Exposição “Fé, Religiosidade e Regionalismo” chega ao Espaço Cultural da Fertel

Compartilhe:

Criada pelo artista visual Guido Drummond, mostra conta com instalação que relaciona o ciclo da vida dos homens com as 4 estações e o ipê
Foto: Pedro Amaral/Fertel
Montagem da exposição que será inaugurada nesta quinta (Foto: Pedro Amaral/Fertel)

O Espaço Cultural Aldo Olarte de Souza, a galeria da Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul), abriga a partir das 19h30 desta quinta-feira (15) a exposição Fé, Religiosidade e Regionalismo, idealizada pelo artista visual Guido Drummond e que terá como curadora Ana Rita Moraes, produtora cultural e funcionária do quadro da fundação. O evento, aberto ao público, terá também entre as atrações o músico Waldir Rosa.

Guido convidou para uma discussão sobre a Fé, Religiosidade e Regionalismo a ceramista Alexandra Camillo, a arquiteta cenógrafa Camila Zavallo e a designer e artesã Fabiana Bicca, provocando áreas de expressão artística distintas para gerar uma sinergia na criação de uma peça única que representa as estações do ano e o ciclo vegetativo de um ipê.

Sobre a instalação, ele argumenta que “Gratidão à terra mãe” é uma peça artística criada em cima das quatro estações e das fases do ciclo da árvore escolhida, “onde cada estágio da planta faz ligação direta com as fases e ciclos que nós humanos também estamos sujeitos e que fazem parte do nosso processo evolutivo e de crescimento”.

Guido afirma, ainda, que a instalação “é um exposição sensorial, que provoca reflexões sobre o não óbvio, porém, naturalmente lógico: glorificar a natureza e aproximar-se de si mesmo através da ambientação, misturando materiais nobres e descartes, provocando olhares para que fossem percebidos. Seriam esses descartes o que fazemos com nós mesmos quando ignoramos nossos sentimentos, quando não nos percebemos”.

“Gratidão à terra mãe” é composta por peças em cerâmica, tecido e materiais descartados, que formam uma intervenção sensorial que pode ser apreciada por quem visitar a exposição. No dia 22, no Ateliê 118, será aberta outra parte da exposição –com oratórios feitos de vários tipos de materiais, complementando a temática proposta.

O artista
Foto: Pedro Amaral/Fertel
Foto: Pedro Amaral/Fertel

Guido Drummond começou na arte na década de 1980 em Campo Grande e, desde então, produziu e experimentou com o regionalismo, chegando a levar seu trabalho para Portugal, onde teve um período de aprendizado e experimentação com outros artistas. Sua obra vai desde a confecção de peças ao design de interiores, algo que todo visitante de seu ateliê percebe ao conhecer o espaço e a casa de Guido, totalmente montada e decorada por ele.

O espaço fica na Orla Ferroviária, Avenida Mato Grosso, 13, e ainda traz como atração o MAU (Museu de Arte Urbana). Para ver a programação é só acompanhar o Instagram do ateliê.

Já o Espaço Cultural Jornalista Aldo Olarte de Souza está aberto à visitação pública, de segunda a sexta-feira, em horário comercial. Grupos maiores, bem como turmas de escolas e outras instituições podem agendar visitações pelo telefone (67) 3318-3872 ou pelo canal Fale Conosco do Portal da Educativa.

Evento na Fertel terá participação do músico Waldir Rosa. (Foto: Divulgação)
Evento na Fertel terá participação do músico Waldir Rosa. (Foto: Divulgação)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *