plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Rede Educativa exibe curtas selecionados em curso de produção documental promovido pela TVE e MIS

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

A Pré exibição de documentários na TV Educativa acontece dia 11, às 17h30. Lançamento oficial será no dia 12, no Autocine da UFMS, a partir das 19h, dentro das comemorações dos 44 anos de Mato Grosso do Sul 

Depois da primeira leva de documentários produzidos há quatro anos, o Museu da Imagem e do Som e a TV Educativa lançam publicamente cinco novos curtas metragens, fruto do segundo Curso de Documentário MS em Imagens e Sons, trazendo recortes da cultura do Estado, que comemora 44 anos de criação, desmembrado do uno Mato Grosso. Cerca de 30 alunos participaram do curso, aprenderam técnicas e estéticas cinematográficas em produção documental. 

O II Curso de Documentário MS em Imagem e Som foi realizado graças ao Prêmio Darcy Ribeiro concedido pelo Instituto Brasileiro de Museu (Ibram) pela ação educativa que foi o “I Curso MS 40 anos em Histórias Cinematográficas” realizado em 2017, fruto de parceria da Fundação de Cultura, através do Museu da Imagem e do Som, com a TV Educativa de Mato Grosso do Sul. A coordenação do curso foi de Carlos Diehl (TVE) e Marineti Pinheiro (MIS) com suporte de Álvaro Banducci, Fernanda Gurgel, Luiz Henrique Gehlen, Tiago Pedro e Vitor Zan como ministrantes convidados.

“Foi um intenso processo de aprendizagem que resultou em cinco curtas metragens de muita qualidade cinematográfica “, diz Marineti, para quem as produções agregam ao acervo e afirmam o potencial cultural de Mato Grosso do Sul”, diz Marineti Pinheiro. Segundo ela, o primeiro filme a ser exibido será Poty.

Poty teve direção das indígenas guarani kaiowá Daniele Jorge João e Michele Perito. Filmado na área de retomada Gurya Kambý, em Douradina, o filme fala  da importância da indumentária tradicional. O traje típico deve ser usado em rituais típicos da cultura indígena.

A jovens, futuras Nhandesy’s (rezadeiras), seguem os ensinamentos das mais velhas, assim como aprendem a tocar instrumentos como o Takuapu, um bastão de ritmo, confeccionado com taquaras cortadas em tamanhos diversos. Nos rituais ele é batido pelas mulheres sobre a terra fazendo o som dos trovões, marcantes e ouvidos a longa distância.

Desde a apresentação do projeto durante o segundo curso de documentário produzido pelo MIS e TV Educativa o grupo se emocionou muito com a história de Flores de Bálsamo, dirigido por Lucas Miyahira, Henrique Arakaki e a Karen Freitas.

No curta, a descoberta de um antigo instrumento musical proporciona o encontro de um jovem com a música e as tradições da Ilha de Okinawa, despertando também as lembranças de seus bisavôs. As histórias do casal de idosos convidam o telespectador a refletir sobre a relação entre o som e a memória, como também sobre continuidade e mudança cultural.  

Troca de Gibis – Uma mania dos anos 60-70” é dirigido e protagonizado por Celso Higa, e nele o burburinho nas tardes dominicais ao lado do cine Santa Helena onde a calçada era dividida por cinéfilos, vendedores ambulantes e trocadores de gibis. A nostalgia da Campo Grande dos anos 1960 a 1970 é relatada por depoimentos de quem viveu o auge da mania da troca dessas Histórias em Quadrinhos. Recorte que documenta a influência dos gibis às novas gerações por seu encantamento. Espera-se que sempre haverá leitores.

Abayomis” é um documentário que fala da importância do reconhecimento da ancestralidade e da representatividade que as crianças negras precisam para construir sua identidade de maneira positiva. Abayomis utiliza da memória afetiva e da feitura da boneca negra para transmitir valores de amor, respeito e resistência que uma mãe ao se recordar da sua infância recupera em um baú suas bonecas que representa a herança e o legado da sua família. O curta é dirigido por Sheila Azevedo,  uma militante do movimento negro e colecionadora de bonecas negras. 

“Invasão Rap”

Documentário traz a história da vida de Diogo Espírito Santo, que somado às narrativas de Mano Xis, Marilena Grolli, DuBueiro, Mariana Rocha e Renato Naldinho, conta suas trajetórias na cultura hip hop na capital.

O curta tem direção do próprio Diogo, com Nicoly Vargas, Beatriz Bogarim e Matheus Loureiro. 

Confira as sinopse dos documentários que serão exibidos:

Poty (7’13″)  

A roupa típica Guarani e Kaiowá é muito importante durante os cantos e precisa ser vestido com esse Poty, através disso o Jary se aproxima cada vez. As jovens, futuras Nhandesy’s (rezadeiras) aprendem com as mais velhas, assim como aprendem a tocar instrumentos como o Takapu, fundamentais nos rituais sagrados.

Direção/ Roteiro/ Câmera / Som: Daniele Jorge João e Michele Perito Concianza

Edição: Marineti Pinheiro

Pós-Produção Carlos Diehl

Finalização EV Imagens

Flores de Bálsamo (16’)

A descoberta de um antigo instrumento musical proporciona o encontro de um jovem com a música e as tradições da Ilha de Okinawa, despertando também as lembranças de seus bisavôs. As histórias do casal de idosos convidam o espectador a refletir sobre a relação entre o som e memória, como também sobre continuidade e mudança cultural.

Roteiro, Fotografia e Direção: Lucas Miyahira dos Santos, Henrique Arakaki e Karen Freitas

Som Direto e Pós-Produção de Áudio Vitor Tomaz Zan

Animação de Abertura: Henrique Arakaki

Color Correction: Lucas Miyahira dos Santos

Operador de Áudio: Roberto Tormin

Troca de Gibis – Uma mania dos anos 60-70  (14’51)

Burburinho nas tardes dominicais ao lado do Santa Helena! A calçada era dividida por cinéfilos, vendedores ambulantes e trocadores de gibis. A nostalgia da Campo Grande dos anos 1960 a 1970 é relatada por depoimentos de quem viveu o auge da mania da troca dessas Histórias em Quadrinhos. Recorte que documenta a influência dos gibis às novas gerações por seu encantamento. Espera-se que sempre haverá leitores.

Pesquisa e Argumento: Celso Higa

Roteiro, produção e direção: Celso Higa, Sandra Freitas e Thays Regina Biehl

Imagens: Carlos Diehl, Marineti Pinheiro e Rachid Waqued

Edição: Carlos Diehl e Thays Regina Biehl

Finalização: EV Imagens 

Abayomis (9’)

A importância do reconhecimento da ancestralidade e da representatividade que as crianças negras precisam para construir sua identidade de maneira positiva. Abayomis utiliza da memória afetiva e da feitura da boneca preta para transmitir valores de amor, respeito e resistência que uma mãe ao se recordar da sua infância recupera em um baú suas bonecas pretas que representa a herança e o legado da sua família.

Direção Sheila Azevedo

Roteiro Sheila Azevedo Pereira e Luciana Scanoni

Assistente de Roteiro Vagner Santos

Produção Ana Rita Dorneles, Sheila Azevedo, Luciana Scanoni e Raylson Chaves

Fotografia Raylson Chaves, Luciana Scanoni, Carlos Diehl, Marineti Pinheiro

Edição Raylson Chaves

Pós-produção Carlos Diehl

Invasão Rap (16′)

O documentário nasce da vida de Diogo Espírito, que somado as narrativas de Mano Xis, Marilena Grolli, DuBueiro, Mariana Rocha e Renato Naldinho, contam suas trajetórias na cultura hip hop.

Roteiro, fotografia e Direção: Nicoly Vargas, Beatriz Bogarim, Matheus Loureiro e Diogo

Espirito Santo

Som direto: Carlos Dihel

Cinegrafista: Emerson Silva

Edição e Montagem: Matheus Loureiro

Assistente de edição e colorização Thauanny Maíra

 

Mais informações sobre o evento com o Museu da Imagem e do Som pelo telefone: (67) 3316-9178.

Fotos: Reprodução 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *