Ações de prevenção ao tabagismo são realizadas com detentos da Capital

Para combater o uso abusivo do tabaco e prevenir doenças provenientes do vício, o Módulo de Saúde do Complexo Penitenciário da Capital desenvolve o projeto de prevenção ao tabagismo “Pode Respirar Fundo”. A ação de saúde conta com apresentações de palestras, vídeos, rodas de conversas, atendimento médico e psicossocial.

A iniciativa é realizada pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio da Divisão de Saúde, e a equipe de servidores de Assistência e Perícia do Módulo. O projeto surgiu após solicitação da 50ª Promotoria de Justiça, por meio da promotora Renata Ruth Goya Marinho.

O objetivo é conscientizar os custodiados sobre os malefícios do cigarro, auxiliar no combate ao tabagismo e ressaltar os inúmeros danos causados aos fumantes passivos. Para isso foram distribuídos informativos, realizadas palestras e orientações médicas.

A campanha é desenvolvida com os reeducandos que recebem atendimento médico e odontológico no Módulo de Saúde e nas unidades penais do Complexo Penitenciário da Capital como o Centro de Triagem Anísio Lima (CT), o Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) e o Presídio de Trânsito (Ptran).

O objetivo é conscientizar os custodiados sobre os malefícios do cigarro.

Conforme a diretora do Módulo de Saúde, Angélica Rosa, a ação é de suma importância para sensibilizar os custodiados sobre o tabagismo. “Agradeço o apoio da direção da Agepen nas ações que são desenvolvidas aqui no Módulo, no intuito de possibilitar saúde e qualidade de vida aos apenados”, frisou.

No Centro de Triagem, foi realizada uma roda de conversa sobre o combate ao tabagismo e contou com a participação de 17 reeducandos. Ao final da palestra, foram distribuídos folderes e cartazes relacionados aos malefícios do tabaco e um sorteio de brindes com kits de higiene bucal.

Com o intuito de dar continuidade nas ações do projeto sobre tabagismo, foi criado no Presídio de Trânsito, um grupo permanente com os internos da unidade. Os encontros serão semanais e de forma rotativa, para atender toda a massa carcerária.

Todas as ações realizadas nas unidades penais são subordinadas administrativamente à Diretoria de Assistência Penitenciária da Agepen e, tecnicamente, à Divisão de Saúde da instituição.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, as iniciativas envolvendo orientações sobre prevenção de doenças demonstram o comprometimento da instituição com a saúde dos reeducandos e com a melhoria do ambiente de trabalho para os servidores penitenciários. “Esses projetos trazem bons resultados, considerando que o combate aos vícios previne enfermidades e é uma boa forma de realizar uma gestão eficaz”, conclui o dirigente.

Tatyane Santinoni – Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) com a colaboração de Angélica Rosa

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *