plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Eventos virtuais levam acesso à tecnologia e ciência para alunos da educação básica

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Com foco na popularização da ciência, o Encontro Estadual para Educação Básica levanta temas atuais e relevantes para que alunos dos ensinos fundamental e médio se aproximem de pesquisadores, tanto da UFMS quanto de demais instituições. De 22 a 26 de fevereiro, dois destes eventos serão realizados – um sobre Inteligência Artificial e outro sobre Tecnologias Convergentes e Habilitadoras (nanotecnologia e fotônica).

Organizados pelo Grupo Arandú de Tecnologias e Ensino de Ciências, este ano toda a programação será realizada on-line, pelo Google Meet, para evitar aglomerações e respeitar as normas de biossegurança. A inscrição pode ser feita no dia do evento, de maneira gratuita. Clique aqui para acessar a sala onde ocorrerão as atividades.

Segundo o professor Ivo Leite, coordenador dos eventos e diretor de Popularização da Ciência da Proece na UFMS, a Inteligência Artificial faz parte do tema proposto pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) para a 17ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. “Ao propor a ideia do Encontro Estadual de Educação Básica, o objetivo era trazer a temática junto a esse público que nós chamamos de ensino fundamental e ensino médio, para que eles percebam que, no fundo, eles já convivem com o que nós entendemos, até o momento, dessa Inteligência Artificial”.

Para Leite, é muito relevante que uma instituição como a UFMS se envolva com ações como esta. “É mais do que importante, principalmente enquanto uma Universidade de ponta e de destaque, que ela abrace essa causa, porque nós temos vários grupos de pesquisa dentro da Universidade Federal e dentro do estado de Mato Grosso do Sul que discutem a temática”, opina.

Além da Inteligência Artificial, a Nanotecnologia também será trabalhada. “Nós temos um grupo de pesquisa de Nanotecnologia de ponta da Universidade Federal, junto ao Instituto de Química, que vem desenvolvendo diversos mecanismos para poder fazer com que essa tecnologia chegue massivamente à sociedade”.

A aluna Maria Eduarda Lisboa Silva, está cursando o 3°ano na Escola Estadual Marechal Castelo Branco, em Água Clara, e participou da última edição do Encontro. “Eu achei esses eventos muito importantes para o meu aprendizado, sempre gostei muito de Química e Biologia, e pude aprofundar esse conhecimento”, conta.

Hudson Willian de Souza Cabral, do 2° ano da Escola Estadual Blanche dos Santos Pereira, em Campo Grande, concorda com o enriquecimento obtido com a participação e sobre os novos caminhos que se abrem ao aprender mais sobre as muitas possibilidades ofertadas pela ciência. “A experiência é ótima, uma experiência nova, porém muito legal de se participar. A gente entra com dúvidas e sai não só com as respostas, mas também com uma nova forma de enxergar as coisas, é bastante enriquecedor! Como são palestras variadas, com temas distintos, a gente acaba conhecendo um pouco mais sobre cada tema, mas o caminho científico que mais se abriu pra mim foi com certeza a Paleontologia, que é bem mais interessante do que aparenta ser, embora ainda não seja o caminho que pretendo seguir [como carreira]”.

O professor Ivo reforça que popularização da ciência é isso: oportunizar que os jovens da educação básica acessem tecnologias e pesquisas de ponta. “O objetivo [do Encontro Estadual], sem dúvida nenhuma, foi de aproximar mundos, fazer com que a Universidade Federal pudesse ser mais uma vez a vanguarda desse processo. Nós estamos muito felizes com a repercussão, com a movimentação, nós temos mais de dez municípios envolvidos nesse processo. Depois desse encontro, nós estamos preparando também uma exposição itinerante para passar pelos municípios que estão participando conosco. É uma forma muito clara de aproximar a pesquisa da tecnologia e da ciência à população sul-mato-grossense”, finaliza.

Confira abaixo os banners com a programação:

   

   

Texto: Leticia Bueno – UFMS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.