Crianças se divertem no primeiro dia da Oficina de Férias da Biblioteca Isaias Paim

Compartilhe:

As crianças se encantaram, na manhã desta quarta-feira, 10 de junho, com as histórias do “Caco Meleca” e sobre o sabor da lua, que elas ouviram no primeiro dia da Oficina de Férias na Biblioteca Pública Dr. Isaias Paim. O contador de histórias Ciro Ferreira, graduado em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de MS, ministrou a oficina e orientou as crianças na arte de brincar aprendendo.

“A ideia é trabalhar a brincadeira, utilizar brinquedos tradicionais confeccionados pelas próprias crianças, utilizando materiais recicláveis, e que eles possam levar para casa. É possível trabalhar com a reciclagem de forma bonita, para agregar valor para a criança, e mostrar que existem brinquedos bonitos feitos de reciclagem”.

A história do “Caco Meleca”, escrita pela jornalista Délia Frate, agradou as crianças. A Mikaela Rodrigues de Abreu, de nove anos, estudante do 5º ano do Ensino Fundamental, era só alegria. “Eu ri demais. Foi a história que eu mais gostei. Eu vou vir com a minha irmã nos três dias aqui”.

Sua irmã Natália, de oito anos, estudante do 3º ano, adorou os brinquedos da biblioteca. Ela participou da contação da segunda história, sobre o sabor da lua, e falou que para ela, a lua tem sabor de algodão doce. “Eu adoro algodão doce e arco-íris”. “O sabor da lua é o sabor daquilo que a gente gosta”, diz Ciro.

Cauã Oguido Macedo, de nove anos, estudante da 4ª série, participou das brincadeiras levado por sua avó, Inalda Medeiros Aguido. “Eu vi ontem a notícia das oficinas na televisão e trouxe meu neto. Fiquei feliz porque ele está interagindo. A escola dele pede livros pra gente comprar e ele lê em casa, mas é a primeira vez dele numa biblioteca”, diz Inalda. “O que eu mais gostei foi das atividades dos movimentos do circo. Eu brinco muito com aparelho eletrônico, aqui eu brinquei com o corpo. Quando eu estou entediado eu leio, me distraio”, diz Cauã.

 A coordenadora da Biblioteca, Eleuzina Crisanto de Lima, concorda que é importante trabalhar com as crianças as brincadeiras tradicionais. “No mundo de hoje as tecnologias cada vez mais ganham força, e os livros e as brincadeiras ficam cada vez mais distantes dos corpos infantis. Pensamos a biblioteca como um lugar em que devemos ter o cuidado, isso se aplica à afetividade, formação de identidade, desenvolvimento da criatividade, capacidade de ouvir o outro. Além disso, com a leitura e as diversas linguagens do saber que propomos na Biblioteca, faz-se mais que obrigatória a leitura, para que  todas as formas do saber aproximem esses corpos que estão em processo de formação, propiciando contribuir para a democratização de nossos bens culturais, bem como incentivar a escrita”, explica a coordenadora da Biblioteca, Eleuzina Crisanto de Lima.

O Projeto férias na biblioteca é um projeto infantil que visa atender o calendário da educação, no momento em que as crianças se encontram em férias letivas. Que busca promover a interação social e cultural durante esse período, incentivando e estímulo o conhecimento e integrando as linguagens: Literatura, brincadeiras lúdicas, música, arte entre outras.

As atividades continuam nesta quinta-feira, 11 de julho, das 8h30 às 11h30, com a contação de lendas e causos brasileiros, também com Ciro Ferreira. Serão montados brinquedos como corda, elástico brincante e será iniciada a montagem do “painel do Manoel” (as crianças vão montar um painel com frases, poesias e reproduções de ilustrações dos livros de Manoel de Barros). Logo depois será ministrada a Oficina de Origami com Dayane Afonso, acadêmica do curso de Letras da UFMS.

Na sexta-feira, 12 de julho, das 8h30 às 11h30, será a vez do momento autoral, com contação de histórias escritas por Ciro Ferreira. As crianças continuam depois com a montagem do Painel do Manoel, participam de brincadeiras de pátio, bola de sabão gigante, cordas e elásticos cantados. Depois será a vez de Mariana de Castro orientar a contação de histórias e a brincadeira de Boi. Mariana é acadêmica de Artes Cênicas da UEMS e estagiária da Biblioteca, e explica que no Brasil existem mais de 300 grupos de bois. “São manifestações populares que acontecem em vários lugares e se tornam tradição porque são passadas oralmente de geração em geração. Na manifestação popular é muito importante a alegria, as manifestações populares têm isso, é o sangue pulsando. Valorizar nossa cultura brasileira é muito importante”.

As crianças que desejarem participar podem comparecer no momento das atividades. Ainda há vagas. O Projeto acontece há mais de cinco anos e já faz parte do calendário educativo da Biblioteca, que que fica no 2º andar do Memorial da Cultura e Cidadania (Avenida Fernando Correa da Costa, 559). Mais informações pelo telefone (67) 3316-9161.

Karina Medeiros de Lima – Fundação de Cultura MS- (FCMS)

Fotos: Ricardo Gomes


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *