Estado amplia para seis as barreiras sanitárias nos acessos interestaduais

Compartilhe:

Campo Grande (MS) – Mais duas mil e duzentas pessoas foram abordadas nas barreiras instaladas pelo Governo do Mato Grosso do Sul nas divisas com os estados de São Paulo, Paraná e Minas Gerais. Na tarde quinta-feira (02.04), mais um posto passou a operar, desta vez no Posto Fiscal Ofaié, em Anaurilândia. Com isso, o Estado passa a contar com seis pontos de vigilância.

Segundo dados da Comissão de Controle Sanitário de Mato Grosso do Sul (CCS/MS), 2.290 pessoas que estavam em transitando em aeronaves ou veículos foram abordadas até às 17 horas desta quinta-feira.

Nas barreiras rodoviárias, a de Posto Fiscal XV de Novembro, em Bataguassu, é a que apresenta maior número de pessoas abordadas até o momento. Em seguida, vem a do Posto Fiscal Ilha Grande, em Mundo Novo, e do Posto Fiscal Jupiá, em Três Lagoas. Entre caminhões, motocicletas, vans e ônibus, os veículos de passeio são os que apresentam maior índice na abordagem das equipes sanitárias.

E até o momento, oito pessoas foram abordadas e orientadas a procurar uma unidade de saúde. Sendo quatro na barreira do Aeroporto Internacional de Campo Grande, três no Posto Fiscal Ilha Grande e uma no Posto Fiscal de Jupiá.

Como funciona o atendimento?

Segundo o presidente da Comissão de Controle Sanitário (CCS-MS), coronel do Corpo de Bombeiros Militar Hugo Djan, tanto os policiais militares quanto os bombeiros militares seguirão os protocolos de segurança já estabelecidos e utilizarão os Equipamentos de Segurança Individual (EPIs).

Os motoristas e acompanhantes serão submetidos a um questionário de verificação e caso a resposta seja positiva, medidas de verificação como aferição da temperatura corporal por meio de um termômetro digital infravermelho, constatação de dificuldade de respiração, coriza, tosse seca, dor de cabeça, vômitos, serão realizadas.

Os sintomáticos, que apresentem doenças respiratórias, deverão preencher um formulário e um termo de compromisso para apresentação obrigatória ao serviço de saúde e procurar uma unidade hospitalar municipal. E os assintomáticos, que tenham tido contato com suspeitos de Covid-19, deverão se comprometer a cumprir isolamento voluntário em casa, por sete dias.

 

Rodson Lima -Secretaria de Estado de Justiça e Seguraça Pública (Sejusp)

Foto: JJ Caju


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *