plan cul gratuit - plan cul toulouse - voyance gratuite amour

Debate sobre protagonismo marca a Semana Estadual da Pessoa com Deficiência

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

“Antes de ver a deficiência, é preciso olhar para a pessoa”, diz subsecretária de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência

Telma Nantes de Matos, pedagoga, subscretária de Políticas Públicas para Pessoas com Defgiciência

Para marcar a Semana Estadual da Pessoa com Deficiência, a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS), e o Governo do Estado, por meio da Subsecretaria de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência, promovem nesta quarta-feira, 25, debate sobre ‘O protagonismo da pessoa com deficiência e o papel das instituições governamentais e não governamentais em defesa de seus direitos’.

Realizado no formato virtual e presencialmente, este será o primeiro evento híbrido a ser transmitido em parceria com o Estado, simultaneamente pelas plataformsa YouTube e Facebook. O encontro presencial será limitado e seguirá todas as regras de biossegurança recomendadas pelos órgãos de saúde para conter a transmissão da Covid-19. O evento começa às 13h30. Interessados em participar devem encaminhar pedido para o e-mail pessoacomdeficiencia@secic.ms.gov.br.

A subsecretária falou sobre os desafios para as pessoas com deficiência em entrevista ao programa MS no Rádio, que vai ao ar das 7h às 8h na Rádio Educativa FM 104.7.

OUÇA A ENTREVISTA

Para a subsecretária de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência, Tema Nantes, esse segmento da sociedade enfrenta obstáculos diariamente e, historicamente, passou a ser o cotidiano, mas as políticas públicas existem para mudar o quadro.

Segundo ela, o deficiente precisa de acesso ao mercado de trabalho e, mais do que isso, oportunidade ao protagonismo, com a compreensão de que todos têm direitos, independentemente da condição social, econômica e também física. E nessa semana, dedicada ao debate e reflexões sobre a inclusão social da pessoa com deficiência, é preciso avançar, demonstrando, principalmente, que a universalização das oportunidades “nos torna protagonistas, não apenas da nossa própria história, mas, sobretudo, do processo de desenvolvimento social, econômico e cultural, em ambiente de igualdade, equidade, justiça social e cidadania”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *