plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour
Pular para o conteúdo

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

25 de julho de 2024 - 03:44

Greve de caminhoneiros chega ao 8º dia mesmo após anúncio de Temer

Caminhões são vistos parados no acostamento da Rodovia Rodoanel Mário Covas, na região de Embu das Artes (SP), durante protesto de caminhoneiros (Foto: Marcelo Brandt/G1)Caminhões são vistos parados no acostamento da Rodovia Rodoanel Mário Covas, na região de Embu das Artes (SP), durante protesto de caminhoneiros (Foto: Marcelo Brandt/G1)

Caminhões são vistos parados no acostamento da Rodovia Rodoanel Mário Covas, na região de Embu das Artes (SP), durante protesto de caminhoneiros (Foto: Marcelo Brandt/G1)

Caminhoneiros seguem protestando em ao menos 23 estados e no Distrito Federal, mesmo após decisão do presidente Michel Temer de reduzir o diesel por 60 dias e atender outras reivindicações da categoria.

Entre as medidas anunciadas por Temer, além da redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel por 60 dias, também está a isenção de pagamento de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios. “Panelaços” foram ouvidos durante a fala do presidente na noite de domingo.

Entidades que representam caminhoneiros aprovaram as medidas, mas disseram que precisam de tempo para desmobilizar os motoristas parados nas estradas. A Petrobras reduziu o preço da gasolina em 2,8% nesta segunda-feira.

Muitos serviços essenciais continuam restritos por causa da greve; veja a seguir:

Transporte

Confira as capitais com transporte público afetado nesta segunda-feira:

Os caminhoneiros autônomos seguem bloqueando os acessos ao Porto de Santos, no litoral de São Paulo.

Pessoas aguardam por ônibus na Avenida Paulista, em São Paulo, na manhã desta segunda-feira (28). Devido à greve dos caminhoneiros, a frota no transporte público segue com capacidade reduzida (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Estadão Conteúdo)Pessoas aguardam por ônibus na Avenida Paulista, em São Paulo, na manhã desta segunda-feira (28). Devido à greve dos caminhoneiros, a frota no transporte público segue com capacidade reduzida (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Estadão Conteúdo)

Pessoas aguardam por ônibus na Avenida Paulista, em São Paulo, na manhã desta segunda-feira (28). Devido à greve dos caminhoneiros, a frota no transporte público segue com capacidade reduzida (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Estadão Conteúdo)

Aeroportos

Na manhã da segunda-feira, ainda estavam sem combustível 8 dos 54 aeroportos administrados pela Infraero. Veja quais são

  • São José dos Campos (SP)
  • Uberlândia (MG)
  • Ilhéus (BA)
  • Campina Grande (PB)
  • Juazeiro do Norte (CE)
  • Aracaju (SE)
  • João Pessoa (PB)
  • Teresina (PI)

Combustível

O reabastecimento dos postos ainda não foi normalizado. Em diversas cidades pelo país, há filas nas poucas bombas que ainda possuem combustível. Mesmo onde a mobilização foi encerrada, a oferta nos postos deve levar cerca de uma semana para ser normalizada, como em Alagoas.

Motoristas fazem fila em posto de gasolina na Marginal Tietê, na Zona Norte de SP (Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)Motoristas fazem fila em posto de gasolina na Marginal Tietê, na Zona Norte de SP (Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)

Motoristas fazem fila em posto de gasolina na Marginal Tietê, na Zona Norte de SP (Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)

Educação

Em ao menos 13 estados não há aula nas universidades federais: Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

Não haverá aula na rede estadual de ensino em três estados (Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Sergipe) e também no Distrito Federal.

Alimentos

Assim como os combustíveis, os mercados e feiras também devem levar algum tempo para retomar a oferta normal de alimentos nos lugares em que o tráfego já foi liberado.

O abastecimento de carne de aves e suínos pode demorar até dois meses para se normalizar depois que for encerrada a greve.

Prateleiras de frutas e hortaliças dão lugar à café e torrada no Hortifruti de Icaraí, em Niterói (Foto: Matheus Rodrigues/G1)Prateleiras de frutas e hortaliças dão lugar à café e torrada no Hortifruti de Icaraí, em Niterói (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Prateleiras de frutas e hortaliças dão lugar à café e torrada no Hortifruti de Icaraí, em Niterói (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Saúde

Veja os protestos em cada estado:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *