Memórias são resgatadas no Centenário da Morada dos Baís

Compartilhe:

Por meio de momentos imersivos, relatos e bate-papo, o conjunto de ações que o Sesc Cultura preparou para comemorar o Centenário da Morada dos Baís promovem um resgate não só à história do prédio, da família Baís e de seu entorno, mas de Campo Grande e evidencia a importância de preservar memórias das mais diversas formas, desde às restaurações à culinária. “Comemorar o centenário reforça a importância de se valorizar a memória, a história e a cultura de uma comunidade, e destaca a responsabilidade do Sesc no papel de formador e incentivador”, destaca a diretora regional do Sesc MS, Regina Ferro.

No dia 01 de setembro, às 15 horas, haverá o percurso, “Nos Trilhos do tempo”, que propõe uma imersão histórica na região da estação ferroviária e seu entorno, por meio de parceria com o Iphan, que é o ponto de saída. A partir da Estação Ferroviária, o grupo seguirá pelas ruas dos Ferroviários, Orla, Casa do Engenheiro, av. Calógeras, Rua General Melo, rua Dr Ferreira, rua 14 de julho e Rotunda. O percurso será guiado pelo arquiteto André Vilela, arquiteto, da museóloga Sara Bernal e do historiador José Augusto Carvalho.

Saindo do Sesc Cultura no dia 30 de agosto às 18h30, o “Percurso Cultural” tem a proposta de revelar espaços que compõem a memória da Capital, mas que muitas vezes passam despercebidos. A mediação será feita por João Santos, arquiteto e historiador.

Palestras com foco na memória e patrimônio histórico ocorrem já a partir do segundo dia de programação, 22, às 19 horas, no Sesc Cultura, quando haverá conversa com ex-ferroviários da Noroeste do Brasil, que contarão suas vivências e memórias e, no dia seguinte, no mesmo horário, palestra sobre todos os processos envolvidos em restaurações de forma a preservar o valor histórico de uma obra de arte, com Aurea Katsuren. Restauradora com 40 anos de experiência na área, Áurea tem atuação nacional e internacionalmente e foi responsável pela restauração de grande parte da obra de Lídia Baís.

Oportunidade de conhecer em suas minúcias o processo de tombamento e restauração da Morada dos Baís, no dia 28 de agosto, também às 19h, mas agora no Sesc Morada dos Baís, vão falar ao público a arquiteta  Solange Vaz, que se debruçou sobre todo o processo e descobriu os painéis dentro da casa cobertos por tinta; além de profissionais envolvidos no processo de restauração, além de Maria Verônica Safadi Alves Nogueira, que é ex-secretária da cultura da prefeitura e Regina Maura Lopes Couto Cortez e Carlos Scardini, que são arquitetos e urbanistas responsáveis pela realização dos projeto de restauração.

Em seguida haverá o lançamento do Livro Lídia Baís. Arte, vida e metamorfose, de Fernanda Reis, explorando o contexto feminino em que Lídia despontou – a sociedade campo-grandense no período de 1920 a 1940.

A gastronomia sob o foco da biodiversidade e memória afetiva também estará em evidência em bate-papo no dia 29, às 19 horas, no Sesc Cultura, reunindo Luiz Camargo do Instituto ATA, do Distrito Federal, Paulo Machado e de Dedê Cesco, estes, culinaristas de MS de grande destaque. Haverá sessão de degustação. Reflexões e provocações sobre biodiversidade, pesquisa, uso dos alimentos nativos e tradicionais, memória afetiva e a descolonização de nossa gastronomia, valores que só crescem na gastronomia e no mundo contemporâneoglobal

Serviço – A programação se divide entre ações no Sesc Cultura, Sesc Horto e Sesc Morada dos Baís e pode ser conferida na íntegra, com respectivos horários e locais no site sesc.ms

FONTE: Sesc MS


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *