destaque também para os voos diretos Campo Grande – Belo Horizonte, que entram em operação em 4 de fevereiro de 2019, Campo Grande – Porto Alegre, em operação a partir de 22 deste mês e Campo Grande – Rio de Janeiro a partir do dia 21 de dezembro, este último através do Aeroporto Internacional do Galeão, que é um dos principais portões de entrada internacional do Brasil.

Débora Bordin, da Fundtur-MS, e Paula Vitorino, da Subsecretaria de Comunicação

Prova de Mountain Bike no Eco Pantanal Extremo; disputas foram encerradas no fim de semana. (Foto: Renê Márcio Carneiro/Prefeitura de Corumbá/Divulgação)

Prova de Mountain Bike no Eco Pantanal Extremo; disputas foram encerradas no fim de semana. (Foto: Renê Márcio Carneiro/Prefeitura de Corumbá/Divulgação)

Os resultados do Eco Pantanal Extremo, concluído no último fim de semana, e os preparativos para a etapa do Circuito Brasileiro Open de Vôlei de Praia em Campo Grande, são destaques no Giro do Esporte desta segunda-feira (19). A revista de esportes da TVE Cultura também fala da Corrida de Rua da Central de Transplantes, realizada no domingo (18), e traz notícias sobre o Flag, dos Jogos da Juventude, do Estadual de Futsal e, ainda, da Série B do Campeonato Sul-Mato-Grossense.

Rodrigo Barbosa de Miranda, chefe da Unidade de Esporte e Lazer da Fundesporte (Fundação do Esporte de Mato Grosso do Sul), vem ao Giro falar sobre o Eco Pantanal Extremo/Jogos de Aventura do Pantanal, já considerado um dos maiores do gênero do Brasil. Disputado desde 2013 em Corumbá entre os dias 15 e 18 de novembro, o torneio teve por objetivo reunir mais de mil atletas em disputas de corrida de trilha, stand up paddle, mountain bike, maratona aquática, canoagem e demonstração de voo livre. A Fundesporte foi parceira da Prefeitura de Corumbá na realização das competições.

O Open de Vôlei de Praia também está no roteiro do Giro do Esporte. Os jogos, válidos pela terceira etapa do Circuito Brasileiro, começam na quarta-feira (21) e vão até domingo (25) no Parque das Nações Indígenas. As competições envolvem 24 duplas no masculino e no feminino. Eduardo Amâncio da Mota, o Madrugada, presidente da Federação de Vôlei de Mato Grosso do Sul, e Tadeu Picanço, da Federação Amazonense de Vôlei e coordenador das competições da CBV (Confederação Brasileira de Voleibol), participam do programa.

Open de Vôlei de Praia desembarca em Campo Grande nesta semana. (Foto: Vôlei Brasil/Reprodução)

Open de Vôlei de Praia desembarca em Campo Grande nesta semana. (Foto: Vôlei Brasil/Reprodução)

O Giro ainda recebe representantes do Jacarés do Pantanal e do Cobras, duas equipes que, no Feminino, disputam o Flag (esporte derivado do futebol americano) e que vão participar no próximo fim de semana do Campeonato Nacional em São Paulo.

O programa traz também reportagens sobre a Corrida de Rua da Central de Transplantes, disputada no fim de semana e que teve largada e chegada em frente à sede da Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa, mantenedora da TVE Cultura), dos Jogos da Juventude –que levou atletas de Mato Grosso do Sul a Natal (RN) e da Série B do Campeonato Estadual de Futebol, que teve disputas neste final de semana.

Assista – O Giro do Esporte traz uma cobertura completa e entrevistas sobre as várias modalidades esportivas praticadas em Mato Grosso do Sul, sempre com a colaboração de comentaristas que conhecem a fundo o desporto local. Apresentado por Eva Regina, o programa tem ainda tem produção e reportagens de Gisllane Leite e David Fernandes e participação em estúdios de atletas, dirigentes e incentivadores do esporte local e nacional.

O programa é transmitido pela TVE Cultura ao vivo às segundas, quartas e sextas-feiras, a partir das 12h. Você também pode acompanhar o Giro do Esporte ao vivo ou suas últimas edições por meio do Portal da Educativa (na aba Assistir a TV, no atalho exclusivo do programa ou pelo Link Ao Vivo) e pelas páginas nas redes sociais Twitter e Facebook e, ainda, pelo canal do Youtube.

Dia será de altas temperaturas, mas com possibilidade de pancadas de chuva em algumas regiões. (Foto: Edemir Rodrigues/Subcom)

Dia será de altas temperaturas, mas com possibilidade de pancadas de chuva em algumas regiões. (Foto: Edemir Rodrigues/Subcom)

Áreas de instabilidades podem se formar nas regiões Pantaneira, Sudoeste, Sul e Central e podem provocar chuva com trovoadas isoladas, bem como com rajadas de vento e queda de granizo nesta quarta-feira (3). As demais áreas seguem com condição de céu parcialmente nublado, segundo o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos).

Já o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) manteve até esta manhã o alerta sobre perigo potencial de temporais na região Sul do Estado, em uma faixa que se inicia ao sul de Corumbá e atravessa o Estado até a Costa Leste, estendendo-se até Mundo Novo.

Esperam-se índices de umidade do ar entre 95% e 40% e termômetros cravando até 39ºC em Miranda, 36ºC em Sonora, 35ºC em Corumbá, 34ºC em Três Lagoas e 32ºC em Campo Grande e Dourados. Confira o mapa:

Com Karla Tatiane, da Subcom (Subsecretaria de Comunicação)

Dia terá céu claro e baixa umidade em grande parte de MS; Estado deve ter chuva na região Sul na quinta-feira, segundo o Cemtec. (Foto: Subcom/Arquivo)

Dia terá céu claro e baixa umidade em grande parte de MS; Estado deve ter chuva na região Sul na quinta-feira, segundo o Cemtec. (Foto: Subcom/Arquivo)

A terça-feira (11) será um dia de céu claro e de baixa umidade do ar em praticamente todo o Mato Grosso do Sul. Ao menos é o que prevê o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos), que aponta a possibilidade de chuva apenas a partir de quinta-feira (13), de forma isolada, no Sul do Estado.

O instituto adverte moradores das regiões Centro-Norte e Nordeste de Mato Grosso do Sul sobre a queda acentuada da umidade do ar, que poderá atingir níveis inferiores a 20% durante a tarde, aumentando os riscos de queimadas e de incidência de problemas respiratórios, sobretudo em crianças e idosos. A baixa umidade também pode causar ardência nos olhos.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) considera adequados à saúde humana índices de umidade superiores a 60%. Abaixo dos 40%, são apontados diferentes níveis de alerta (confira o gráfico abaixo).

Já na região Pantaneira, está previsto um dia mais nublado por conta de ventos vindos do Sul do Brasil, carregando umidade e deixando as temperaturas mais amenas –ainda assim, Corumbá deve registrar ao longo do dia a máxima do Estado, de 39ºC, assim como Sonora.

Campo Grande deve ter máxima de 35ºC, assim como Coxim e Três Lagoas. Em Dourados, os termômetros podem cravar até 34ºC. Confira no mapa como ficam as temperaturas:

Com Karla Tatiane, da Subcom (Subsecretaria de Comunicação)

Preconceito racial e étnico em discussão na seleção que o Sesc Corumbá preparou para o Cine Sesc de setembro. As sessões são gratuitas e ocorrem sempre às quartas-feiras às 19h30 e aos sábados às 15 horas.

No primeiro sábado do mês, 01, o título em exibição será o drama brasileiro “Era o Hotel Cambridge”, dirigido por Eliana Caffé. Refugiados recém-chegados ao Brasil dividem com um grupo de sem-tetos um velho edifício abandonado no centro de São Paulo. Além da tensão diária que a ameaça de despejo causa, os novos moradores do prédio terão que lidar com seus dramas pessoais e aprender a conviver com pessoas que, apesar de diferentes, enfrentam juntos a vida nas ruas

Na quarta, 05 e sábado, 08, será exibido o documentário “Eu não sou seu negro”, dirigido por Raoul Peck. O escritor James Baldwin escreveu uma carta para o seu agente sobre o seu mais recente projeto: terminar o livro Remember This House, que relata a vida e morte de alguns dos amigos do escritor, como Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King Junior. Com sua morte, em 1987, o manuscrito inacabado foi confiado ao diretor Raoul Peck.

Nos dias 12 e 15 de setembro, o longa “Fátima”, dirigido por Philippe Faucon, traz a história de uma mulher que cria sozinha as duas filhas: Souad, de 15 anos, adolescente rebelde; e Nesrine, de 18 anos, começando os estudos de medicina. Ela não fala bem francês, o que frustra sua comunicação com as filhas, mas ainda assim ambas são a razão para que ela siga em frente. Um dia, em seu emprego como empregada doméstica, ela cai de uma escada. Convalescendo, escreve em árabe tudo o que nunca conseguiu dizer às filhas em francês.

Dias 19 e 22 tem Martírio, longa brasileiro com direção de Vicent Carelli; Ernesto de  Carvalho e Tita. O documentário traz uma análise da violência sofrida pelo grupo Guarani Kaiowá, uma das maiores populações indígenas do Brasil nos dias de hoje e que habita as terras do centro-oeste brasileiro, entrando constantemente em conflito com as forças de repressão e opressão organizadas pelos latifundiários, pecuaristas e fazendeiros locais, que desejam exterminar os índios e tomar as terras para si.

Encerrando a seleção de setembro, nos dias 26 e 29 será exibido “Guerra do Paraguay”, dirigido por Luis Rosenberg Filho. Nessa metáfora poética sobre uma guerra sangrenta, um fato inesperado se torna real: um encontro do passado com o presente, da barbárie com a arte. Um soldado vindo da Guerra do Paraguay se encontra uma trupe de teatro dos dias de hoje.

Serviço – O Sesc Corumbá fica na rua 13 de junho, 1703 – Centro. Informações pelo telefone (67) 3232-3130. Acompanhe a programação do Sesc no site sesc.ms

FONTE: Sesc MS

O Palhaço (foto: divulgação)

A partir do dia 25 o Cine SESC exibe dois longas dramáticos na Capital e em Corumbá além de estrear a Matinê Aldeia Materna, no SESC Cultura de Campo Grande.

O filme em cartaz na matinê regular do dia 25 e nas sessões das 19h de 25 e 27 de julho será “Abraço da serpente” do diretor Ciro Rocha. O drama conta a história de um explorador europeu que conta com a ajuda do xamã Karamakate para percorrer o rio Amazonas. Gravemente doente, ele busca uma lendária flor que pode curar sua enfermidade.

Já no dia 26, 15h, na primeira sessão da Matinê Aldeia Materna, será exibido o longa “O Palhaço” de Selton Mello. A programação conta com um encontro mensal e é especial voltada às mães com crianças de até 24 meses, uma proposta cultural inclusiva em espaço climatizado e preparado com trocador, espaço baby, além de filmes escolhidos pelas próprias participantes. Ao fim das exibições acontece um momento para conversa, em que as mães poderão trocar ideias e experiências.

Corumbá – Com o tema “(des)afetos e afetividades”, o Sesc Corumbá preparou para julho uma seleção impactante com filmes de várias nacionalidades. O Cine SESC exibe “A Caça”, na quarta-feira 25, às 19h30 e no sábado, 28, às 15h. No longa dirigido por Thomas Vinterberg, Jagten Lucas (Mads Mikkelsen) acaba de dar entrada em seu divórcio. Ele tem um novo emprego na creche local, uma nova namorada e está ansioso pela visita de Natal de seu filho, Marcus. Mas o espírito natalino desaparece quando Klara, uma aluna de cinco anos de idade, faz uma acusação de abuso contra Lucas, o que desencadeia o ódio de toda a comunidade em que ele vive. Lançado em 2013, o filme foi indicado ao Oscar, como melhor filme estrangeiro.

O Cine SESC tem como proposta contribuir com a formação de público de cinema, bem como com a capacidade crítica sobre conteúdo e estética das produções.

Serviço: O Sesc Cultura está localizado na Avenida Afonso Pena, nº 2270. O Sesc Corumbá fica na rua 13 de junho, 1703 – Centro. Informações pelo telefone (67) 3232-3130. Acompanhe a programação do Sesc no site sesc.ms

Via Site do SESC MS.

Roda de Salvaguarda visa a preservar o modo de fabricação da Viola de Cocho. .(Foto: Iphan/Divulgação)

Roda de Salvaguarda visa a preservar o modo de fabricação da Viola de Cocho. .(Foto: Iphan/Divulgação)

A Superintendência do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) de Mato Grosso do Sul lançou convite para todos os mestres cururueiros e siririeiros participarem nesta quinta-feira (21), no Escritório Técnico do órgão em Corumbá, de uma Roda da Salvaguarda do Modo de Fazer a Viola de Cocho. O chamado também vale para a população em geral, sendo uma forma de promover o registro cultural e histórico sobre a fabricação do instrumento.

Em nota, o Iphan reforçou que tem entre suas missões a promoção e coordenação do processo de preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro de forma a permitir o fortalecimento de identidade, garantia do direito à memória e contribuição ao desenvolvimento socioeconômico do país.

Nesse sentido, em 2017, dois processos administrativos deram início à discussão sobre a revalidação do registro do modo de fazer a Viola de Cocho, em um esforço conjunto das superintendências do instituto em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Naquele momento, foi elaborada a Carta da Viola de Cocho, que elencou os pontos positivos e negativos, diretrizes e propostas que tenham como meta sanar dificuldades apresentadas no registro histórico-cultural.

O registro oral servirá para diagnosticar a situação atual do bem, sensibilizar a comunidade como um todo e fomentar a necessidade do pensamento de gestão compartilhada, evidenciando os detentores das técnicas de fabricação da Viola de Cocho como protagonistas da ação e subsidiando o processo de revalidação do registro artesanal.

A Viola de Cocho foi reconhecida em 2005 como patrimônio imaterial brasileiro. Trata-se de um instrumento de cinco cordas dedilhadas variante da viola brasileira, sendo comum em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. O nome é derivado do processo de fabricação, a partir de um tronco de madeira inteiriço e esculpido em formato de viola, escavado na caixa de ressonância –de forma semelhante à que são fabricados os cochos usados para alimentação de animais.

O “cocho” do instrumento, porém, recebe um tampo e as demais partes que caracterizam uma viola –cavalete, espelho, rastilho e cravelhas. O instrumento, tipicamente pantaneiro, dá o tom no cururu e no siriri, bem como na ladainha, no “rasqueado cuiabano” e outros ritmos regionais e manifestações culturais.

Serviço – A Roda da Salvaguarda do Modo de Fazer a Viola de Cocho será realizado a partir das 14h no Escritório Técnico do Iphan em Corumbá, à rua Manoel Cavassa, s/n, no Centro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 3232-1492 ou pelo e-mail iphan-ms@iphan.gov.br.

O Fasp deste ano optou por um intenso investimento na educação ao criar o Circo da Cultura e Cidadania, no Porto Geral. Foto: André Patroni

Provado e aprovado pela população, que respondeu com grande participação aos eventos e postagens positivas nas redes sociais, o novo modelo do Festival América do Sul Pantanal (Fasp) deve servir como referência conceitual, em estrutura, produção e programação. E vai gerar uma Carta à América do Sul, criando uma agenda cultural dentro do calendário do Mercosul.

“A carta aberta é um desdobramento do Festival, uma reflexão, é uma carta da Era Cidadã, para criar um antagonismo à barbárie, à violência, à antidemocracia”, destacou o secretário de Estado de Cultura e Cidadania, Athayde Nery, ao fazer o balanço do 14º Fasp. Respeito, democracia e paz. Este foi o tripé de valores transmitidos pelo titular da SECC durante o Festival.

“O Festival é uma trincheira voltada para construir relações humanas, superar as fronteiras. Fizemos história em Corumbá, Ladário, Puerto Quijarro e Puerto Suarez, as prefeituras dessas cidades estiveram totalmente engajadas no festival”, acrescentou o secretário.

Respeito, democracia e paz. Este foi o tripé de valores transmitidos pelo titular da SECC durante o Festival. Foto: Álvaro Herculano

Athayde citou o incentivo às relações internacionais, com a participação do ministro da Cultura do Paraguai, Fernando Griffith, bioquímico, professor e palestrante no Seminário Cultura e Cidadania, e do jornalista colombiano Jorge Melguizo, ex-secretário de Cultura e Cidadania de Medellin, que usou a cultura como arte de transformação social e ajudou a reduzir os índices de violência na cidade colombiana, de 360 casos (por cada cem mil habitantes) para 39 casos em uma década.

O Fasp deste ano optou por um intenso investimento na educação ao criar o Circo da Cultura e Cidadania (CCC), no Porto Geral, onde cerca de 500 alunos da rede pública de Corumbá, Ladário e cidades bolivianas vizinhas apresentaram coreografias em homenagem aos países sul-americanos, além dos shows do Circo de Medellin, Colômbia. No mesmo local os melhores desenhos, poesias e vídeos do concurso “Soy Loco Por ti, América” foram premiados com celulares e bicicletas.

Corumbá possui cerca de 10 mil alunos matriculados na rede pública e Ladário outros 1.300. Grande parte deles conseguiu participar do Festival. O envolvimento dos estudantes foi um diferencial no Fasp, tanto no CCC como no Quebra-torto com Letras, que reuniu no Instituto Moinho Cultural nomes de destaque da literatura regional, nacional e internacional.

Corumbá possui cerca de 10 mil alunos matriculados na rede pública e Ladário outros 1.300. Grande parte deles conseguiu participar do Fasp. Foto: André Patroni

“Fiquei feliz em receber a atenção dos estudantes e poder divulgar meu trabalho”, ressaltou a escritora e artista visual corumbaense Marlene Mourão, a Peninha. A valorização do escritor, do artista, do artesão e da mão de obra locais proporcionou uma mobilização mais intensa na Cidade Branca, que se sentiu protagonista e engajada no festival: 60% dos participantes foram corumbaenses e ladarenses.

O diretor-presidente da Fundação de Cultura e Patrimônio Histórico de Corumbá, Joilson Silva da Cruz, lembrou que a realização de uma audiência contribuiu para novo modelo. “Tivemos uma diagnóstico sobre as necessidades e demandas locais”, acentuou. A diversidade cultural e étnica esteve presente na figura do Brô MC’s, grupo de rap indígena da aldeia Jaguapiru Bororo, de Dourados, que subiu ao Palco Integração antes do show de Criolo. E no painel Guató Povo das Águas, com os professores Jorge Eremites e Giovani Silva. Ou no Seminário Itan Otito Wa – Nossa Verdadeira História, um debate sobre nossas origens.

Martinho da Vila, Criolo, Daniela Mercury, Roberta Miranda, cada um a seu modo, cantaram a felicidade e contribuíram para levar mensagens de amor, sempre diante de um grande público em torno do Palco Integração. O rapper Criolo deixou esses versos da música Ainda há Tempo: “Não quero ver você triste assim, não. Que a minha música possa te levar amor.”

O Quebra-torto com Letras serviu a legítima comida pantaneira no evento ocorrido do Moinho Cultural. Foto: André Patroni

Repórter Terena no festival

Antes ignorados, agora protagonistas. Assim passou a ser o envolvimento indígena no Fasp. Não bastasse a Tenda dos Saberes em que as principais etnias mostraram ou venderam seus artesanatos – entre elas Catarina Guató, pioneira nas confecções com base na fibra de aguapé – eles também se destacaram na reportagem do evento. Nas oficinas, seminários, nos bastidores dos shows, ou seja, lá onde tivesse a notícia, lá estava o incansável Sidney Terena, microfone em punho, em mais uma reportagem para a webtevê Via Morena, de Campo Grande.

Formado em Comunicação em 2011 na UCDB, ele apresenta o programa “A Voz Indígena”. Em Corumbá, contou com o apoio do cinegrafista Edson de Souza, da mesma etnia, e do assistente Genilson Kinikinawa. “O que você não vê na TV aberta vai ver na Via Morena”, assegurava Sidney Terena. Um inédito olhar indígena no FASP. Endereço: viamorena.com

Nossa Senhora do Pantanal

Na noite em que finalmente cantou ao lado da dupla Tostão e Guarany, no show Memórias, domingo, no Palco Integração, o violeiro campo-grandense Aurélio Miranda prestou homenagem a um velho parceiro, o compositor corumbaense Sandro Nemir, com quem divide a autoria da canção “Nossa Senhora do Pantanal”. Nemir cedeu os versos a Aurélio durante uma visita do violeiro a Corumbá. Aurélio aprovou, fez a melodia e gravou a composição, que se tornou um de seus maiores sucessos.

No show, Aurélio chamou o compositor ao palco para juntos cantarem o hit regional. Um dia antes, Sandro Nemir, de 75 anos, era homenageado na Festa do Samba “Canta Corumbá” por seu trabalho de 53 anos como compositor na Cidade Branca. Ele gravou o CD “50 anos de Folia Corumbaense” com seus principais sucessos. O próximo passo é uma música para celebrar os 240 anos de Corumbá em setembro. E, claro, novos sambas enredo para o Carnaval 2019.

Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania – SECC

Foram mais de 50 horas de produção e transmissão sobre o Fasp 2018. (Foto: Cezar Roriz)

Foram mais de 50 horas de produção e transmissão sobre o Fasp 2018. (Foto: Cezar Roriz)

Uma equipe de mais de 20 profissionais que se dedicou dia e noite para mostrar a Mato Grosso do Sul, ao Brasil e ao mundo a transformação de Corumbá na Capital da Cultura. Entre os dias 25 e 28 de maio, a programação ao Festival América do Sul Pantanal teve atenção especial da Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul), inclusive com a transmissão ao vivo dos principais shows pela televisão e internet.

O trabalho realizado nos quatro dias de grandes shows no festival envolveu reportagens especiais e uma cobertura exclusiva, permitindo que a audiência acompanhasse ao vivo atrações nacionais que cederam o direito de transmissão –o sambista Martinho da Vila, o rapper Criolo e as cantoras Daniela Mercury e Roberta Miranda, que animaram e emocionaram a praça Generoso Ponce.

Conforme dados da Gerência de Tecnologia e Internet da Fertel, durante os quatro dias de Fasp aproximadamente 4.600 telespectadores assistiram online a programação do festival pelo Portal da Educativa e fan page do Portal no Facebook.

O diretor-presidente da Fertel, jornalista Bosco Martins, destacou que a produção durante o Fasp 2018 também serviu como laboratório para a migração da TVE Cultura para a plataforma digital, que permite melhor qualidade na imagem e no som.

“Conseguimos fazer mais de 50 horas de transmissões, antecipando o cenário da TVE Digital, que até o fim de julho esperamos entregar à comunidade. Fizemos um grande laboratório em Corumbá, durante o festival, e esperamos dar continuidade no Festival de Inverno de Bonito”, declarou Bosco durante o programa Bom Dia Campo Grande, da Educativa FM 104,7.

Equipe da TVE Cultura realizou extensa cobertura em Corumbá durante o Fasp 2018. (Foto: Cezar Roriz)

Equipe da TVE Cultura realizou extensa cobertura em Corumbá durante o Fasp 2018. (Foto: Cezar Roriz)

O diretor da Fertel aproveitou o espaço para agradecer “à família Fertel”, que em Corumbá atuou sob coordenação de Cezar Roriz, pelo trabalho produzido durante o Fasp, bem como aos artistas eu autorizaram a transmissão dos shows para a rede pública de televisão sul-mato-grossense e ao público que acompanhou as transmissões pela TVE Cultura, no Portal da Educativa e também na página do Facebook, “que conseguiu assistir com uma maior qualidade de imagem e som não só shows nacionais, mas a diversidade de nossa cultura, multifacetária”.

“O Fasp foi uma grande oportunidade para que possamos dar continuidade à produção de uma programação de conteúdo e qualidade”, complementou Bosco Martins.

Números

O secretário de Estado de Cultura e Cidadania, Athayde Nery, destacou que o Fasp 2018 atraiu mais de 50 mil pessoas às suas diferentes atividades, realizadas desde 21 de maio em Corumbá, Ladário e nas cidades de Puerto Quijarro e Puerto Suárez (Bolívia). “Tivemos um festival que atende a todas as expectativas”, afirmou.

“Foi um grande palco da cidadania, da cultura ,de respeito e paz”, salientou, reforçando o apoio prestado pelo Governo do Estado e a Prefeitura de Corumbá, em áreas que foram além das atrações culturais –como a logística e a segurança pública– para o sucesso do Fasp. “Tudo isso mostra aquilo que nos moveu: fazer de Corumbá o coração da região”.

Roberta Miranda fechou a última noite do Fasp: grandes artistas autorizaram transmissão de shows. (Foto: Cezar Roriz)

Segundo ele, o crescimento do Fasp abre caminho para novas conquistas no setor cultural sul-americano, como uma Carta própria apontando marcos para esta área e também no enfrentamento a problemas como o preconceito “e todos aqueles que estimulam a intolerância”. “Saio daqui com o sentimento de dever cumprido quanto àquilo que nos predispomos a entregar. E entregamos”, salientou.

Athayde ainda apontou que cada real investido no Festival América do Sul Pantanal gerou outros R$ 7 para os setores de comércio e serviços, mostrando que a cultura também é um fator de ativação da economia. “Não se deve mais falar em desenvolvimento econômico sozinho. Se ele não vem com o desenvolvimento humano é prejudicial”. O secretário finalizou reforçando que, apesar do protesto de caminhoneiros e dos problemas com transporte, Corumbá experimentou dias de hotéis lotados e grande movimento na cidade.

A abertura da maior edição do Fasp (Festival América do Sul Pantanal), com mais de 250 eventos e participação de dez países, aconteceu na noite dessa quinta-feira (24) na praça Generoso Ponce, em Corumbá. Representando o governador Reinaldo Azambuja, a vice-governadora Rose Modesto destacou a integração internacional do evento, que reúne artistas de toda a América do Sul.

Multidão acompanhou a abertura do Fasp 2018, que foi precedida pelo cortejo de andores do Banho de São João. (Foto: Leca/VG)

“A principal característica desse festival e que o torna o maior do Brasil é essa integração entre dez países, permitindo não somente apresentações, mas a reflexão em torno de questões importantes para a construção de uma sociedade cada vez melhor”, afirmou a vice-governadora, por meio de sua assessoria.

De acordo com ela, os investimentos feitos pelo governo do Estado em parceria com as prefeituras de Corumbá e Ladário tiveram o intuito de proporcionar o acesso da população a atrações culturais, bem como estreitar laços com países vizinhos e contribuir para a geração de renda por meio do turismo.

Com atividades realizadas desde 21 de maio, o Fasp 2018 teve sua abertura oficial nesta quinta-feira, com o show de Martinho da Vila. As principais apresentações do festival, que vai até domingo (27) serão transmitidas pela TV MS Educativa (em Campo Grade, no canal aberto, e pela NET, nos canais 15, da Capital, e 27, de Corumbá), bem como pelo Portal da Educativa e na fan page no Facebook.

Rose Modesto destacou características do Fasp ao público em abertura oficial. (Foto: Leca/VG)

Rose Modesto destacou características do Fasp ao público em abertura oficial. (Foto: Leca/VG)

Integração

O ministro da Cultura do Paraguai, Fernando Griffith, agradeceu ao governo do Estado pela oportunidade de confraternização e troca de experiência cultural entre os dois países. “É muito honroso e emocionante escutar o hino do Paraguai aqui, um milagre da cultura, de nos encontrar. É extraordinário sentir esse calor humano”, destacou.

Prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes, também agradeceu pela ação do governo, listando ainda outras ações e investimentos na região de Corumbá. “(O Estado) Está investindo na ampliação do hospital, realizando o sonho de um pronto socorro novo. E além da infraestrutura e saúde, na área da cultura. Isso é parceria em prol de vocês, portanto, espero que todos um bom festival”, desejou.

O prefeito de Ladário, Carlos Ruso, defendeu que os países da América do Sul estejam sempre integrados. “Que possamos fazer sempre essa união e miscigenação de culturas que vemos aqui hoje”, pontuou.

Autoridades participaram da abertura oficial do evento que vai até domingo em Corumbá. (Foto: Clóvis Neto/PMC/Divulgação)

Autoridades participaram da abertura oficial do evento que vai até domingo em Corumbá. (Foto: Clóvis Neto/PMC/Divulgação)

14ª edição

O novo formato do festival, que chega à sua 14ª edição, foi pensado para a formação de uma cidadania cultural impregnada de valores e respeito às diferenças e pensamentos, superando barreiras de conflitos e geográficas e fortalecendo a irmandade latino-americana, definição esta que foi realçada pelo secretário de Estado de Cultura e Cidadania, Athayde Nery.

“Queremos que este festival se propague por todos os países promovendo a democracia e o diálogo”, disse ele.

Neste ano, o tema do Fasp é “Cultura e Cidadania Sem Fronteiras” e os eixos são a defesa da democracia, respeito e paz. “Queremos construir pontes humanas a favor da paz, superando as barreiras geográficas”, declarou Athayde Nery.

Primeira noite de shows do Fasp ocorreu nesta quinta-feira. (Foto: Clóvis Neto/PMC/Divulgação)

Primeira noite de shows do Fasp ocorreu nesta quinta-feira. (Foto: Clóvis Neto/PMC/Divulgação)

O secretário ainda destacou a importância da participação cidadã no festival para construção coletiva de um mundo melhor. “Estamos cultuando três valores fundamentais: o respeito às pessoas, às diferenças e pensamentos; a democracia, com o Estado dialogando com todos os segmentos; e a paz, que deve ser construída coletivamente. Esse é o sentido do nosso festival, uma reflexão por meio da cultura”, finalizou.

“Milagre cultural”

Ao percorrer a praça e os pavilhões dos países instalados na avenida General Rondon, Centro da cidade, o ministro paraguaio Fernando Griffith se surpreendeu com os costumes da região, que se confundem com as manifestações de todo o continente. Ele chamou de “milagre cultural” ao observar as pessoas se alimentando de iguarias como a saltenha, de origem argentina, e o tereré, bebida típica do seu país que se agregou à cultura sul-mato-grossense.

“Este festival é algo grandioso e deve ser cada vez mais difundido em todos os países do nosso continente”, comentou o ministro, que se misturou às pessoas na praça para assistir aos shows de Martinho da Vila e do harpista Fábio Kaida. “O governo de Mato Grosso do Sul está de parabéns por pensar em um encontro latino-americano como este, onde rompemos nossas diferenças e superamos conflitos do passado em uma grande irmandade”, disse Griffith.

Na noite de quinta, a abertura foi precedida do tradicional Cortejo de Andores do Banho de São João. Foram cantados os hinos nacionais dos países vizinhos ao Brasil. No palco Interação, foram apresentadas atrações regionais e feita homenagem ao ex-prefeito Ruiter Cunha [in memorian], entregues à ex-primeira-dama Beatriz Cavassa. Após a solenidade, a população conferiu o show do cantor Martinho da Vila.

Nesta sexta-feira, o rapper Criolo será a atração principal do Fasp. A praça Generoso Ponce ainda será palco de shows de Daniela Mercury (sábado, 26) e de Roberta Miranda (domingo, 27). Além de apresentações nacionais, o festival reúne dezenas de atrações locais e internacionais.

(Informações da Vice-Governadoria e da Subsecretaria de Comunicação)