Semana do Cinema Brasileiro começa hoje com Oficina de Produção Audiovisual

Compartilhe:

Começou na manhã desta terça-feira, 14 de junho, no Museu da Imagem e do Som, a Oficina de Produção Audiovisual, que vai até sexta-feira. A oficina faz parte da Semana do Cinema Brasileiro, realizada pelo MIS e o Núcleo de Difusão do Audiovisual, ambos da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, em parceria com o Colegiado Setorial do Audiovisual.

A Oficina de Produção permite aos participantes conhecer o processo de realização de um produto audiovisual, desde o momento da criação até a exibição. Os alunos receberão dicas de como providenciar todos os itens necessários para uma gravação, desde orçamento e locação de equipamentos, passando pela organização das gravações e eventos, coordenação com os demais membros da equipe e supervisão da desprodução e pós-produção.

Através de um bate-papo com profissionais da área, os alunos poderão tirar dúvidas e curiosidades, além de serem provocados a exercitar a criatividade e entenderem as diversas funções da equipe de produção, como produtor de set, secretário de produção, produtor de elenco e assistente de produção. Também será realizada uma breve explanação sobre a Direção de Arte.

Ministrada por Rose Borges, produtora audiovisual e editora da TV Morena, bacharel em Artes Visuais pela UFMS com mais de dez anos de experiência, a oficina aborda, na manhã de hoje, sobre as etapas da pré-produção. “Cada dia abordaremos um tópico. É muito gratificante para mim participar de uma mostra desse tamanho”.

Rose explicou que para realizar uma produção audiovisual é necessário planejamento, cujas principais fases são: definição da quantidade de diárias para gravar; equipamentos a serem utilizados; contratação de membros da equipe; definição dos lugares onde vão acontecer as gravações; contatos com os personagens (entrevistados); cronograma de filmagem e preparação das autorizações de uso de imagem.

Muito importante também é o levantamento financeiro do que será gasto com a produção, nos custos de planejamento. Procura-se fazer uma adequação de acordo com o orçamento disponível. Nesta etapa também é feita análise técnica que são tabelas em que se discriminam todos os itens necessários para a produção a fim de se ter uma visão mais ampla. Onde conseguir verba: patrocínio, políticas de editais e recursos próprios.

Outras fases da pré-produção são as consultorias e ensaios. As consultorias consistem em pesquisas em materiais diversos e consultas de profissionais que dominam o tema a ser produzido, e os ensaios são treinos, experimentos prévios dos atores e profissionais envolvidos a fim de evitar possíveis falhas.

A estudante de Artes Visuais Bruna Motta decidiu fazer a oficina porque gosta muito do assunto. “Queria saber mais sobre a área em que eu quero trabalhar. Estou vendo bastante coisa que no curso [de Artes Visuais] eu não vejo. Lá tem a parte de foto e vídeo, mas é bem superficial”.

Isabela Rodrigues, no momento, deu um tempo nos estudos e está buscando aquilo que a interessa na vida. Viu uma postagem no facebook e veio fazer a oficina por curiosidade. “Gosto muito de artes, fotografia, mídia, essas coisas. É sagrado o conhecimento”. Sua amiga, Karen Freitas, cursa o Ensino Médio e pretende fazer cinema. “Gosto muito dessa área. Conhecimento nunca é demais. Pretendo atuar como cineasta e na direção”.

A fotógrafa Raquel Ovelar cursa a oficina com o objetivo de adquirir conhecimento. “Tenho interesse em audiovisual. Se tiver oportunidade, gostaria de trabalhar na área. Meu interesse é em direção de fotografia e pós-produção”.

Ao mesmo tempo em que acontece a oficina, alunos do primeiro ano da Escola Municipal Maria Lúcia Passareli realizam uma visita ao MIS e assistem aos curtas “Calango Lengo” e “Calango”, que aborda a temática dos retirantes nordestinos. Após a exibição dos filmes as crianças participam de uma oficina com técnicos do MIS que vai tratar do tema dos curtas. As atividades fazem parte do Beabá do Cinema, dentro da Mostra do Cinema Brasileiro.

Serão realizadas a Mostra em homenagem aos realizadores do Estado, Beabá do Cinema com crianças de seis a dez anos de escolas públicas, Oficina de Produção para o público em geral, Seminário Estadual e Maratona de Filmes no dia 19 – Dia do Cinema Brasileiro.
A Mostra acontece até 19 de junho. Confira a programação:

Mostra Realizadores de MS
Dia 14 (terça-feira), às 19 horas, no MIS – David Cardoso – Sem defesa (2015)

Dia 15 (quarta-feira), às 19 horas, no MIS – Reynaldo Paes de Barros – Agnaldo – Perigo a vista (1968) (1969)

Dia 16 (quinta-feira), às 19 horas, no MIS – Lu Bigatao – CAA a Força da Erva Mate (2005)

Dia 17 (sexta-feira), às 19 horas, no MIS – Cândido da Fonseca – Sasha Siemel – O caçador de onças (2007)

Beabá do Cinema
Terça-feira /14 / às 8h – Escola Municipal Maria Lucia Passarelli

Quarta-feira / 15 / 8h – Escola Municipal Imaculada Conceição

14h Escola Municipal Bernardo Franco Bais

Quinta-feira / 16 / 14h – Escola Municipal Maria Lucia Passarelli

Oficina de Produção Audiovisual
14 a 17 (terça a sexta) 8h às 11h Ministrada por Rose Borges (15 alunos)

Seminário Estadual do Audiovisual – 18 de junho
8h às 12h – Painel de Experiência do Audiovisual no Estado (com representantes do interior) – Definições do Colegiado Setorial de Mato Grosso do Sul

14h às 18h – Plano Setorial do Audiovisual – Convidada Débora Peters – Chefe da Ancine DF

Dia do Cinema Brasileiro – Maratona Nacional – 19 de junho – domingo
14h – Brasil animado (2011) Mariana Caltabiano

16h – Colegas (2013) Marcelo Galvão

18h – O cheiro do ralo (2007) Heitor Dhalia

20h – Saneamento Básico (2007) Jorge Furtado

22h- Encarnação do Demônio (2008) Zé do Caixão (2008) José Mojica Marins

Texto: Karina Lima – FCMS

Foto: Edemir Rodrigues – FCMS


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *