Rádio e TV Educativa de MS

Como Escolher Bem Um Livro

113 0

O ato de ler exige primeiro a escolha do que se vai ler. É preciso começar com textos curtos para que não desanimemos no meio do caminho. Para quem ainda não tem o hábito de ler, os livros volumosos assustam.

 Assim como para exercitar o corpo começamos com pequenos pesos ou a percorrer pouca distância, também no campo da leitura é prudente começarmos com pequenos desafios, e depois podemos ir aumentando até conseguirmos grandes desempenhos.

 Mas não é somente o tamanho ou a grossura do livro que indica que o texto é de fácil compreensão ou não. Existem livros finos, com um linguajar técnico e difícil. E também podemos encontrar um livro mais grosso, com um texto leve.

A escolha pode ser direcionada também  pela sua área de interesse. Vamos supor que você quer ler algo sobre um personagem da história do Brasil ou mundial. Pode escolher uma biografia desta personalidade. Ou sobre esportes, artes, filmes, profissões. Pode optar por obras que tratem destes temas.

A escolha do livro tem que ver também com o gênero literário que se pretende ler. Com gêneros literários nos referimos aos diferentes tipos de textos que existem. A capacidade humana de escrever é muito rica e variada. Costuma-se dividir os diferentes estilos,  textos e linguagem em gêneros literários. Temos poesia, romance, peça teatral, diários, memórias, biografia, autobiografia, ensaios, contos, crônicas, discursos, mitologia, etc.

 O que importa é que você exerça a sua liberdade de escolha. Escolher o que se vai ler é fantástico. Temos inúmeras opções e decidimos que nossa atenção e tempo serão investidos em determinado autor ou área do conhecimento. Demonstramos a nossa liberdade e independência intelectual.

No processo de escolha, precisamos manusear o livro. A melhor forma de começar a analisar um exemplar para saber um pouco do perfil dele é depois de ver a capa e o título, ler a contra capa. Daí passar para as “orelhas” – se for o caso – e depois ler na íntegra o índice ou sumário, se houver tempo, e é bom que haja; afinal estamos para escolher um exemplar que vai tomar a nossa atenção por um bom tempo e por alguns dias. Ler o prefácio ou apresentação e dar uma olhada na abertura de alguns capítulos e ilustrações se caso houver. Isto ajuda-nos a ter uma visão mais ampla da obra que está sendo analisada.

Esta é a fase de reconhecimento do livro para saber do que ele trata. Mesmo no caso de um romance é bom ter idéia do tema central ou do foco principal do enredo. Se é romance histórico ou não; se é de autor nacional ou estrangeiro; se faz parte de uma série ou é um titulo isolado. Todas essas são informações que ajudam na escolha de um livro para se começar a ler e ir até o fim; para não abandonar a leitura e assim evitar frustrações. Então é escolher um livro e boa leitura!

(*) Genival Mota é jornalista concursado da TVE/MS, doutorando em Letras na UNESP-SJRP. Formado em Historia e Jornalismo pela UFMS. Autor entre outros de: “O Menino do Livro e o Menino da TV”; “Dez Passos Para Gostar de Ler”; “O Que Aprendemos com O Pequeno Príncipe”; “O Que Aprendermos com Alice no País das Maravilhas”; “Ser Adolescente Ser Fera”; “A Caverna Ilu-minada”.

Deixe sua resposta

Seu endereço de email não será publicado.