O Assunto é Cinema celebra as grandes trilhas de Bernard Herrmann

Compartilhe:

Em tempos de isolamento em virtude da crise com o Covid-19, o programa O Assunto é Cinema com Clayton Sales passa a indicar produções dos serviços de streaming Netflix e Amazon Prime, além das eventuais resenhas de sempre sobre clássicos do cinema, trilhas sonoras e grandes diretores. O programa da Educativa 104.7 FM começa 10h30 podendo ser acompanhado pela rádio ou online pelo Portal da Educativa.

Entre os destaques do programa desta terça-feira (30/06) estão os aniversários de estreia de “A Fantástica Fábrica de Chocolate” (1971), do diretor Mel Stuart, e “O Diabo Veste Prada” (2006), do diretor David Frankel. Clayton Sales ainda homenageia no programa o cineasta William Wyler e o compositor Bernard Herrmann.

Nascido na Alsácia, então território alemão, em 1º de julho de 1902, William Wyler emigrou para os Estados Unidos em 1920. Em 1925, já assinando como William Wyler, o diretor lança seu primeiro filme, o longa “The Crook Buster”. Com mais de 60 filmes na carreira, Wyler dirigiu grandes épicos como “Jezebel” (1938) e “Ben Hur” (1959), chegando inclusive a ganhar o Oscar de Melhor Diretor com o último. Wyler também dirigiu grandes sucessos de público e crítica como “A Princesa e o Plebeu” (1953), “Da Terra Nascem os Homens” (1958) e “Funny Girl” (1968), entre outros tantos clássicos do cinema.

Nascido em Nova York em 29 de junho de 1911, Bernard Herrmann foi um dos maiores compositores da história do cinema. Suas trilhas embalaram filmes de grandes diretores como Alfred Hitchcock e clássicos do cinema como “Cidadão Kane”, de Orson Welles. Herrmann compôs a trilha de “Faherenheit 451”, primeiro trabalho de Françoise Truffaut com um estúdio americano e teve vários de seus temas utilizados por outros cineastas, mais notadamente Quentin Tarantino em “Kill Bill”.

A relação de Bernard Herrmann com o cinema e as trilhas é tão intensa que ele faleceu logo após gravar a última sessão da trilha de “Taxi Driver” para Martin Scorcese em 24 de dezembro de 1975, trabalho pelo qual foi indicado ao Oscar em 1976. Apesar de ser um dos maiores nomes da indústria, Herrmann ganhou o prêmio em uma única ocasião: em 1941 pelo filme “All that Money can buy”. “Psicose” e “Um Corpo que cai” de Alfred Hitchcock estão entre seus trabalhos mais lembrados.

Sintonize – Apresentado por Clayton Sales, o programa O Assunto é Cinema traz a trilha sonora da sétima arte para as ondas do rádio, e vai ao ar às terças e sextas-feiras, a partir das 10h30 às 12h, na Educativa 104.7 FM, podendo ser acompanhado também pelo Portal da Educativa. Siga o programa nas redes sociais: facebook / instagram


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *