plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour
Pular para o conteúdo

Institucional

FM 104,7 [ AO VIVO ]

18 de julho de 2024 - 18:43

Feira Literária de Bonito já tem data definida e vai homenagear dois grandes nomes da literatura brasileira

Entre os dias 16 e 19 de agosto Bonito (MS) será palco de um dos maiores eventos culturais do Estado. A 3ª edição da Feira Literária de Bonito (Flib) vai homenagear mulheres de personalidade, que marcaram a história do Brasil e do Mato Grosso do Sul.

Clarice Lispector, considerada uma das escritoras brasileiras mais importantes do século XX  e Maria Glória Sá Rosa, ícone da educação e da cultura de MS serão revividas durante o evento, tendo seus romances, contos, ensaios e crônicas apresentados de diferentes formas, para cativar um público bastante exigente, formado principalmente por crianças e adolescentes das escolas do município.

A organização do evento também cofirmou Marina Colasanti, João Paulo Cuenca, Carlos Herculano, Afonso Borges e João Anzanello Corrascoza, como autores convidados, destacando que novos nomes devem surgir até agosto.

Durante os quatos dias da Flib também serão realizadas diversas oficinas de criação e educação, mesas de discussão e palestras. Além de uma programação voltada para o público infantil, como contação de histórias, que já virou marca registrada da Feira e teatro de bonecos. Haverá ainda, lançamento de livros e sessão de autógrafos com autores nacionais e locais.

O público da primeira edição do evento, em 2015, reuniu 15 mil pessoas e em 2016, a Flib envolveu cerca de 60 participantes, entre escritores, artistas e jornalistas. Foram mais de 40 horas de atrações culturais, que envolveram moradores e visitantes.

Homenageadas:

Formada em Línguas Neolatinas na PUC/RJ e diplomada em francês, Glórinha fundou e dirigiu a Aliança Francesa de Campo grande. Também é responsável pela fundação da Revista Estudos Universitários/FUCMAT, do Teatro Universitário Campo-grandense (TUC) e do Cine Clube de Campo Grande, e dirigiu o projeto Prata da Casa, responsável por espetáculos de música ao vivo e pela edição de disco de músicas da região

Doutora honoris causa pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), recebeu recentemente o título de Cidadão Sul-Mato-Grossense. Suas principais obras são: Cultura, Literatura e Língua Nacional (1976) – três volumes, parceria com Albana Xavier Nogueira; Memória da Cultura e da Educação em Mato Grosso do Sul (1990); Memória da Arte em Mato Grosso do Sul (1993) – parceria com Idara Duncan e Maria Adélia Menegazzo; Deus Quer, o Homem Sonha, a Cida- de Nasce (1999); Capítulos sobre música e teatro do livro “Campo Grande: Cem Anos de Construção” (1999); Crônicas de Fim de Sé- culo (2001) e Tecendo Palavras (Contos de Hoje e Sempre) – (2002).

Maria da Glória Sá Rosa morreu em 26 de julho do ano passado, no Hospital El Kadri, em Campo Grande, após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) e ser internada uns dias antes. Ela tinha 88 anos.

Já Clarice nasceu em uma família judaica da Rússia que perdeu suas rendas com a Guerra Civil Russa e se viu obrigada a emigrar em decorrência da perseguição a judeus. Ela chegou ao Brasil , ainda pequena, em 1922 e fez do nosso país sua verdadeira pátria. Apesar de ter demonstrado mais interesse pelo meio literário, no qual ingressou precocemente como tradutora, ela estudou direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Mas a paixão pelo mundo literário não deixou que seguisse carreira como advogada, consagrando-se como escritora, jornalista, contista e ensaísta ainda jovem e tornando-se uma das figuras mais influentes da literatura brasileira e do modernismo, sendo considerada uma das principais influências da nova geração de escritores brasileiros. É incluída pela crítica especializada entre os principais autores brasileiros do século XX.

Suas principais obras marcam cada período de sua carreira. Perto do coração selvagem foi seu livro de estreia; Laços de família, A paixão segundo G.H., A hora da estrela e Um sopro de vida são seus últimos livros publicados. Faleceu em 1977, um dia antes de completar 57 anos, em decorrência de um câncer de ovário. Deixou dois filhos e uma vasta obra literária composta de romances, novelas, contos e crônicas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *