plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour
Pular para o conteúdo

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

16 de julho de 2024 - 07:54

Incêndio no Pantanal é resultado de ação humana; Defesa Civil integra força-tarefa

Indícios das chamas apontam que focos de calor foram provocados; PRF recomenda que se evite viajar a noite por conta da fumaça na pista e risco de acidentes
Fumaça das chamas invadiu a pista da BR-262 e torna o tráfego na região de Corumbá perigoso. (Foto: PRF/Divulgação)
Fumaça das chamas invadiu a pista da BR-262 e torna o tráfego na região de Corumbá perigoso. (Foto: PRF/Divulgação)

A Defesa Civil já atua junto ao Corpo de Bombeiros e outros órgãos de enfrentamento a incêndios para conter as queimadas que avançam pela região do Passo do Lontra, em Corumbá, e que apresentam indícios de que foram provocados pela ação humana. A informação é do coordenador estadual da Defesa Civil, o tenente-coronel BM Fábio Catarinellim segundo quem há vários focos que se espalham graças à força dos ventos naquela área –estendendo também ao município de Miranda.

“Como está ventando muito, a propagação foi bem rápida e tomou grandes proporções. E também graças ao fato de haver muito material combustível seco na vegetação”, afirmou Catarinelli. Por conta do avanço da fumaça, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) recomenda que as pessoas que seguirem para o Pantanal não viajem à noite. Imagens registradas pela corporação mostram a fumaça avançando para a BR-262, impedindo totalmente a visibilidade (confira abaixo).

Catarinelli ressaltou que os focos de calor na região foram todos provocados. “O natural é ver o foco de calor que vai gradativamente aumentando. Quando se vê vários é porque não é natural. Alguém ateou foco”, cravou –as linhas de fogo tem mais de 50 km de distância, segundo ele. Ele explicou que, na segunda-feira (28) foi feito sobrevoo na região pelo GPA (Grupamento de Policiamento Aéreo do Estado) a fim de atestar a grande dimensão do incêndio.

As chamas continuam avançando rapidamente, salientou ele, levando a Defesa Civil e as instituições que trabalham no combate a incêndios florestais –PrevFogo, Bombeiros, Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis)– a montarem um posto de comando na região. Uma aeronave cedida pelo Governo de Mato Grosso que participa da Wildife (feira que aborda ações para enfrentamento a incêndios florestais e que acontece em Campo Grande) será usada para combater as chamas.

Um helicóptero do governo também foi acionado para transportar as tropas e monitorar as chamas do alto.

O comandante da Defesa Civil reforçou, porém, ser importante que a população também tome providências. “Sempre falamos para que não se coloquem em risco, ao querer pegar imagem do incêndio e acabam se acidentando. Há risco de queimaduras, intoxicação com fumaça, lesão nos olhos. Não se coloque em situação de risco e informe os órgãos que fazem o devido controle”.

A PRF informou que desde domingo identificou diversos focos de incêndio ao longo da BR-262, principalmente entre os km 620 e 700, próximo a Corumbá –na segunda-feira (29), foram pelo menos 20, também localizados mais distantes da rodovia federal. A corporação faz rondas a fim de flagrar os autores e alertar os Bombeiros. Até o momento, não houve prisões.

Por conta do risco gerado pela fumaça, recomenda-se que não se viaje à noite até que as queimadas cessem. Catarinelli lembra que, além da questão da visibilidade entre os motoristas, como o fogo “saltou” a rodovia, muitos animais invadem a pista tentando fugir, podendo ser atropelados e causar acidentes.

A dimensão das chamas, neste momento, impede a realização de prognósticos quanto ao controle dos incêndios. Porém, os trabalhos vêm sendo intensificados. “As equipes foram reforçadas, vindo de outros municípios para dar apoio. Temos algumas áreas prioritárias e os focos são combatidos. Mas as condições são críticas e é importante que a população tenha cuidado com sua integridade física”. Por fim, o comandante da Defesa Civil afirma que não há previsões de chuvas significativas para aquela região que possam ajudar no controle do fogo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *