Defesa Civil fala sobre estragos da chuva e destaca tendência de tempo firme para os próximos dias

Compartilhe:

O volume de chuva dos últimos dias em Mato Grosso do Sul causou estragos em diversas regiões. O município de Corguinho foi um dos mais afetados, e até a tarde desta quarta-feira (17) registrava 250 pessoas isoladas na região do Formiga e Boa Sorte, além de 4 pontes municipais destruídas pela força da água.

De acordo com o coordenador estadual de Defesa Civil, Cel. Fábio Catarinelli, essa é a primeira vez que a instituição registra a situação de transbordamento dos córregos do município. “Consultamos o Cemtec e com a tendência de estabilização do tempo para os próximos dias, o momento é de levantamento de danos, para então ser decretada a situação de emergência no município e posteriormente em âmbito estadual”.

Mesmo com a tendência de redução das chuvas para os próximos dias, Catarinelli afirma que a Defesa Civil seguirá acompanhando outras áreas afetadas pela chuva ou que possuam histórico de desastres naturais, como o caso da cratera de Nova Andradina que está normal, e municípios como Corumbá, Amambai, Miranda e Aquidauana.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de Aquidauana, Mário Ravaglia, a situação por lá está sob controle até o momento. “O pesado foi a chuva das últimas 48 horas que registramos 215 milímetros. Temos notícias que está descendo muita agua de Corguinho e Rochedo, mas está sob controle, o rio está com 694 cm e subindo lento. Hoje (quarta-feira) ainda não choveu e no momento temos sol, mas está nublando. Seguimos monitorando”, afirma.

Dados de climatologia do Instituto Nacional de Meteorologia já apontavam que o volume de chuvas ficaria acima da média histórica para fevereiro, que é de 150 a 200 milímetros. O esperado para todo mês varia entre 200 a 230 milímetros, com possibilidade de a região do bolsão ser a mais chuvosa.

Segundo o meteorologista Nathalio Abraão, os locais onde mais choveu foi Aquidauana, Dois Irmãos do Buriti, Rio Verde, Santa Rita do Pardo, Campo Grande e Corguinho. Conforme o especialista apenas a região sul do Estado segue com estiagem. “Faltando chuva em toda a região sul. Somente 20% do esperado. Isso acaba contribuindo para a colheita da soja”, explica.

Rios

Os níveis dos rios do Estado voltaram a subir com as chuvas ocorridas desde o último dia 11 de fevereiro.  Nesta quarta-feira (17) o Imasul emitiu aviso de evento crítico para risco de transbordamento do Rio Miranda no Distrito Aguas de Miranda em Bonito.

O volume de chuvas a montante, ocorrido nos últimos dias, fez elevar o nível do Rio Miranda muito próximo da cota de Emergência de 650 cm. Embora não haja previsão de chuvas para as próximas horas, somente pancadas, é possível que o Distrito Águas de Miranda ainda receba a água de montante, podendo atingir os ribeirinhos da região”, justifica documento.

Nessa época de chuvas intensas, e ponto do Rio Miranda é o primeiro a inundar por ser uma região baixa, segundo a Defesa Civil. Na segunda quinzena de janeiro, esse ponto do já havia ultrapassado o nível de emergência de 650 cm.

A última medição do Imasul também deixou em alerta o Rio Miranda na altura do Distrito de Palmeiras (492 cm) e em Aquidauana (689 cm). A cota de emergência de ambos é de 650 cm e 800 cm, respectivamente.

O nível do Rio Taquari na estação de Coxim, está há dois dias em nível de alerta para risco de transbordamento. Última medição registrada foi de 429 cm, quando o nível de emergência é de 500 cm.

Entre as medidas iniciais da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil está o suporte a Defesa Civil Municipal e a disparada de aviso para a população local que esteja cadastrada no 40199 para receber alertas via SMS.

Mireli Obando, Subcom

Foto: Saul Schramm


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *