Chineses fazem “tour” e se encantam com o prédio e a torre da TVE Cultura MS

Compartilhe:

Chamaram a atenção dos chineses a técnica construtiva do rústico com o sofisticado e a exuberância da torre de alvenaria de 117 metros de altura

Campo Grande (MS) – Grupo de chineses que participavam de reunião de negócios em Campo Grande, em passeio por pontos turísticos na cidade foi trazido para um “tour” no Parque dos Poderes. Em “pit stop” no prédio da Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa (Fertel), os visitantes permaneceram por quase uma hora contemplando a arquitetura e a torre da TVE Cultura.

O diretor-presidente da Fertel, jornalista Bosco Martins, logo no calçamento de entrada convidou os visitantes para conhecerem todo o prédio, que foi construído com o aproveitamento de pilares, vigas e fundações existentes de um ginásio de esportes inacabado. O que levou dois anos para ser concluído (1992/1994).

As principais curiosidades dos chineses eram sobre o material empregado na construção, a técnica construtiva do rústico (tijolo de cerâmica) com o sofisticado (mármore), detalhe da passarela e a exuberância da torre de recepção e transmissão de sinais de 110 metros de alvenaria com haste de metal de 7 metros. É a mais alta torre de alvenaria da América do Sul. O engenheiro Ariel Walmaggia, formado pela Universidade de Engenharia do Uruguai, contratado pelo governo Pedro Pedrossian (primeira metade da década de 1990), utilizou nada menos que 60 mil tijolos.

 

A passarela, suspensa em arcos de ferro, que dá acesso ao saguão superior, também chamou a atenção dos chineses, que não contentaram apenas em observar a parte externa da “Nave no Cerrado”.

Os visitantes conheceram o Espaço Cultural, o Museu da Televisão, os estúdios de TV e de Rádio, Controle Mestre e voltaram a observar a torre pelo lado interno, curiosos sobre a sobreposição dos tijolos de cerâmica.

Para a construção da torre, que demandou seis meses, foi utilizada a tecnologia da “cerâmica armada” – utilização solidária do tijolo (resistente à compressão), argamassa (elemento de ligação), concreto e ferro (resistente à tração). Uma tecnologia artesanal em que o tijolo desempenha função estrutural e não meramente decorativa.

No estúdio de TV, receberam explicações do Diretor de Operações, Cézar Roriz, fizeram muitas fotos e posaram diante dos cenários acompanhados pelo guia turístico Bruno Ming Wu, intérprete de mandarim (língua oficial da China).

Ming Wu disse que os chineses estavam muito contentes com a receptividade em Campo Grande e a oportunidade de poderem entrar em uma emissora de televisão em um prédio tão “admirável”.

E o ponto de admiração dos visitantes centrava sobre o principal desafio da arquitetura, não só pela altura, mas por seu “design” arquitetônico, de composição geométrica variada, com furos quadrados, retângulos, triângulos e losangos. causando efeitos variados e forma elicoidal. E o que mais impressiona é que a torre segue firme com alto nível de qualidade e acabamento, simplicidade e leveza.

(Edmir Conceição)


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *