Rádio e TV Educativa de MS

Como planejar financeiramente a vida a dois

0

Reinaldo Domingos*

Casamento é um passo muito importante, tanto para o homem quanto para a mulher. Por isso, para tornar o sonho realidade é preciso um planejamento criterioso. Decidir como serão organizadas as finanças deve ser o primeiro assunto a ser conversado, visto que essa é uma das principais causas de discussão e até separação, atualmente.

E a relação entre dinheiro e os casais está longe de ser a ideal, segundo pesquisa nacional realizada pelo SPC Brasil e CNDL, 29,2% dos brasileiros não sabe ao certo o valor do salário do companheiro (a). O mais preocupante é que o debate sobre o orçamento familiar com o cônjuge e com outros membros da família só ocorre em 38,9% das famílias e em 18,1% dos casos isso ocorre apenas o fazem quando a situação financeira está ruim.

Mas, como fazer? Não há fórmula certa para se seguir; o casal apenas deve decidir de que forma se organizará – como vai pagar as contas, quanto cada um vai depositar para investimentos, etc – e ter disciplina para cumprir o acordado. A conversa é o verdadeiro segredo para uma união estável e para evitar que problemas financeiros interfiram na vida do casal.

Para tanto, é importante que se faça um diagnóstico da vida de ambos, anotando quanto cada um ganha e quais serão as despesas fixas inevitáveis, que se relacione quais são os sonhos de curto, médio e longo prazos (individuais e coletivos) e, claro, que se poupe para a realização deles e também para se ter uma reserva, em caso de emergências.

O início de uma vida a dois deve ter uma base sólida para que o relacionamento possa ser duradouro, até porque, as conversas e os objetivos de ambos sempre indicam para o futuro. Sendo assim, o planejamento já deve começar, pelo menos, 24 meses antes do grande dia – o casamento.

Em paralelo, já se deve pensar em outros objetivos comuns do casal, como a casa própria, o carro ou ainda a viagem de lua-de-mel. Todos os aspectos de cada sonho devem estar minuciosamente estabelecidos e orçamentados. No caso da moradia, é essencial que se avalie o custo de vida da região escolhida e, se for necessário, pesquise outros locais.

Após esse primeiro momento, outras metas deverão ser traçadas, como, por exemplo, o nascimento do primeiro filho. Nesse caso, o planejamento deve ser feito com antecedência, pois há muitos aspectos a serem relacionados, como gastos com vestimenta, alimentação, escola, transporte, passeios, entre outros.

Alcançar a independência financeira também é um objetivo extremamente importante, que deve estar na lista dos sonhos de longo prazo. Com ela, além de garantir uma vida mais estável, é possível planejar uma aposentadoria tranquila.

Segue abaixo 10 dicas para que um casamento tenha sucesso:

  1. Investir no futuro do relacionamento é também pensar nas finanças pessoais;
  2. Reunião entre os noivos para planejar os passos do casamento, pelo menos 24 meses antes. E também planejar a vida futura a dois;
  3. Analisar o padrão de vida que deverão ter, na maioria das vezes é necessário ajuste neste ponto, o que pode gerar desavenças;
  4. Definir o local de moradia e suas instalações e levantar o custo de vida da nova moradia;
  5. Definir os sonhos, objetivos de curto, médio e longo prazo, respeitando os sonhos de cada um e os sonhos em conjunto;
  6. Planejar quando quer ter o primeiro filho e quanto terá que investir;
  7. Elaborar um orçamento financeiro contemplando todos os eventos pré e pós casamento;
  8. Definir o valor do investimento a ser alocado no casamento e lua de mel;
  9. Definir quanto de dinheiro guardará para que pague tudo a vista e de preferência com desconto;
  10. Não se esquecer de planejar a independência financeira do casal (aposentadoria).

(*) Reinaldo Domingos é educador financeiro, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e autor de diversas obras sobre o tema dentre as quais o best-seller Terapia Financeira.

Deixe sua resposta

Seu endereço de email não será publicado.