Rádio e TV Educativa de MS

Os benefícios da convivência com animais

2

Os animais são capazes de promover grandes mudanças na vida das pessoas.

O contato com animais vai muito além da companhia que proporcionam. Um pequeno tempo diário dedicado a eles funciona como uma terapia ao ser humano. Conversar e brincar com animais pode diminuir o estresse, sem contar o carinho que eles são capazes de doar. Quem tem animal de estimação sabe a sensação de chegar na casa depois de um dia de trabalho cansativo e ser recebido com festa. Isso deixa qualquer um mais feliz.

A sensação de alegria libera endorfina ao cérebro, um hormônio capaz de relaxar o corpo, colaborar com o bem-estar, controlar a pressão sanguínea e a melhorar o sono. Por isso, algumas pessoas, mesmo que inconscientemente, se dedicam tanto aos animais e se sentem melhor com esse contato.

Além de dar carinho, divertir, acalmar e fazer companhia, os bichos de estimação podem desempenhar um papel ainda mais nobre, ajudando nas perdas pessoais, por exemplo. Estudos feitos com humanos que perderam seus cônjuges mostram que os donos de animais estão menos propensos à depressão e à sensação de isolamento.

Crianças e idosos se identificam grandemente com animais. Geralmente os idosos têm a vida menos ativa. Desse modo, passam mais tempo dentro de casa e procuram distrações. Então, os pets apresentam-se como grande atrativo para eles, pois assim têm com quem conversar e de quem cuidar.

Quanto às crianças, a afeição aos animais é nítida. A convivência desperta seu lado mais sensível e carinhoso. Elas aprendem a respeitar o espaço dos bichos e os ganhos ao desenvolvimento infantil são tantos que psicólogos recomendam regularmente o contato com animais a seus pacientes.

E as benesses da convivência com os bichinhos não se restringem à esfera emocional. Existem vários relatos de cura de doenças decorrentes dessa interação. Em razão disso muitos hospitais e centros de saúde já utilizam animais de estimação como método de tratamento de seus pacientes.

Em pessoas com câncer, os resultados são comprovadamente positivos. Os terapeutas animais foram eficientes na redução da ansiedade, de sintomas depressivos, na diminuição da sensação de solidão bem como no alívio da dor e desconforto ocasionados pelos efeitos colaterais decorrentes do tratamento oncológico.

No tratamento de doenças cardíacas, uma pesquisa realizada pela Baker Medical Research Institute comprovou que proprietários de cães e gatos apresentam taxas menores de colesterol e triglicérides do que aqueles que não tinham animais. Ambas as taxas favorecem a arteriosclerose, formação de placas que entopem as artérias, possibilitando infartos e outros problemas no coração. Além disso, ter um animal de estimação faz com que pacientes com maiores riscos de problemas cardiovasculares, por apresentarem fatores como o excesso de peso, melhorem seus hábitos físicos.

Em portadores de paralisia cerebral a “pet terapia” e a equinoterapia, baseada em cuidados com cavalos, mostraram-se fundamentais para a evolução da parte motora e também emocional do paciente.

Nos quadros de autismo, estudos mostraram que as crianças apresentaram diminuição nos comportamentos negativos, como agressividade, alienação e isolamento através da presença de cães. Hiperativos também são beneficiados com a terapia com pequenos animais, pois o bichinho pode deixar a criança mais calma.

E os benefícios não param por aí, há relatos otimistas na terapêutica de esquizofrênicos, melhora nos quadros de alergia,  auxílio e cura da depressão e tantos outros que ainda serão descobertos à medida que os estudos científicos evoluam.

Diante disso tudo, fica aqui uma pergunta: “O que você está esperando para incluir na sua vida um parceiro animal?”

*Daniela Lima – Médica Veterinária e especialista em Morfofisiologia. Mestre em Produção e Gestão Agroindustrial com área de concentração em Produção Animal. Atua como consultora e articulista do Portal da Educativa.

2 Comentários

Deixe sua resposta

Seu endereço de email não será publicado.