Na Cadeira do DJ recebe de Londres o músico Luis Henrique Ávila

Compartilhe:

Luis Henrique Ávila toca no Blues Bar. (foto: Raphael Valente)

O programa Na Cadeira do DJ desta segunda-feira (13/07) conversa com o músico Luís Henrique Ávila, direto de Londres, a partir das 10:30 na Educativa 104.7 FM. Luis Ávila fala sobre a carreira na música tanto no Mato Grosso do Sul quanto em Londres, o período de isolamento social e o que e como vem produzindo em tempos de pandemia da Covid-19. Celito Espíndola conduz remotamente a entrevista gravada com Gilson Espíndola e Daniel Rockenbach na produção.

Luis Henrique Ávila é paulistano de nascimento. Ainda garoto veio de mudança para o Mato Grosso do Sul onde começou a aprender guitarra aos 16 anos. Nos anos 1990 começou a tocar na noite na banda “Emoções Baratas” que contava com o baixo de Marcelo Rezende e na bateria o talento da lenda do Rock regional, Bosco que havia recém chegado de São Paulo depois de uma passagem pela banda “Made in Brazil”. Além deles, a banda tinha nos vocais Flávio “Richards” que vinha do Rio de Janeiro junto com o primo Marcos Yallouz, outro grande nome do Rock sul-mato-grossense.

Em 1996 Luis Ávila entrou para uma banda nova na cidade, até então com um ano apenas de atividade, a lendária “Bêbados Habilidosos” que até 1994 era essencialmente o grupo que formava a extinta “Blues Band”. Do momento em que entrou para o “Bêbados Habilidosos” em diante, Luis Ávila passou a se dedicar exclusivamente ao Blues. Seguiu com a banda até 1999, período em que gravaram o programa “Som do Mato” em duas ocasiões entre outras gravações, uma delas uma demo em 1998 exclusiva para a Educativa 104.7 FM que continua no acervo da rádio até hoje.

Os anos seguintes trouxeram novos horizontes quando Luis Ávila começou a experimentar com o Blues e outros estiloso musicais: a MPB e a música regional começaram a entrar no repertório quando começou a tocar guitarra no Sarau do Zé Geral onde revezou entre guitarra e baixo com o músico Caxingue. Não demorou muito e começou a tocar com a cantora Karina Marques enquanto manteve seus projetos de Blues tocando com outras bandas.

Em 2002 veio o convite de Fabio Brum para tocar com José Boaventura, outro grande nome do Blues sul-mato-grossense. Boaventura se reuniu com Luis Ávila que convidou seus ex-parceiros da “Bêbados Habilidosos”, Edney e Clayton Sales, para formar a banda de apoio que tocou com Boaventura até seu falecimento em 2005.

Luis Ávila nunca deixou de tocar no Sarau do Zé Geral, tanto que foi lá que ele conheceu e começou a tocar com Zé Pretim, outro dos grandes do Blues regional. O fato curioso é que a partir daí, Luis Ávila passou a ser o único músico que tocou com os três pioneiros do Blues sul-mato-grossense: Renato Fernandes, saudoso vocalista do “Bêbados Habilidosos”, José Boaventura e Zé Pretim.

Ao longo dessa fase e nos anos seguintes, Luis Ávila tocou com as bandas “Bêbados Habilidosos”, “Loa Loa”, “Rivers”, “Cassino Boogie”, “Blue Company”, “Projeto MPBlues” e “Horse Society” além de tocar com os artistas Ze Pretim, Zé Geral, Karina Marques, Carlos Colman, João Figar, Boaventura, Odon Nacasato, Jacqueline Costa, Beko Santanegra, Matheus Loubet, Fábio Moron , Dunga e Flavinho.

Em 2007 veio a primeira experiência fora do país em Lisboa, capital de Portugal, onde adquiriu nacionalidade europeia pela cidadania portuguesa. Em 2008 mudou para Londres pela primeira vez até ter que voltar para o Brasil em 2009 por um breve período. No retorno para Londres em 2011, Luis Ávila começou a se familiarizar com o cenário do Blues londrino, a ponto de começar a tocar em alguns bares, chegando a tocar no lendário “Cavern Club” em Liverpool, local onde os Beatles tocaram no início da carreira.

Em 2013, Luis Ávila regressou ao Brasil e logo montou um grupo com o baterista Bosco que havia acabado de sair do “Bando do Velho Jack”. Foi nessa época que decidiu chamar Zé Pretim para acompanhar as canjas no bar Trem Mineiro, ao perceber que o músico estava passando por um momento difícil. Nessa época Luis Ávila ainda participou da fundação do Blues Bar onde montou a banda da casa com Clayton Sales. No ano seguinte produziu o primeiro disco da “Horse Society”, do João Ricardo Tognini, banda que também tocou guitarra.

Depois de juntar com amigos como Jerry Espíndola, Beko Santanegra, Roberto Higa e outros, Luis Ávila ajudou na recuperação de Zé Pretim que, depois de um ano e meio de recuperação, foi convidado para participar do programa Raul Gil em 2017. Zé Pretim foi acompanhado de Luis que produziu o músico e juntos foram até as semifinais do concurso musical.

Com as participações das primeiras edições do Bonito Blues & Jazz Festival veio o convite para participar da produção do festival, algo que fez até 2018, quando Luis Ávila decidiu retornar para Londres. Sua última banda no Mato Grosso do Sul foi o “MPBlues”, banda que trouxe no repertório a influência do Blues na MPB e na música regional com interpretações e versões de músicas de Geraldo Espíndola, Cazuza, “Barão Vermelho”, Rita Lee, Raul Seixas, Celso Blues Boy, Roberto Carlos, Tim Maia, entre outros tantos.

Atualmente Luis Ávila toca toca Blues no Blues Kitchen, uma das casas mais tradicionais do gênero em Londres, e é baixista numa banda que toca música brasileira nos bares londrinos. Para ter uma palhinha do som do “Bêbados Habilidosos” nas diferentes formações, confira a página do grupo no Spotify.

Foto em destaque: Raphael Valente.

Sintonize – Apresentado por Celito Espíndola e com produção de Gilson Espíndola e Daniel Rockenbach, Na Cadeira do DJ vai ao ar às segundas e quartas-feiras, das 10h30 às 12h, na Educativa 104.7 FM, podendo ser acompanhado também pelo Portal da Educativa (na aba Ouvir a Rádio) ou em formato podcast no Spotify e demais agregadores. O programa Na Cadeira do DJ também está no facebook e no instagram.


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *