Depois do show das escolas de samba, Corumbá celebra o Carnaval Cultural nesta terça-feira

Compartilhe:

Corumbá (MS) – Se despedindo da folia, que este ano atraiu milhares de turistas do interior do Estado e também da Bolívia, Corumbá realiza nesta terça-feira o já tradicional Carnaval Cultura, que leva para a Avenida General Rondon o romantismo, a singeleza e a inocência das festas que ocorriam no século passado.

Muito brilho e samba no pé marcaram o desfile das escolas de samba do Grupo Especial. Foto: Chico Ribeiro

Depois da passagem das dez escolas de samba dos grupos especial e de acesso, no domingo e na segunda-feira, a passarela se rende aos cordões, blocos de palhaços, ala das pastorinhas e o frevo. O adeus ao carnaval de 2017 começa às 20h, mas a cidade, apesar da ressaca, acordou às 10h30 para participar da roda de samba, no Porto Geral. Logo mais às 17 tem baile infantil, na Praça da Independência.

Governador Reinaldo Azambuja e outras autoridades assistiram ao desfile do camarote oficial. Foto: Chico Ribeiro

Além do Carnaval Cultural, que este ano terá a participação especial dos Comparsas Bolivianos, o público terá ainda o desfile do bloco independente Afoga o Ganso, que descerá par a avenida com seu trio elétrico e a banda Thimbahia, e a grande atração da noite, a Bateria Batuque Digital, que vai cantar pela madrugada de quarta-feira, no palco armado na Praça Generoso Ponce. Haverá ainda dois shows com artistas locais.

Noite de gala

Ala das baianas, um dos destaques do desfile das escolas de samba do Grupo Especial. Foto: Chico Ribeiro

Com a presença do governador Reinaldo Azambuja, secretários Eduardo Riedel (Governo) e Athayde Nery (Cultura), coronel Valdir Acosta (comandante da Polícia Militar) e outras autoridades, o desfile das escolas de samba do Grupo Especial, na segunda-feira, foi uma noite de grandes emoções, muito brilho, alegria e samba no pé. O grande público permaneceu na avenida até a saída da última escola, a Império do Morro, que encerrou seu desfile às 2h40 de hoje (28).

Primeiro desafio dos passistas é desfilar no piso de paralelepípedos, um dos símbolos de Corumbá. Foto: Chico Ribeiro

A rivalidade e a disputa pelo título de campeão do Grupo Especial oxigenam o melhor carnaval de Mato Grosso do Sul. A cidade se divide, mas, para a maioria, estão no páreo as escolas A Pesada, Mocidade da Nova Corumbá e Império do Morro. Um site da cidade, que promove o Esplendor do Samba, aponta a Pesada e Nova Corumbá como as melhores escolas. A votação é feita por representantes da imprensa.

A Pesada

Carnaval de rua de Corumbá é realizado entre casarões históricos e palmeiras seculares. Foto: Chico Ribeiro

A Pesada abriu o desfile das escolas de samba, com 800 componentes, em 14 alas, defendendo o enredo “De Cabral ao atual, um Brasil sem igual. Cultura, dança e miscigenação, assim surge a arte popular”. A agremiação campeã do acesso no ano passado levou à avenida cinco carros alegóricos e um tripé. A bateria levantou o público e embalou a escola, que briga pelo título.

Corte de Momo se integra ao desfile das escolas de samba propondo paz e muita alegria. Foto: Chico Ribeiro

A história do descobrimento do Brasil foi levada de forma caricata pela escola. A agremiação apostou na fácil leitura do enredo para buscar consecutivamente o título de campeã, mas dessa vez do grupo especial. Mostrou com detalhes a chegada de Cabral nas caravelas e seu deslumbramento com os encantos do Brasil, bem como os donos da terra, a colonização, a migração, os costumes e as riquezas da terra.

Sapucaí

Secretário Athayde Nery (Cultura) participou dos carnavais de Corumbá e Ladário. Foto: Chico Ribeiro

Com 800 componentes, a escola Marquês de Sapucaí foi a segunda escola a se apresentar. Com muita alegria, a agremiação passou ao público a mensagem da beleza sob medida, desde a natureza até o ser humano, defendendo o enredo “Tributo à Beleza”. A comissão de frente chamou a atenção com os guardiões do Olimpo que reverenciaram a deusa Afrodite, com lanças acopladas aos elementos cenográficos.

Em 13 alas, a escola mostrou a importância do cultivo da beleza, seja ela de qualquer forma. As belezas naturais foram evidenciadas desde as borboletas e flores até a sua transformação. Já a beleza física foi lembrada em seus primórdios, dos índios aos dias atuais. A beleza interior também foi realçada, bem como o desenvolvimento do corpo por meio de atividades físicas e por último, os encantos da melhor idade.

Vila

Passista especial da Império do Morro é destaque no desfile da escola na avenida. Foto: Chico Ribeiro

A sorte foi lançada no início do desfile da Vila Mamona. A agremiação desfilou já na madrugada de terça-feira com 850 componentes, defendendo o enredo “O jogo já começou, A Vila se lança para a sorte”. O embaralhar das cartas foi o tema apresentado pelos 12 integrantes da comissão de frente. O Coringa, importante protagonista nos jogos representou sorte, alegria e fortuna no abre alas do desfile.

As 13 alas que deram um colorido diferencial na avenida General Rondon representaram a Rainha de Copas (ala das baianas); o dominó; o jogo das damas; as roletas; a sorte; as apostas; as dezenas; o café; o enigma; o misticismo; os ciganos; os conselheiros místicos; e o Tarô. O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Carlinhos e Ana Paula, exaltaram o pavilhão da escola. A escola fez seu 27º desfile.

Nova Corumbá

Um dos carros alegóricos que desfilaram pela avenida levando muito colorido e samba no pé. Foto: Chico Ribeiro

Em busca do segundo título consecutivo, a Mocidade apostou no enredo “Chegou a hora desta gente bronzeada mostrar seu valor”. Para passar a mensagem de garra e determinação de um povo honesto e trabalhador, a agremiação apostou nos encantos do samba enredo para conquistar o público e obteve êxito. Sua comissão de frente representando os trabalhadores que contribuem para o desenvolvimento do país.

Indispensável nas agremiações, a ala das baianas veio representando as lavadeiras, guardando assim, a memória das mulheres de fibra que utilizam as mãos para garantir o sustento da família. A bateria nota 10 do Mestre Diego Rojas composta por 110 ritmistas, que sempre se caracterizou por passar arrasando na passarela do samba com o tradicional recuo, não decepcionou e fez bonito mais uma vez.

Carro alegórico foi um dos destaques na passagem pela avenida, recebendo aplausos do público. Foto: Chico Ribeiro

Império

Em busca do 32º título, a escola fez um desfile homenageando uma das festas mais tradicionais de Corumbá: o São João. Com mistura de crendice e religiosidade, a agremiação transformou a avenida General Rondon em uma verdadeira festa junina, já considerada como patrimônio imaterial do Mato Grosso do Sul. O enredo  foi desenvolvido com a temática de divulgar a importância do santo para o corumbaense.

A Império do Morro levou para avenida muito colorido, alas coreografadas, a encenação do tradicional banho de São João, a confecção dos andores e a fé. A comissão de frente trazia o Banho de São João apresentado por 12 componentes que se dividam entre o sagrado e o profano. A bateria do Mestre Edinho, com 120 componentes, se destacou por estar na segunda ala representando o caipira.

Sílvio Andrade – Subcom -, com informações da Prefeitura de Corumbá


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *