Gilson Espíndola e a cantora Andreia Rios encantam Show da Terra de domingo

Compartilhe:

Zé Trovão conversa com Gilson Espíndola sobre a longa carreira musical. (foto: Daniel Rockenbach)

Neste domingo (28/07)  o programa Show da Terra com Zé Trovão recebe um dos maiores nomes da música regional: o cantor e compositor Gilson Espíndola. Outra atração é a jovem cantora e compositora Andreia Rios, novo nome do cenário musical no Mato Grosso do Sul. O programa vai ao ar 11h na TVE Cultura.

Natural de Aquidauana, Gilson Espíndola cresceu e se criou em Campo Grande. Quando jovem, Gilson se desenvolveu em um ambiente onde a música regional, boleros e guarânias, sempre estiveram presentes nas reuniões familiares quando já fazia duetos com o pai e ensaiava suas primeiras composições.

Hoje aos 55 anos, Gilson traz uma respeitável bagagem musical sempre fiel a música Sul-mato-grossense. Vindo de uma família de artistas que culturalmente participam da identidade musical do estado, Gilson tem em sua formação blues, samba e bossa nova e uma especial admiração pelo trabalho de Geraldo Espíndola que juntamente com os irmãos Celito, Tetê e Alzira formavam o “Lírio Selvagem” reconhecido nacionalmente no final da década de 1970.

Nos anos 1970 e 1980, Gilson Espíndola participou como vocalista e instrumentista do “Benvirá” onde junto com Marcos Mendes, Pedro Ortale, Toninho Porto e Paulo Ge, fizeram shows pelo estado em circuitos universitários. Gilson ainda participou de festivais estudantis, do álbum “Matogrosso do Som” e do disco comemorativo dos cem anos de Campo Grande. Fez shows no Projeto Temporadas Populares, Festival de Inverno de Bonito e Projeto Segunda dividindo o palco com Boca Livre, Toninho Horta e Lô Borges, respectivamente.

No primeiro álbum da carreira, “Tudo Azul”, estabeleceu-se definitivamente como referência local. No segundo álbum “Mosaico”, Gilson prestou justa homenagem à família. Com direção musical de Celito Espíndola, ele interpreta composições próprias e dos primos Humberto, Geraldo, Tetê, Alzira, Celito e Jerry. Gilson ganhou em maio de 2003, com a música “Eco da Paixão” de Jerry Espíndola e Ciro Pinheiro, o “4º Americanta, a nova MPB”, festival realizado pela Prefeitura de Americana, interior de São Paulo, onde concorreu com 978 músicas de todo o Brasil levando o Estado de Mato Grosso do Sul ao reconhecimento, em nível nacional.

Gilson Espíndola participou como convidado do disco “Espíndola Canta” onde interpreta a música “Reino do Pantanal” de Humberto e Jerry Espíndola com atuação no show de lançamento e gravação do DVD. Em julho de 2003 participou do Festival de inverno de Bonito, abrindo o Show da cantora Elza Soares. Em 2006, participou ainda do CD “Gerações”, um projeto do músico Marcio de Camilo com a coletânea dos maiores sucessos do “Prata da casa”, lançado na concha acústica Helena Meirelles, em 2006. Em 2007 participou do Festival América do Sul, com o Show “O três por Quatro” dividindo o palco com Jucy Ibanez.

Gilson Espíndola em participação recente no programa “Sr. Brasil” de Rolando Boldrin na TVE Cultura. (foto: divulgação)

Em 2008 participou do 9º Festival de Inverno de Bonito, com o Projeto Planeta Música, reunindo dez artistas sul-mato-grossenses em Show de encerramento do festival. Já em 2010 participou do Projeto Brasil Canta MS, Projeto esse que foi idealizado e realizado pela Fundação de Cultura do Estado do MS, onde foram realizados 5 Show em 5 capitais do Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Curitiba e Porto Alegre. No ano de 2012, em novembro, fez o Show no Projeto MS Canta Brasil, antes da Banda Detonautas no Parque das Nações Indígenas.

Desde o final do ano de 2014, tem participado como músico no grupo “Chalana de Prata” composto por Celito Espíndola, Guilherme Rondon, Paulo Simões e Dino Rocha. Com o grupo, já se apresentou em Corumbá, Bonito, Paranaíba, Brasília, Itaquiraí, Campo Grande e Rio de Janeiro. Em agosto dos anos de 2016 e 2017 foi classificado para o FENAC – Festival Nacional da Canção, classificado entre as 100 músicas de mais de 3.000 músicas inscritas de todo brasil. As etapas dos festivais foram São Thomé das Letras e Extrema, cidades do Estado de Minas Gerais, onde acontece todo ano e é um dos maiores e conceituados festivais do Brasil.

Em 2018 participou de dois projetos realizados pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul: “Som da Concha” e “FASP – Festival América do Sul Pantanal”. Em setembro do mesmo ano, foi aprovado no edital do FMIC (Fundo Municipal de Investimento Cultural) realizado pela SECTUR/PMCG para produzir o DVD “Gilson Espíndola – 40 anos” que conta um pouco de sua trajetória na música sul-mato-grossense. O show de gravação já foi realizado e o lançamento do DVD é esperado para o segundo semestre de 2019.

A carismática Andreia Rios. (foto: Daniel Rockenbach)

A trajetória musical começou cedo para Andreia Rios. Paranaense da cidade de Campo Largo, Andreia foi influenciada pelo pai que tinha como sonho seguir carreira musical. Andreia começou cedo com aulas de violão, teclado e canto. Aos quatorze anos, ela e o irmão formaram uma banda de baile de música tradicional gauchesca. Aos 17 anos, já cantando solo, Andreia participou e ganhou vários concursos de rádios e talentos em sua cidade.

Andreia Rios gravou em 2018 seu primeiro EP, tendo sua composição como principal faixa, “Não me igonre”. Em 2010, quando a música ainda era apenas um hobbie, Andreia iniciou a graduação no curso de Biomedicina em Curitiba. Neste período Andreia conciliou os estudos com a gravação do seu segundo EP, com as faixas inéditas “Longe dos seus beijos” e “Do do da da”. Além da graduação e dos shows também se apresentava em cerimônias de casamento, época em que conheceu seu atual produtor musical, o renomado Amarelo.

Em 2013 Andreia passou para a primeira etapa do programa “The Voice Brasil”, fator que a motivou continuar na carreira artística. Em 2015 já estava formada e atuando como biomédica. Em um domingo de plantão, recebeu a ligação que iria mudar sua trajetória. A ligação era da assessoria da dupla Thaeme e Thiago, a convidando para fazer participação no show que aconteceria na cidade da Lapa, no Paraná.

Andreia resolveu em 2016 dedicar-se apenas a carreira musical, deixando o emprego de biomédica, o que a levou a tomar uma decisão muito difícil, deixar a família e amigos para se mudar para Campo Grande, cidade onde estava concentrada sua nova equipe de trabalho.  Com a mudança, ela gravou a música “Olha que sacanagem”, em maio de 2017, composição de Caco Nogueira, em parceria com Douglas César. A música moldou sua nova identidade artística. A produção musical mais uma vez ficou por conta do produtor Amarelo, agora também responsável pelo gerenciamento da sua carreira.

2018 foi o ano marcado pela maturidade musical e com ela a composição da nova música de trabalho “Menina águia”, música feita como forma de agradecimento para a família e a vida que Andreia teve de deixar para trás para poder investir na carreira musical. Confira o clipe no canal do YouTube da cantora:

Para contratar Gilson Espíndola para shows, o telefone é (67) 99209-1973. Para contar com a Andreia Rios, o número é (67) 99813-4141.

Assista – “Janela sobre um novo olhar de Mato Grosso do Sul”, o Show da Terra é apresentado por Zé Trovão e traz o melhor da música, artes e culinária de Mato Grosso do Sul, por meio de entrevistas e apresentações. O programa vai ao ar na TVE Cultura às 11h de domingo, com reprise às 19h de segunda-feira, podendo ser acompanhado também pelo Portal da Educativa (na aba Assista a TV).


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *