Prêmio MPMS de Jornalismo Jorge Góes: veja os destaques e os vencedores anunciados nesta sexta feira

“Peixes obesos em Bonito”, que trata da questão alimentação dada por turistas as piraputangas do Balneário Municipal de Bonito, matéria que teve repercussão nacional com exibição na rede Record, foi a vencedora na categoria telejornalismo e vem assinada pelo repórter Willian Lima Franco.

Natalia Rafael Yahn do Nascimento, com a matéria “Investigações apontam esquema criminoso em cirurgias bariátricas” e Aline dos Santos com “Metade de 13 toneladas diárias de recicláveis é enterrada como lixo”, também garantiram a premiação máxima.

Pela ordem, o prêmio teve quatro categorias: Telejornalismo, Jornalismo Impresso, Jornalismo de WEB, e de Estudantes. O tema meio ambiente predominou como foco da produção das matérias vencedoras.  A solenidade de entrega do prêmio foi promovida na manhã desta sexta-feira (7),  dia do Jornalista, no auditório da Procuradoria Geral de Justiça, em Campo Grande e contou com a presença do procurador-geral de Justiça, Paulo Cezar dos Passos, da procuradora de Justiça e Supervisora da Assessoria de Comunicação, Ariadne de Fátima Cantú da Silva, do diretor-presidente da Rádio e TV Educativa (RTVE), jornalista Bosco Martins, do secretário estadual de Cultura e Cidadania, Athayde Nery de Freitas Júnior, do diretor de Jornalismo e Esporte da Rede Matogrossense, Orlando Loureiro, entre outras autoridades.

O procurador-geral Paulo Passos destacou a importância do papel do jornalista junto ao Ministério Público e agradeceu a parceria e o reconhecimento ao trabalho do Ministério Público e ao resultado de suas ações, dando destaque aos principais acontecimentos e execuções do MP no Estado, ressaltando que a razão de sua atuação é de construir uma sociedade melhor”. O diretor Presidente da Fertel, Bosco Martins em sua fala, chamou atenção para o atual momento em que passa o jornalismo, com a crise colocando no mesmo patamar empresários da comunicação e jornalistas: “A crise do jornalismo, as demissões nos grandes e pequenos jornais impressos, as novas mídias e as mídias sociais.

Afinal, qual seria o papel do jornalismo nesse mundo em transição? O Ministério Público e o jornalismo são os principais instrumentos da sociedade para a garantia da democracia. A transparência e o fortalecimento do ambiente informativo estão entre os fundamentos de uma sociedade livre” disse o jornalista que ainda relembrou quando trabalhou com o homenageado, Jorge Góes, ainda em seus tempos de TV Morena. O nome do evento é uma homenagem ao jornalista que fez por muitos anos assessoria do Ministério Público e que morreu aos 53 anos, por complicações de Diabetes. Ele era conhecido entre os profissionais por sua voz de timbre firme e inconfundível, Martins relembra ao falar de Jorge “ele provocava fortes emoções fonéticas e era um aquidauanense competente não só no jornalismo mas também foi um grande cerimonialista.”

O secretário de Estado de Cultura e Cidadania, Athayde Nery destacou a importância do Ministério Público, lembrou das comemorações de 40 anos de MS e dos 100 anos de Manoel de Barros, finalizando sua fala com o poema Sabia de autoria do poeta: A ciência pode classificar e nomear os órgãos de um sabiá mas não pode medir seus encantos. A ciência não pode calcular quantos cavalos de força existem nos encantos de um sabiá. Quem acumula muita informação perde o condão de adivinhar: divinare. Os sabiás divinam.”  O Secretário de Cultura e Cidadania Athayde Nery e o Jornalista Bosco Martins, representaram no ato o Governador Reinaldo Azambuja.

Uma das principais responsáveis pelo evento, a Procuradora de Justiça e Supervisora da Assessoria de Comunicação do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, Ariadne de Fátima Cantú da Silva, teve pai e o irmão Osian Cantú jornalistas. Ela afirmou em entrevista para a TV Educativa que  o premio já foi um sucesso em sua primeira edição e já antecipou a realização de outras edições  sempre visando  valorizar o trabalho desses profissionais e comentou ainda sobre uma parceria do Ministério Público com a FERTEL, a partir de um programa televisivo para dar voz à sociedade: “Utilizar de um veículo de comunicação importante,  como a TV-E  e que faz parte de uma estrutura governamental, para dar a estrutura para a sociedade, uma resposta, é muito importante, é motivo de muita alegria”, ela ainda continua “Nós queremos muito a participação da comunidade neste programa que estamos  discutindo a parceria e deverá retomar o projeto  MP/MS na TV ”, finalizou a procuradora.

O prêmio foi lançado em outubro do ano passado com o objetivo de promover o reconhecimento de reportagens cujas pautas estiveram relacionadas à atuação do Ministério Público em áreas como meio ambiente, patrimônio público, infância e juventude, direitos humanos, criminal e outros temas. Saiba quais foram as outras matérias premiadas, em segundo e terceiro lugar, e seus autores. CATEGORIA: JORNALISMO IMPRESSO, foram 16 (dezesseis) inscritos. O terceiro lugar na categoria Jornal impresso foi entregue pela procuradora de Justiça Jaceguara Dantas da Silva Passos. 3° Lugar: Yarima de Freitas Mecchi Reportagem:” Três anos após abertura, aterro sanitário já precisa de ampliação e de adequação”. Segundo Lugar na categoria Jornal impresso entregue por Luciano Furtado Loubet, Promotor de Justiça e Assessor do Núcleo Ambiental do Ministério Público de Mato Grosso do Sul foi para: Jones Mário de Ávila Minervini Júnior –  Reportagem: “Flagras de degradação ambiental colocam conservação em pauta.”

A entrega do primeiro lugar da categoria Jornal impresso foi feito por Filomena Aparecida Hipólito Fluminhan, Promotora da 32ª Promotoria de Justiça da Saúde Pública.  Vencedora: Natalia Rafael Yahn do Nascimento- Reportagem:” Investigações apontam esquema criminoso em cirurgias bariátricas.”  Para fazer a entrega do terceiro lugar na categoria CATEGORIA: JORNALISMO WEB onde tiveram 17 (dezessete) inscritos, foi convidado Humberto de Matos Brittes o Procurador-Geral Adjunto de Justiça Jurídico, a reportagem “Cidades do Pantanal querem se unir para viabilizar aterro e por fim a lixões”, produzida pelo repórter Anderson Cardoso Viegas e publicada em agosto de 2016, no G1, ficando portanto em terceiro lugar na categoria web.  No segundo lugar na CATEGORIA: JORNALISMO WEB convidamos a entrega do prêmio foi feita pela Senhora Cristiane Mourão Leal Santos, Promotora de Justiça e Coordenadora do Grupo de Atuação Especial de Combate ao crime organizado – GAECO. Premiada: Anahi Rocha Zurutuza. Reportagem: “Volta ao Mundo” colocou presidente da Omep na mira do Gaeco.

Para entrega do primeiro lugar da CATEGORIA: JORNALISMO WEB foi convidado, o Senhor Alexandre Lima Raslan Procurador de Justiça. Vencedora: Aline dos Santos. Reportagem:” Metade de 13 toneladas diárias de recicláveis é enterrada como lixo. Finalmente o vencedor do prêmio de TELEJORNALISMO e que teve somente uma única matéria concorrendo, foi entregue pelo secretário de Cultura e Cidadania Athayde Nery ao jornalista William Lima Franco, pela reportagem,” Peixes obesos em Bonito.”

Outro fato informado pela organização além da categoria Telejornalismo ter tido só uma matéria concorrente foi de que “infelizmente não tivemos inscrições na categoria ESTUDANTE e aproveitamos a oportunidade para fazer aqui nosso convite especial aos acadêmicos para o 2º Prêmio MPMS de Jornalismo Jorge Góes 2018 que participem e inscrevam suas matérias”, finalizou Waléria Leite, Assessora de Comunicação do MP/MS que em breve deve anunciar abertura para as novas inscrições.

No total o Prêmio MPMS de Jornalismo Jorge Góes   distribuiu entre os ganhadores um valor total de R$ 23.000,00 (vinte e dois mil reais) em prêmios. Participaram do concurso, profissionais de comunicação que tiveram matérias publicadas em jornal, rádio, web ou televisão e com registro profissional da função de jornalista (DRT). Os vencedores receberam prêmios no valor de R$ 3.000,00 (três mil reais) para os primeiros lugares de cada categoria (Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo e Web), quatro prêmios no valor de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) para os segundos lugares de cada categoria (Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo e Web), quatro prêmios no valor de R$ 1.000,00 (mil reais) para os terceiros lugares de cada categoria (Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo e Web), e um prêmio no valor de R$ 1.000,00 (mil reais) para o primeiro colocado da categoria Acadêmico.

 

 

Kemilla Pellin

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *