plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Poeira ou lama: pavimentação da MS-357 vai acabar com transtornos em Rio Pardo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

“Já fiquei três dias sem poder sair, por causa da estrada ruim!”. A afirmação é do produtor rural Valter de Souza Barbeiro, de 51 anos, sobre as péssimas condições da MS-357, em Ribas do Rio Pardo, em dias chuvosos. Mas o drama do ruralista e de muitos outros moradores da região tem prazo para acabar, com a pavimentação da estrada, com investimentos do Governo do Estado. A obra já teve início.

Valter mora há 14 anos na região e acrescenta também a importância do investimento para o desenvolvimento e valorização das terras da região. A chuva não é o único problema da estrada não pavimentada. Welington Valadão, de 38 anos, tem um comércio há três anos a beira da rodovia e conta do problema que enfrenta nos dias que não chove. “O terreno é arenoso e não só em períodos de chuvas os problemas aparecem, quando não chove a poeira sobe e fica ‘impossível’”, disparou.

Morador da zona urbana da cidade, Paulo Sérgio Jesus, de 51 anos, trabalha com frete e passa pela rodovia quase todos os dias a trabalho, levando ou buscando os produtos de seus clientes, há 15 anos. Para ele, além de diminuir a manutenção do veículo por problemas causados pela estrada de chão, o asfalto vai proporcionar um tempo de viajem menor, fazendo com que tenha mais tempo disponível para trabalhar. “Sem asfalto a rodovia fica ruim, com o pavimento vai até aumentar meu ganho”, disse.

Quem também sofre com as frequentes manutenções no veículo por causa das condições da estrada é o caminhoneiro Edson Aparecido Barbosa, 37 anos. Com seu caminhão, ele transporta maquinários das fazendas para a cidade e vice versa, e os buracos muitas vezes atrasam a viajem. “Tem que andar devagar senão quebra o caminhão. Atendo muitas fazendas transportando maquinários, com o asfalto será uma mão na roda com a viajem ligeira, consumo que melhora, manutenção que diminui”, afirmou.

Segundo o presidente do Sindicato Rural de Ribas do Rio Pardo, Robson Velos Ribeiro, a pavimentação causou entusiasmo nos produtores da região rica em soja, madeira e pecuária de corte. “Para escoar essa produção, para conseguirmos levar insumos para as propriedades, a pavimentação vai ser de grande importância”, pontuou.

Joao Alfredo, prefeito de Ribas do Rio Pardo

A valorização das propriedades da região foi um dos pontos que o prefeito do município João Alfredo Danieze destacou, assim como a estruturação da rodovia, outros investimentos do Governo do Estado e a instalação da fábrica de celulose da Suzano. “Todos esses investimentos já valorizaram absurdamente a nossa região. A pavimentação da rodovia MS-357 vai trazer benefícios principalmente para o homem do campo e para aquelas pessoas que querem ir para o sentido norte do Estado. Agradecemos o governador Reinaldo Azambuja, assim como o secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, que não mediram esforços para a concretização dessa importante rodovia estadual”, disse.

Nos 12 quilômetros da rodovia, do perímetro urbano de Ribas do Rio Pardo até o entroncamento com a MS-338, a obra está em fase inicial, com limpeza de pista e execução de serviços de subleito. Ao longo da rodovia as duas pontes de concreto existente sobre os rios Ribeirão das Botas e Rio Pardo, serão substituídas por estruturas maiores. Mais de 20 máquinas e 30 trabalhadores dão ritmo acelerado à obra que teve início em fevereiro. “Essa é mais uma importante obra, de muitas que o Governo do Estado está realizando em diversos municípios. Investir na melhoria das estradas é também dar condições de trabalho ao produtor rural, proporcionando mais competitividade e desenvolvimento ao Mato Grosso do Sul”, disse secretário de Estado de Infraestrutura, Eduardo Riedel.

Desde 2015, Ribas do Rio Pardo recebeu quase R$ 35 milhões de investimentos em infraestrutura em rodovias e na zona urbana da cidade. A pavimentação da MS-357 vai custar R$ 22.292.519,28, de recursos do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul (Fundersul).

Joilson Francelino, Subcom
Fotos: Bruno Rezende

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.