Bom Dia Campo Grande: CDL-CG espera aumento nas vendas no Dia dos Namorados

Compartilhe:

Presidente da entidade, Adelaido Vila apresentou dados de pesquisa da instituição que indicam evolução de até 4,5% na movimentação na comparação com 2018
Adelaido Vila, presidente da CDL-CG, apontou otimismo dos comerciantes com o Dia dos Namorados. (Foto: Alisson Ishy/Fertel)
Adelaido Vila, presidente da CDL-CG, apontou otimismo dos comerciantes com o Dia dos Namorados. (Foto: Alisson Ishy/Fertel)

O 12 de junho é o Dia dos Namorados, data que é comemorada não apenas pelos casais, mas também pelos setores de comércio e serviços. Para este ano, o Termômetro do Varejo da CDL-CG (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Campo Grande) entrevistou 420 pessoas e constatou a possibilidade de aumento neste ano, na comparação com a data em 2018, de até 4,5% nas vendas para a data, seja por presentes, jantares ou outras formas de celebrar a data. O valor médio do presente também subiu de R$ 110 para R$ 120.

Os números foram apesentados nesta quarta-feira (12) ao Bom Dia Campo Grande pelo presidente da CDL-CG, Adelaido Vila, que revelou a expectativa positiva dos lojistas. “Acreditamos que as pessoas estão dispostas a presentear o amado ou amada nessa data, que é tão importante para os relacionamentos e o comércio”, destacou na Educativa 104.7 FM. A alta, se confirmada, atestará um viés de melhora para a atividade comercial, já que, no Dia dos Namorados de 2018, os comerciantes “saiu do vermelho”.

“Vínhamos de três anos no vermelho e, no ano passado, teve um crescimento modesto, pequeno. Agora vemos uma pequena melhora na comparação com o ano passado”, destacou o presidente da CDL-CG. Ele avalia que a atividade comercial enfrenta um período de recuperação econômica um pouco lenta, já que, para este mês, a esperança era de que seria um período de definições políticas nacionais e internacionais, que têm impactado a economia do país.

Os R$ 10 de aumento no tíquete médio dos presentes também foi comemorado, diante da redução do índice inflacionário, o que deve agregar maior valor ao item adquirido. “O que achamos interessante na pesquisa é a disposição das pessoas, dos casais, em comemorar a data. O famoso ‘sair para jantar’, ‘sair para ir ao cinema’. Isso fomenta outro mercado, não só o de presentes, mas de bares, restaurantes e cinemas, serviços que são grandes geradores de emprego em mato grosso do Sul”, pontuou.

Recuperação

Vila reforçou que havia uma grande expectativa no avanço das reformas previdenciária e tributária, “porque travou tudo”.

“Percebe-se que o governo federal está com inúmeras dificuldades para honrar a folha e a série de compromissos. Ontem (terça-feira, 11), foi liberado o aporte (de R$ 289 bilhões, via captação, para o governo federal). Esperamos que essa injeção de valores na economia venha a permitir que pessoas tenham mais credibilidade para fazer investimentos”, destacou o dirigente da CDL-CG, apontando que muitas pessoas deixaram de investir em seus estabelecimentos, inclusive com a composição de estoques, diante das preocupações com a economia.

“Esperamos que venha uma crescente, e a expectativa agora é pensar no Dia dos Pais, com muita gente se preparando”, antecipou.

Vila afirma que a expectativa era de um mês de junho de definições política, que ajudassem a debelar a crise. (Foto: Alisson Ishy/Fertel)
Vila afirma que a expectativa era de um mês de junho de definições política, que ajudassem a debelar a crise. (Foto: Alisson Ishy/Fertel)
Preparação

Adelaido Vila destacou no Bom Dia Campo Grande a preocupação da CDL-CG em melhor preparar seus associados para que aproveitem a retomada da economia, trabalhando, por exemplo, as equipes de vendas.

“As coisas ficaram muito claras: quem não se profissionalizar, vai morrer. Isso ficou muito claro no momento de crise. O empresário pode ter uma boa ideia, estabelecimento bom, bonito, aconchegante, cheiros e de fácil acessos, mas se tiver um atendimento ruim, todos os outros predicados caem por terra. Quem não profissionalizar, não tiver um bom atendimento, treinamento, não fizer a administração da empresa, não vai suportar”, destacou.

O dirigente da CDL-CG afirma que, hoje, os clientes buscam não apenas um bom ambiente ou uma fachada bonita. “Compram porque buscam um bom atendimento, a sensação, outra coisa que não é só o produto”, destacou. “Pessoas bem preparadas vão permanecer no mercado”, prosseguiu, reiterando ser esta uma máxima para todos os setores, seja público ou privado.

Nesse sentido, ele afirma que a CDL intermediou convênio com a Secretaria de Estado de Administração e lojistas da Capital, que passaram a oferecer descontos de até 50%. “Aconselhamos o servidor que, ao fazer compras, vá ao site da CDL e verifique a lista de empresas com descontos especiais”.

Novos eixos

Durante a entrevista, Adelaido Vila falou também sobre o impasse de comerciantes na área central, onde um grande número de lojas foi recentemente fechada, tendo por argumentos tanto o alto valor dos aluguéis como a migração da população para a periferia. Segundo ele, os imóveis no Centro pertencem a um grupo restrito de famílias, com as quais vem se enfrentando dificuldade para discutir os valores.

Presidente da CDL-CG aponta migração dos comerciantes para os bairros, em busca de aluguéis mais acessíveis. (Foto: Alisson Ishy/Fertel)
Presidente da CDL-CG aponta migração dos comerciantes para os bairros, em busca de aluguéis mais acessíveis. (Foto: Alisson Ishy/Fertel)

“Aí, infelizmente, a pessoa não consegue empreender. Temos percebido essa ida para o bairro. O empreendedor não monta o estabelecimento na região central ou nos pontos comerciais já desenvolvidos. Ele está indo para o bairro e dando show de bola. O crescimento nos bairros é expressivo, em torno de 16% neste ano, ante 14% no ano passado”, afirmou.

O fenômeno, prosseguiu Vila, deve-se tanto aos aluguéis mais baratos. “Em vez de pagar um aluguel caríssimo ele melhora a fachada, a condição da empresa, e vende produtos com valor agregado melhor”, salientou o dirigente. Para o Dia dos Namorados, por exemplo, ele afirma que a intenção e consumo segue firme no Centro, com 32% dos entrevistados no Termômetro do Varejo apontando interesse em comprar na região, seguido de 29% dos shoppings e 16% nos bairros.

“A busca pelo Centro ainda se deve à variedade. A pesquisa mostra que preço e variedade são o maior atrativo ali, porque encontro tudo na área central. No bairro eu busco a facilidade de fazer a compra, enquanto no shopping tem o conforto. Cada local tem sua característica”.

Por fim, Adelaido Vila aplaudiu a iniciativa do município em também tentar repovoar o Centro, com a construção de 600 unidades habitacionais na região atrelada ao Reviva Campo Grande. “Campo Grande é uma das cidades mais arruadas do Brasil, uma coisa absurda, com distanciamento da classe produtiva da área central que não facilita para ninguém no deslocamento. O Centro, à noite, é totalmente vazio, inabitável”, considerou. Segundo ele, aumento na população na região melhorará tanto a região, quanto a utilização noturna, quanto a qualidade de vida de quem morar perto da região, reduzindo o tempo de deslocamento entre o trabalho e a moradia.

Sintonize – Com produção de Rose Rodrigues e Alisson Ishy e apresentação de Maristela Cantadori e Anderson Barão, o Bom Dia Campo Grande permite a você começar o seu dia sempre bem informado, por meio de um noticiário completo, blocos temáticos e entrevistas sobre assuntos variados. O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 7h às 8h30, na Educativa 104.7 FM e pelo Portal da Educativa.  Os ouvintes podem participar enviando perguntas, sugestões e comentários pelo WhatsApp (67) 99333-1047 ou pelo e-mail bomdiacampogrande2018@gmail.com.


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *